sábado, 24 de junho de 2006

Igreja: Centro de Formação de "EX"



IGREJA: CENTRO DE FORMAÇÃO DE "EX"

(Primeira publicação em nosso antigo blog: 30/08/2005)


No Evangelho de Jesus Cristo, segundo escreveu João 1.14, lemos:

"Cristo... habitou entre nós".

Esta palavra em grego é "skenoo" ou "tabernaculou", isto é, a festa dos tabernáculos cumprindo-se em Jesus Cristo, o Emanuel (Mateus 1.23), que, por sua vez, significa "Deus conosco".

Em Cristo não se cumpriu somente a Festa dos Tabernáculos, mas também a Páscoa, através da Sua morte na cruz (Mateus 26.2; 1Coríntios 5.7) e a Festa do Pentecostes, quando enviou o Espírito Santo sobre a Igreja (Atos 2.1-4).

Trocando em miúdos, Cristo veio ao mundo para trazer as boas novas da salvação (Tabernáculos) , morrer por nós para nos garantir a vida, ou seja, o direito a essa salvação (Páscoa), e enviou o Espírito Santo para que Sua Igreja não se desviasse do caminho dessa salvação eterna (Pentecostes).

Não é maravilhoso observarmos o quanto o Senhor Deus Se preocupou em nos resgatar para Si? Ele cuidou de cada detalhe para que alcançássemos a salvação em Cristo e o direito à vida eterna na Glória.

Mas ir morar no Céu não é tão fácil quanto se prega por aí. Para que haja salvação, além da necessidade de se confessar a Jesus Cristo como único, suficiente e eterno Senhor, Intercessor e Salvador de nossas vidas, devemos viver, constantemente, a prática da santificação, e refletir através de nossas atitudes, explicitamente, o caráter de Cristo em nós.

Veja as palavras do próprio Jesus Cristo em Mateus 5.14:

"Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte."

Ora, sabendo que "o mundo inteiro jaz no maligno" (1João 5.19) e, jazendo, está morto, portanto envolto em densas trevas, resta-nos analisar algumas propriedades da luz, aqui simbolizando a vida de um cristão autêntico, que deve brilhar na escuridão deste mundo:

1) A luz irradia e dissipa as trevas - jamais se mistura com elas. Mas infelizmente (e eis aí uma triste realidade), essa não tem sido a divisa da vida de muitos crentes. A cada novo dia aumenta o número de pessoas que pronunciam o nome de Cristo e, simultaneamente, diminui o número de pessoas que seguem a Cristo verdadeiramente.

"Porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos." (Mateus 22.14)

Atualmente, há nas igrejas um alto quantitativo de pessoas sem compromisso com Deus, nem com a vida cristã, nem com a ética e a moral do verdadeiro crente, nem com sua própria salvação. São pessoas cujo testemunho se confunde aos testemunhos dos ímpios, e que não são conhecidas pelo seu caráter genuinamente cristão, mas pela ausência deste, embora carreguem um rótulo que as identifique como tal.

"Em tudo te dá por exemplo de boas obras; na doutrina mostra integridade, sobriedade, linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se confunda, não tendo nenhum mal que dizer de nós." (Tito 2.7-8)

São pessoas que tentam, consciente e inconscientemente, adaptar o Evangelho a si mesmas, para que possam alcançar o céu sem fazer nenhum esforço para merecê-lo.

"... o reino dos céus é tomado a força." (Mateus 11.12)

Nunca renunciaram aos seus próprios desejos e paixões para que Deus pudesse resplandecer em suas vidas e torná-las focos brilhantes na tenebrosa noite que envolve o mundo pecador.

"Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens, ensinando-nos que, renunciando à impiedade e às concupiscências mundanas, vivamos neste presente século sóbria, justa e piamente." (Tito 2.11-12)

"Assim, se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já se passaram; eis que tudo se fez novo" (2Coríntios 5.17)

Por mais intensas que sejam as trevas do mundo, o cristão salvo deve ser visto por todos como um ponto brilhante na escuridão, que não se confunde mas que se destaca e faz a diferença como uma referência a ser seguida por todos os perdidos que o enxergarem.

"Sede meus imitadores, como também eu o sou de Cristo." (1Coríntios 11.1)

"não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte." (Mateus 5.14)

2) A luz permite a visibilidade - Através dos testemunhos dos verdadeiros cristãos salvos, pontos de luz espalhados por todo o mundo, a glória do Senhor será vista por muitos homens perdidos e necessitados de uma novidade de vida.

"Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras, e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus." (Mateus 5.16)

3) Na luz se guia - e é essa a missão que Cristo deixou para os Seus discípulos:

"Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado." (Marcos 16.15-16)

"Ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo." (Mateus 28.19)

O mundo não tem conseguido enxergar a verdade que liberta, que cura, que transforma, que dá vida, que salva. Cabe à Igreja do Senhor iluminar o mundo e permitir aos homens avistar o caminho da salvação que há em Cristo.

4) Com luz se produzem resultados - Na claridade é possível não só indicar o caminho aos perdidos mas também conduzi-los até ele. Na escuridão não há como trabalhar. Não existe cristão que seja produtivo para o Reino de Deus se está envolto em trevas. O pouco que, por ventura, consiga fazer, será mal-feito. E isso entristecerá o coração do Pai, que espera de Seus filhos o melhor empenho, o melhor trabalho e, portanto, o melhor resultado. Isso só pode ser conseguido mediante muita luz... a luz de Cristo!

"Importa que façamos as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; vem a noite, quando ninguém pode trabalhar." (João 9.4)

"[O Grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo] o qual Se deu a Si mesmo por nós, para nos remir de toda iniqüidade e purificar para Si um povo Seu especial, zeloso de boas obras." (Tito 2.14)

"Portanto... fazei tudo para glória de Deus." (1Coríntios 10.31)

A luz que deve resplandecer no mundo através de nós, porém, não vem de nós mesmos. Ela é Jesus Cristo, Se manifestando de nosso interior pra o mundo. Vamos ler um pequeno trecho bíblico do livro do Êxodo:

"Ordenarás aos filhos de Israel que te tragam azeite puro de oliveiras, batido, para o candeeiro, para manter uma lâmpada acesa continuamente. Na tenda da revelação, fora do véu que está diante do testemunho, Arão e seus filhos a conservarão em ordem, desde a tarde até pela manhã, perante o Senhor; este será um estatuto perpétuo para os filhos de Israel pelas suas gerações." (Êxodo 27.20-21)

A passagem citada é uma das instruções de Deus para Moisés acerca da construção e manutenção do Seu tabernáculo aqui na terra.

Expressa, porém, sobre o templo em forma de tenda que deveria ser transportado sempre junto ao povo judeu no Antigo Testamento, simbolizando a presença de Deus e Seus juízos.

Observe que, a respeito dessa maneira de se manter o candeeiro, Deus disse: "este será um estatuto perpétuo para os filhos de Israel pelas suas gerações." Mas o tabernáculo deixou de existir. A aliança de Deus, porém, permaneceu e teve continuidade com a morte de Cristo na cruz, deixando de estar "entre os homens" para estar "nos homens". E assim seguirá para toda a eternidade... perpetuamente.

Por causa do pecado que separava o homem de Deus desde Adão, no interior do tabernáculo era permitida a entrada somente do sacerdote autorizado por Deus para realizar sacrifícios expiatórios pelo povo, e para receber do Senhor as instruções e mensagens acerca da permanência e conduta de Seu povo na terra.

Quando Cristo foi crucificado, milênios depois, o véu desse templo foi rasgado "de alto a baixo" (Mateus 27.51) confirmando a aliança firmada por Deus para com os homens, através de Cristo, que consumava toda a obra redentora a que foi destinado na terra (João 19.30), a fim de religar a criatura ao seu Criador, e restabelecer entre eles os laços de comunhão e intimidade.

"Estáveis naquele tempo sem Cristo, separados da comunidade de Israel, e estranhos aos pactos da promessa, não tendo esperança, e sem Deus no mundo. Mas agora, em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto. Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio, na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos contidos em ordenanças, para criar, em si mesmo, dos dois um novo homem, assim fazendo a paz, e pela cruz reconciliar ambos com Deus em um só corpo, tendo por ela matado a inimizade; e, vindo, ele evangelizou paz a vós que estáveis longe, e paz aos que estavam perto; porque por ele ambos temos acesso ao Pai em um mesmo Espírito." (Efésios 2.12-18)

E, por Cristo, passamos a ter acesso direto ao Pai, para nos retratar e redimir de toda culpa. Cristo é a "oliveira verdadeira" (Romanos 11.24) que gera o azeite puro exigido por Deus no trecho que citamos do livro do Êxodo. Desde a morte de Cristo, a história da humanidade mudou completamente e tomou um novo destino. Hoje, nós somos o tabernáculo de Deus, o templo que o Senhor escolheu para morar...

"Ou não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que habita em vós, o qual possuís da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por preço; glorificai pois a Deus no vosso corpo." (1Coríntios 6.19-20)

O azeite que não pode faltar em nós é a presença de Cristo em nossas vidas através do Espírito Santo. A Bíblia nos diz que em Cristo "estava a vida, e a vida era a luz dos homens, e a luz resplandeceu nas trevas, e as trevas não a compreenderam." (João 1.4-5).

"Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele." (Romanos 8.9)

O azeite exigido por Deus deveria ser "batido", o que simboliza e prefigura o sofrimento de Cristo, que tudo padeceu para dar o último suspiro às três horas da tarde de uma sangrenta sexta-feira, no Gólgota. E morrer para que Seu sangue expiasse todos os nossos pecados, permitindo a Deus encontrar o templo limpo e passível de Sua habitação, para que Sua luz fosse dissipada pelo mundo através de nós.

"E Eu [Jesus] lhes dei [aos discípulos] a glória que a Mim Me deste, para que sejam um, como Nós somos um; Eu neles, e Tu [Deus] em Mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, a fim de que o mundo conheça que Tu Me enviaste, e que os amaste a eles, assim como Me amaste a Mim." (João 17.22-23)

As lâmpadas do candeeiro deveriam ser colocadas do lado de fora do véu, adiante do Testemunho, e permanecerem acesas continuamente. Da mesma maneira, o cristão verdadeiramente lavado e remido pelo Sangue de Cristo não pode brilhar somente dentro das congregações, onde se apresenta como um "irmão em Cristo" e com aparência de santidade. Suas atitudes fora da igreja é que realmente revelarão a identidade cristã que ele carrega consigo.

O mundo tem que contemplar essa luz e não confundir o crente com as trevas, isto é, como um dos tantos que vivem uma vida distante de Deus. Essa luz deve ser focalizada por todos no ambiente de trabalho, na escola, nas ruas, na família, na vizinhança, revelando que "Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a Sua boa vontade" (Filipenses 2.13)

E, para que Cristo habite em nós, é necessário renunciar nossas vontades próprias, paixões e valores. É preciso viver o Evangelho como Ele é, sem enfeites e adaptações. É preciso entender que somos nós quem precisamos de Deus, e entregar nossa vida em completo para que Ele ocupe o lugar de primazia em nosso ser, e Se revele ao mundo através do nosso testemunho.

"E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências. Se vivemos pelo Espírito, andemos também pelo Espírito." (Gálatas 5.24-25)

A igreja de Cristo, santa e imaculada, possui essas características porque não admite o pecado, mas se revela no mundo como um centro de formação de "ex": "ex-viciados", "ex-bandidos", "ex-mulheres de programa", "ex-mentirosos", "ex-desonestos", "ex-vingadores", "ex-mundanos", "ex-ingratos", "ex-arrogantes", "ex-pecadores", "ex...", "ex...", "ex...".

Nenhum dos discípulos chamados por Cristo nasceram "santos". Mas buscaram "a santificação sem a qual ninguém verá a Deus" (Hebreus 12.14) e se despiram do velho homem para renascer em Cristo. E assim o mundo viu a diferença na vida dos apóstolos do Senhor. Os tempos mudaram, mas "Jesus Cristo é o mesmo ontem, e hoje, e eternamente." (Hebreus 13.8).

Não podemos querer entrar no Céu levando conosco as bagagens do mundo, coisas das quais não conseguimos nos libertar.

"Não sabeis que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus." (Tiago 4.4)

O mundo viu a diferença em Cristo e, se somos Seus seguidores, o mundo tem que ver a diferença também em nós, atuais discípulos de Jesus.

"E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos com falsos discursos." (Tiago 1.22)

E que a nossa luz resplandeça diante dos homens, como uma referência para os conduzir a Cristo e proporcionar mais glórias ao santo e adorado nome de Deus!



Querido visitante,

Um ano e sete meses se passaram desde que colocamos este blog em atividade na rede mundial de computadores. Iniciamos este trabalho evangelísito no Weblogger mas, por causa de problemas constantes com a conexão ao provedor, decidimos nos instalar aqui no Blogger.

Houve alguns momentos em que tive imensa vontade de encerrar a atividade do blog... por causa de dificuldades diversas e também por causa de alguns comentários maldosos e outros cheios de insultos que recebia no início... Mas sempre o meu Fiel Senhor - o Deus que cuida de mim e em quem primeiramente nasceu o desejo de realizar este trabalho, me enviava pessoas para me abençoar espiritual, moral e até financeiramente... E entendi que deveria prosseguir. O fato é que há muitos trabalhos que se dizem evangélicos na Internet, contudo, a grande maioria deles está repleta de mensagens completamente (ou quase isso) vazias de Deus. Nós, porém, temos nos esforçado para mantermos um compromisso exclusivo com a Verdade (João 8.32, 14.6) e por Ela estamos aqui até agora.

Atualmente, contamos com um site em atividade além deste blog (Experimente Jesus!) que, juntamente com este blog, mantêm cadastradas mais de duzentas pessoas que, diretamente, recebem diariamente mensagens devocionais (você também pode lê-las diariamente na seção "Devocionais"), além de um número ainda indefinido de pessoas que as recebem indiretamente através de amigos e irmãos que as repassam em seus locais de trabalho e também a seus conhecidos. Temos ainda os discipulados e aconselhamentos via MSN e e-mail. Já recebemos, para a honra e glória do Rei dos reis e Senhor dos senhores, testemunhos de vidas que receberam Jesus Cristo como único e suficiente Senhor e Salvador, bem como de pessoas que estavam em pecado de morte e se reconciliaram com a Igreja, e ainda outras tantas que têm recebido conforto espiritual e orações, através desse projeto que Deus nos tem ajudado a concretizar todos os dias.

Ao longo desses dezenove meses do blog "Te amo, meu Jesus!", recebemos visitas de pessoas das mais diversas denominações, e com os mais diversos pensamentos e formas de expressão. Contudo, com todas elas pudemos aprender algo útil para nossa edificação.

A todos que passaram por aqui, oferecemos essa pequena lembrança abaixo, como uma pequeníssima demonstração de nosso carinho pela sua participação entre as 30.000 pessoas que contribuíram conosco para a permanência deste trabalho.

A presença de vocês é impressindível e o carinho deixado por cada um em nossos Coments ou via e-mail não pode ser retribuído à altura, contudo, rogamos ao Senhor, o Deus Vivo (o motivo real deste nosso empenho em evangelizar) que Sua maravilhosa graça e suas ricas bênçãos recaiam abundantemente sobre todos.

Enquanto nosso Senhor permitir, estaremos aqui, nos esforçando e buscando nEle a inspiração para prosseguir levando adiante a mensagem que resgata, cura, liberta, transforma e salva o homem... pura e simplesmente a mensagem do Evangelho de Jesus Cristo. Amém!

Graças a todos... no amor do Senhor!

(copie o código abaixo e cole em seu blog)