domingo, 2 de julho de 2006

A eficácia da oração

A EFICÁCIA DA ORAÇÃO

Orar, embora pareça simples (e verdadeiramente o é para aqueles que têm a oração como necessária prática diária), é uma das atividades mais difíceis que uma pessoa pode realizar sobre essa terra... Contudo, é, porém, a mais poderosa e eficiente de todas!

Orar é muito mais que se ajoelhar e apresentar a Deus as causas que, aos nossos olhos, parecem impossíveis. Vai muito além de uma seção de “me dá!...” e “eu quero!...”.

A oração foi mola propulsora do ministério de todos os grandes homens narrados pela Bíblia. Nenhum deles conseguiu êxito em sua vida sem a prática da oração. E, quando agiram sem consultar o Senhor, isto é, sem compartilhar com Ele suas intenções e sem receber dEle a direção para tomar certas atitudes, provaram o fracasso e cometeram grandes erros (foi o caso de Saul, de Davi com Bate Seba, de Sansão com Dalila, por exemplo).

Mas é interessante observar que a Bíblia nos ensina a louvarmos a Deus, a sermos gratos em tudo, a estudar e pregar a Palavra, contudo, é para a oração, em especial, que utiliza a expressão “sem cessar”.

E não é por acaso nem somente para enfatizar o sentido da frase. Ao contrário: quem escreveu essa ordem já havia sofrido os mais diversos e intensos tipos de sofrimento, afronta e perseguição (narrados em 2Coríntios 11.1-33), mas estava convicto (por ter vivido na prática) do efeito sublime que a oração exerce na vida de um cristão.

Paulo, inspirado pelo Espírito Santo de Deus, deixou-nos essa maravilhosa instrução porque viveu momentos em que seus lábios foram encerrados por um período de tempo no qual ele não poderia nem ter acesso e nem ministrar a Palavra. Viveu, também, momentos em que seu canto também não se poderia ser entoado por voz... Houve, ainda, momentos de profunda angústia e sofrimento, em que a murmuração provavelmente lhe viesse ao coração (Paulo era homem como nós e sujeito às mesmas fraquezas). Contudo, a oração, em qualquer situação que ele se encontrasse, sempre poderia e deveria ser praticada. E era exatamente isso que lhe dava forças para continuar seu ministério honroso sobre a terra.

E isso nos faz recordar que o povo escolhido por Deus guerreia contra os piores e mais poderosos inimigos que alguém pode ter, isto é, a força maligna que domina o mundo (Efésios 6.12). Contudo, é também o único exército que guerreia e vence seus inimigos batalhando de joelhos!

Richard Wurmbrand, autor do livro Torturado por amor a Cristo, relata em sua obra que, somando todos os anos em que viveu preso por anunciar e praticar o Evangelho salvador de Jesus, totalizam-se quatorze anos de prisão. E relata que só sobreviveu a tantos sofrimentos e também à ausência de tudo o que se referia a Deus porque a presença do próprio Deus nunca lhe faltou devido à prática da oração. Puderam tirar tudo dele... contudo, o próprio Deus nunca lhe puderam tirar, porque Ele sempre Se fazia presente a Richard por meio da oração. Mesmo que não seja possível um genuflexo (para Richard não era, pois ajoelhar-se para orar diante dos guardas que o vigiavam era muito arriscado)... o cristão tem o poder sobrenatural de orar com sinceridade em espírito... e Deus sempre se faz presente!

João Batista, o maior de todos os profetas (afirmado pelo próprio Jesus em Mateus 11.11), um dia proferiu a seguinte necessidade sobre todos os que se prontificam a serem instrumentos para a exaltação do Senhor: “Convém que Ele cresça e que eu diminua.” (João 3.30)

Muitas pessoas acreditam que os maiores ministérios a serem desenvolvidos no Reino de Deus consistem em cantar ou pregar a Palavra. Contudo, tais ministérios exigem a evidência da pessoa de quem os exercem, isto é, logo serão conhecidas e começarão ao receber títulos e honras. E, em muitos casos – na maioria deles – serão mais adoradas que o próprio Deus, que é o fim de todo esse trabalho.

A oração, porém, permite ao cristão interceder, intervir, guerrear e vencer as mais violentas e intensas batalhas, sem que seu nome seja anunciado nem por e nem para ninguém. Em momentos onde só Deus recebe as petições e a gratidão e o louvor, Ele encontra maneiras para Se mover mais rapidamente e, conseqüentemente, para exaltar o Seu nome concedendo mais uma vitória sobre Seus filhos.

Há muitas pessoas que jamais foram reconhecidas como talentos dentro das igrejas. Porém, são estrelas de maior grandeza diante do Senhor, pelo simples fato de praticarem a oração intercessora, que abençoa, livra, ilumina, desperta, restaura, ministra cura e libertação, no nome de Cristo. Não têm suas vidas preciosas para si mas a utilizam para servir a Deus e abençoar outras pessoas.

A oração alimenta. Ela fortalece. Ela incentiva. A oração tem poder para impulsionar o cristão a continuar.

Quando joelhos se dobram com sinceridade e humildade diante de Deus, Ele Se levanta do Trono e Se coloca de pés para ouvir e atender, pois uma oração com essas qualidades move o coração do Senhor.

Deus tem prazer em ouvir os Seus filhos (Salmos 17.6). E quer que tenhamos essa prática de dialogar com Ele constantemente!

Para falarmos com autoridades humanas, precisamos esperar horas na sala de espera ou lutarmos arduamente para conseguirmos um horário em suas agendas lotadas!

Que maravilhosa graça é sermos cristãos e termos acesso direto ao Senhor Deus! Praticamos a oração constantemente e podemos nos dirigir à Autoridade Máxima do Universo em qualquer momento de nossas vidas, e em qualquer lugar! E o melhor: temos sempre a certeza que Ele nos receberá com todo prazer e nos dará Sua maravilhosa atenção o tempo que nos for necessário!

A oração é a chave que abre as portas da Sala do Trono de Deus para nós.


Que o Espírito Santo fale melhor ao teu coração...