quinta-feira, 25 de maio de 2006

Nós?

O que somos nós?
Onde estamos nós?
E o que fazemos nós?


"Não nos tratou segundo os nossos pecados, nem nos recompensou segundo as nossas iniqüidades. Pois assim como o céu está elevado acima da terra, assim é grande a sua misericórdia para com os que o temem. Assim como está longe o oriente do ocidente, assim afasta de nós as nossas transgressões. Assim como um pai se compadece de seus filhos, assim o Senhor se compadece daqueles que o temem. Pois ele conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó. Quanto ao homem, os seus dias são como a erva, como a flor do campo assim floresce. Passando por ela o vento, logo se vai, e o seu lugar não será mais conhecido. Mas a misericórdia do Senhor é desde a eternidade e até a eternidade sobre aqueles que o temem, e a sua justiça sobre os filhos dos filhos; Sobre aqueles que guardam a sua aliança, e sobre os que se lembram dos seus mandamentos para os cumprir." (Salmos 103.10-18)


O que andam te ensinando por aí?... Que o inferno não existe realmente, isso é, que não passa de um estado de alma da pessoa que se encontra sem Deus?

O que andam te ensinando por aí?... Que você pode viver uma vida independente do Senhor Deus e, quando morrer, irá para um lugar (que, diante da Bíblia não existe) para pagar por seus pecados e então poderá entrar no Céu como alguém redimido de todas suas culpas?

Vamos começar a meditação de hoje com uma pequena ilustração: Imagine uma mãe que recebe encomendas de bolos acabou de fazer um bolo para uma festa de casamento. Ela ordena aos seus filhos que não toquem naquele bolo para o não estragar. Um dos filhos, porém, desobedece e, quando a mãe se ausenta por qualquer motivo, a criança tira uma fatia daquele lindo bolo enfeitado e extremamente chamativo aos olhos e ao estômago. Pronto! O trabalho de um dia inteiro está perdido. Somente esse gesto "levado" de uma criança foi o suficiente para estragar uma festa inteira de casamento, afinal, quem quer celebrar uma festa com um bolo pela metade?

Parece que você reagiu exatamente como a maioria das pessoas, e se perguntou: "Isso não passou de uma arte de criança... O que isso tem a ver com a salvação?"

Isso tem tudo a ver com a salvação.

Deus deu uma ordem parecida ao homem no Éden (Gênesis 2.16-17). De toda abundância e fartura que havia naquele jardim o homem poderia usufruir, menos comer da árvore do conhecimento do bem e do mal.

A desobediência de Eva e, conseqüentemente, a de Adão, os levaram a comer algo que Deus havia proibido. E essa pequena "arte" dos filhos de Deus acabou desgraçando a história da humanidade por toda a eternidade e com proporções de destruição incalculáveis!

Até hoje somos produto desse pequeno "pecadinho" de Adão e Eva, denominado pecado original, e por isso estamos condenados à separação eterna do Criador.

Contudo, Deus, realmente, foi misericordioso conosco! Ele não nos recompensou como merecíamos, "não nos tratou segundo os nossos pecados, nem nos recompensou segundo as nossas iniqüidades."

Mais uma vez o Senhor Se compadece porque nos ama de maneira incondicional, e resolve nos dar uma nova oportunidade para rever nossa situação lastimável diante dEle e recomeçar uma nova história com Ele, segundo Seus santos ensinamentos... E envia Jesus Cristo para ser sacrificado de forma perfeita por nós (Romanos 4.25; Gálatas 1.4; Hebreus 10.12; 1Pedro 2.24; Apocalipse 1.5), porque não havia nenhuma possibilidade de os nossos sacrifícios, por mais intensos e sinceros que fossem, nos redimir do pecado. O que é imundo não pode oferecer sacrifício santo e agradável a Deus. Tinha que ser alguém mais santo, que pudesse oferecer santificação porque a tinha para dar. E Jesus Cristo foi a única pessoa capaz de preencher esse requisito primordial para refazer a aliança do homem com Deus.

"Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu Seu Filho unigênito, para que todo aquele que nEle crê, não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou Jesus Cristo ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por Ele." (João 3.16-17)

Há quem entenda que possa dirigir sua própria vida e ser feliz. Isso realmente é possível, mas somente dentro de um plano terreno, por um tempo determinado. Depois da morte poderá existir uma continuação dessa felicidade para toda a eternidade, de acordo com as escolhas que foram feitas em vida.

Deus sabia disso desde o início, pois não somos Criadores... somos apenas criaturas – falíveis e limitadas. Somos pó! Exatamente "como a erva, a flor do campo"... quando passa o vento ela é açoitada por ele e se vai... pouco ou nada se saberá dela depois, até que mesmo o lugar onde ela estava será esquecido.

A verdade é que realmente não somos capazes de fazer nada por nós mesmos. Tanto não somos que não fazemos. Contemple a angústia, o medo, o desprezo, o desespero, a depressão, a solidão, os problemas e aflições pelos quais você pode estar passando agora... realmente você pode fazer algo para mudar isso? Se pode, então, por que ainda não o fez?

Só Jesus Cristo pode trocar esse fardo conosco. E Ele anseia fazê-lo. Ele chega mesmo a nos convidar a fazer isso... "Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve." (Mateus 11.28-30)

Essa vida passa. Essas lutas passarão. Nós passaremos. Mas o Senhor permanece para sempre (Mateus 24.35; Apocalipse: 1.4, 1.8, 4.8).

E a Palavra declarada por Deus ao mundo através de Seus profetas e servos fiéis, é que não haverá outra possibilidade para nós depois desta vida: "Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque na sepultura, para onde tu vais, não há obra, nem indústria, nem ciência, nem sabedoria alguma." (Eclesiastes 9.10); "Os mortos não louvam ao Senhor, nem os que descem ao silêncio. Mas nós bendiremos ao Senhor desde agora e para sempre. Louvai ao Senhor!" (Salmos 115.17-18); "Aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo, depois disso, o juízo." (Hebreus 9.27).

E o que andam ensinando ao mundo por aí?... Que morreremos e pagaremos pelos erros que cometemos em vida para que possamos todos descansar redimidos na eternidade...

Ora, se não somos capazes de fazer algo por nós estando nós ainda vivos, que dirá depois de mortos!

O dia é hoje. A hora é agora!

A misericórdia do Senhor é lançada novamente sobre mim e sobre você.

Se você ainda não firmou essa aliança, o momento é este. Deixe Jesus Cristo cuidar de você. Ele vai te fazer entender que tudo o que esses "loucos" (evangélicos fiéis a Cristo) têm pregado pelo mundo é o reflexo de uma sensação de paz e da certeza de vitória eterna que eles possuem por causa da presença e dos cuidados desse Deus Sublime e Bondoso.

Tamanha graça também está estendida sobre você...

Recebê-la é a decisão que ninguém mais poderá fazer a não ser você mesmo(a)...
Nossa vida no agora é o resultado das escolhas de ontem; para mudarmos o curso no amanhã, algo deverá ser feito hoje.

E que o Espírito Santo fale melhor em teu coração!


Nosso carinho sincero a todos os visitantes deste blog, que tanto têm contribuido para o crescimento deste trabalho que fazemos com o coração para que o nome de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo seja glorificado!Novamente fomos destaque no Vale a Pena Ver De Novo (Clique amizade) e nos sentimos honrados em receber os participantes do site. Logo que for possível estaremos retribuindo todas as visitnhas...

Que Deus em Cristo os abençoe com muita paz e santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor... (Hebreus 12.14)