domingo, 29 de outubro de 2006

Deus Vivo



Mas o anjo, respondendo, disse às mulheres: Não tenhais medo; pois eu sei que buscais a Jesus, que foi crucificado.

Ele não está aqui, porque já ressuscitou, como havia dito. Vinde, vede o lugar onde o Senhor jazia.

Ide pois, imediatamente, e dizei aos Seus discípulos que já ressuscitou dentre os mortos. (...)


E saindo elas pressurosamente do sepulcro, com temor e grande alegria, correram a anunciá-lo aos Seus discípulos.

E indo elas a dar as novas aos Seus discípulos, eis que Jesus lhes sai ao encontro, dizendo: Eu vos saúdo. E elas, chegando, abraçaram os Seus pés, e O adoraram.
(Mateus 28.5-9)

Jesus Cristo de Nazaré: o Filho de Deus!

Aquele tão esperado por todos para a redenção e salvação dos oprimidos do diabo e separados de Deus.

A Luz, o Caminho, a Verdade, a Vida, a Vitória, a Paz, a Esperança que não morre...

O Desejado, o Amado, o Esperado... o insubstituível e incomparável Senhor e Rei de todo o universo.

Quem já O encontrou, teve com Ele um encontro marcante, que mudou Sua história para todo o sempre.

A situação do mundo atual tem levado muitas pessoas a buscarem esse Jesus como um refúgio e uma razão para viver. Contudo, há um grande quantitativo de pessoas que buscam Jesus no nas riquezas, em rituais, em objetos, em amuletos, em estátuas, em figuras sem vida. Buscam Jesus em coisas mortas. Estão procurando Jesus em lugares onde Ele não pode ser encontrado.

Aquelas mulheres já tinham ouvido Jesus falar que morreria e ressuscitaria ao terceiro dia. Porém, não se deram conta desse glorioso acontecimento, mesmo vendo a pedra removida e o túmulo já vazio. Elas ainda procuraram o Deus vivo no lugar onde jazem os mortos.

O próprio Jesus já advertia: “Ora, Deus não é de mortos, mas sim, é Deus de vivos. Por isso vós errais muito.” (Marcos 12.27)

Mas constantemente observamos pessoas se curvando diante de imagens e outros objetos, dando-lhes honras e glórias que jamais lhes pertenceram, primeiramente pelo fato de o Senhor ter expresso claramente:

Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus.” (Êxodo 20.4-5)

Disse também:

Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a Ele servirás.” (Mateus 4.10)

Eu sou o Senhor; este é o Meu nome; a Minha glória, pois, a outrem não darei, nem o Meu louvor, às imagens de escultura.” (Isaías 42.8)

Em segundo, não merecem nenhuma reverência, pelo fato de serem simples objetos, que “são obra das mãos dos homens. Têm boca, mas não falam; têm olhos, mas não vêem; têm ouvidos, mas não ouvem; nariz têm, mas não cheiram. Têm mãos, mas não apalpam; têm pés, mas não andam; nem som algum sai da sua garganta.” (Salmos 115.4-8)

As bênçãos inesgotáveis e eternas só podem vir do Deus Vivo. O próprio Jesus alertou Seus discípulos sobre isso, em Mateus 24.23-24:

Então, se alguém vos disser: Eis que o Cristo está aqui, ou ali, não lhe deis crédito; porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos.

O diabo envia seus súditos a todas as partes do mundo para iludirem as pessoas, fazendo-as acreditar que há poder e milagres em objetos, imagens, esculturas, animais e pessoas (tão humanas, pecadoras e limitadas quanto nós):

Tais falsos apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo. E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz.” (2Coríntios 11.13-14)

Há, ainda, pessoas que colocam sua fé em outras pessoas. Há mesmo que se considere ser a representação de Deus na terra e ser realmente digno de ser reverenciado com honras e louvores dos homens.

A Bíblia, porém, nos ensina que todos estávamos injustos perante Deus e designados a sermos condenados para a eternidade (Romanos 3.9-12,23). Estamos mortos se não temos Jesus Cristo como o Senhor das nossas vidas e, portanto, nenhum de nós é digno de ser adorado de maneira alguma, ou de receber o direcionamento da fé dos homens.

O único substituto de Cristo na terra foi indicado pelo próprio Senhor Jesus: é o Espírito Santo de Deus.

"E Eu rogarei ao Pai, e Ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre; o Espírito da Verdade, que o mundo não pode receber, porque não O vê, nem O conhece; mas vós O conheceis, porque habita convosco e estará em vós. Não vos deixarei órfãos; voltarei para vós." (João 14.16-18)


"Mas, quando vier o Consolador, que Eu da parte do Pai vos hei de enviar, aquele Espírito da verdade, que procede do Pai, testificará de mim." (João 15.26)

Que ser humano ou objeto já esteve com Cristo e poderia testificar sobre Ele? Que ser humano seria capaz de convencer o homem do pecado, da justiça e do juízo, se todos estão sob o pecado, foram justificados por Deus para se livrarem do juízo?

Essa responsabilidade de nos guiar e abençoar foi dada ao Espírito Santo, porque somente Ele esteve com Deus desde antes do início de tudo (Gênesis 1.1-2).

"Todavia, digo-vos a verdade: que vos convém que Eu vá, porque, se Eu não for, o Consolador não virá a vós; mas se Eu for, enviar-vo-lo-Ei. (...) Mas quando viver aquele Espírito da verdade, Ele vos guiará em toda a verdade, porque não falará de Si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará o que há de vir." (João 16.7,13)

Só o Espírito Santo é a pessoa Onipotente, Onipresente e Onisciente do Deus Vivo e, portanto, é a única capaz de representar Jesus em todos os lugares, ao mesmo tempo e ciente de tudo o que acontece sem que um só fato escape ao Seu conhecimento. Sobre qual ser humano que já existiu, exista ou venha existir nós poderíamos afirmar o mesmo? Realmente alguém que não pode estar em dois lugares ao mesmo tempo (que dirá em todo o mundo!), nem ouvir e assimilar duas histórias ao mesmo tempo (que dirá as vozes de toda a humanidade juntas!), nem fazer duas ou três obras ao mesmo tempo (que dirá cuidar da vida de todos os seres humanos juntos!)... quem não pôde salvar nem a si mesmo teria mesmo poder para salvar outra pessoa?

Os capítulos 36 e 37 do livro de Isaías nos conta sobre o cerco de Senaqueribe envolta de Jerusalém. Os assírios afrontavam os moradores de Jerusalém, dizendo:

Não vos engane, Ezequias, dizendo: O Senhor nos livrará. Porventura, os deuses das nações livraram cada um a sua terra das mãos do rei da Assíria? Onde estão os deuses de Hamate e de Arpade? Onde estão os deuses de Sefarvaim? Porventura, livraram eles a Samaria das minhas mãos? Quais são eles, dentre todos os deuses desses países, os que livraram a sua terra das minhas mãos, para que o Senhor livrasse a Jerusalém das minhas mãos? (...) Eis que já tens ouvido o que fizeram os reis da Assíria a todas as terras, destruindo-as totalmente; e escaparias tu?” (Isaías: 36.18-20; 37.11)

As nações que Rabsaqué citou eram idólatras. Elas tinham confiança em deuses feitos por mãos de homens (igualmente à grande maioria das pessoas que professam fé atualmente seguindo imagens de esculturas). E padeceram grandemente nas mãos dos exércitos Assírios porque confiaram em deuses mortos, sem vida, incapazes de ouvi-las ou atendê-las.

Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor!” (Jeremias 17.5). Esta é a declaração do Senhor para o povo que coloca a sua confiança e crença no que não tem vida e não é Deus. E a maldição, a derrota, a desgraça, foi o resultado da crença inútil das nações idólatras nas mãos dos Assírios, que hoje, é uma representação do mundo mau e da força maligna de satã.

Quando se dirigiram a Jerusalém, os Assírios pensavam que estavam lidando com pessoas idólatras que depositavam sua fé em objetos e os endeusavam. Contudo, Ezequias orou ao Deus Vivo (Isaías 37.15-20) e recebeu uma resposta vitoriosa:

Quanto ao que me pediste acerca de Senaqueribe, rei da Assíria, esta é a palavra que o Senhor falou a respeito dele: a virgem, a filha de Sião, te despreza e de ti zomba; a filha de Jerusalém meneia a cabeça por detrás de ti. A quem afrontaste e de quem blafemaste? E contra quem alçaste a voz e ergueste os olhos ao alto? Contra o Santo de Israel! (...) Mas Eu conheço o teu assentar, e o teu sair, e o teu entrar, e o teu furor contra Mim. Por causa da tua raiva contra Mim e porque a tua arrogância subiu até aos Meus ouvidos, eis que porei o Meu anzol no teu nariz e o Meu freio, nos teus lábios e te farei voltar pelo caminho por onde vieste...

Deus – o Senhor Jeová, o único Deus Vivo – recebeu a oração do Seu servo, Se comoveu e atendeu o seu clamor. E o Anjo do Senhor feriu o arraial dos assírios, e venceu a peleja pelos de Jerusalém, que serviam ao Poderoso Deus Eterno.


Quando nos convencemos que nossa fé deve estar respaldada por um Deus ativo, vivo e forte... quando realmente entendemos que Jesus ressuscitou dos mortos e que, por isso, temos direito a um futuro de paz e vida, nós nos prontificamos a anunciar e repartir essas boas-novas com outras pessoas. Essa foi a ordem do anjo para aquelas mulheres à porta do sepulcro:

Ide, pois, imediatamente, e dizei aos Seus discípulos que já ressuscitou dentre os mortos.” (Mateus 28.7)
É isso o que estou fazendo agora...

E que gloriosa experiência para nós é contemplar a surpresa seguida de um grande alívio para uma alma que recebe essa notícia maravilhosa! Que há vida em Jesus, que há esperança, sim! Que há um mover real de um Deus que é Vivo e que Se preocupa em cuidar bem dos Seus filhos... e que Ele cuida sem querer nada em troca além da nossa confiança nEle e a nossa obediência somente a Ele (nada mais justo – porque Ele é um Pai zeloso e cheio de amor, bondoso e fiel!... Nada mais justo!).

Como aquelas mulheres, quando buscamos o Deus Vivo, o próprio Deus sai ao nosso encontro, como foi ao encontro delas e nos abençoa, como também as abençoou no caminho, dizendo: “Eu vos saúdo.” (Mateus 28.9)

Essa saudação, vinda do Cristo Vivo, faz total diferença em nossas vidas, porque quando o Senhor vem ao nosso encontro, Ele traz Consigo a vida de esperança e de paz que excede todo entendimento. Ele traz saúde para todos os seguimentos da nossa vida e nos abençoa com bênçãos que ficam, que são realmente válidas, que fazem sentido e permanecem.

Quando nos deparamos com o Cristo ressurrecto – e não com aquela imagem estendida sobre uma cruz e com um rosto abatido e uma aparência de derrota – nós não pensamos noutra atitude se não abraçar os Seus pés e adorá-lo. Foi assim que aquelas mulheres agiram quando deixaram de procurar Jesus entre os mortos para encontrá-Lo glorioso e com vida (Mateus 28.9).

Há muito Jesus saiu daquela cruz. Ele já não está mais pendurado lá (como querem muitos que ainda sustentam aquela imagem de maldição), mas ressurgiu glorioso trazendo vida aos cansados e sobrecarregados.

Aquelas mulheres entenderam que nem mesmo a morte pôde deter Jesus. Elas reconheceram que “todas as nações são como nada perante Ele; Ele considera-as menos do que nada e como uma coisa vã. A quem, pois, fareis semelhante a Deus ou com que O comparareis?” (Isaías 40.17-18). É Ele mesmo quem diz: “Sou Eu apenas Deus de perto, diz o Senhor, e não também Deus de longe? Esconder-se-ia alguém em esconderijos, de modo que Eu não o veja? – diz o Senhor. Porventura, não encho Eu os céus e a terra? – diz o Senhor.” (Jeremias 23.23-24). Com um Deus assim, realmente, não devemos depositar nossa fé em lugares, pessoas ou objetos mortos. Ninguém mais merece a nossa atenção além dEle...

E isso me faz lembrar uma história simples que nos transmite intensa lição sobre o lugar que Deus deve ocupar em nossas vidas:

Certa vez, perguntaram a um menino:

__ Quantos deuses existem?

Ele prontamente respondeu:

__ Só existe um Deus, o verdadeiro Deus.

__ Como você sabe que só existe um?

__ É porque não há lugar para outros. A Bíblia diz que Deus enche o céu, a terra e todas as coisas!

Essa é uma verdade simples e prática da revelação da Bíblia. Deus não é único, como Ele enche todas as coisas. Sendo assim, não seria Ele capaz de encher seu vazio interior, dando sentido à sua vida? Não seria Ele capaz de encher sua mente, eliminando dela pensamentos negativos? Não seria capaz de encher seu coração, tirando toda amargura, frustração, insatisfação e temor?

Sim, Ele é o Deus Vivo!

Ele pode.

E quer.

Experimente!