sábado, 10 de novembro de 2007




Que loucura!” – Alguém pode comentar. “Que Deus é esse que nos instrui a amar e abençoar aqueles que cavam a nossa cova e fazem de tudo para nos ver cair nela, quando não nos lançam com suas próprias mãos dentro dela?

Permita-me te apresentar esse Deus: Ele é aquele que usa “as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias, e que escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes” (1Coríntios 1.27). É o mesmo Deus para quem nada é impossível (Mateus 19.26; Marcos 10.27; Lucas 1.37). É o Deus que “levanta o pobre do pó, e desde o monturo exalta o necessitado, para o fazer assentar entre os príncipes, para o fazer herdar o trono de glória; porque do Senhor são os alicerces da terra, e assentou sobre eles o mundo” (1Samuel 2.8). É o mesmo Deus que “eleva os humildes, e abate os ímpios até a terra” (Salmos 147.6).

Quando Paulo escrevia o verso 14 do capítulo 12 de sua carta aos romanos, ele sabia bem de que Deus estava falando... e conhecia exatamente o motivo pelo qual devemos agir contra os protocolos do mundo.

No mundo há quem nos ensine que o mal que nos fazem deva ser pago com a mesma moeda. Mas Deus nos ensina que a justiça somente a Ele pertence, porque somente Deus consegue ver o futuro e as possibilidades que nele há.

Paulo foi um grande perseguidor da igreja de Deus. Ele humilhava e prendia servos de Deus, quando não, participava de assassinatos de cristãos da igreja primitiva. Se os nossos irmãos da igreja primitiva tivessem tratado Paulo com o mesmo rigor pelo qual foram tratados por ele, certamente não teríamos as cartas aos romanos, aos coríntios, aos efésios, aos gálatas, colossenses, tessalonissenses, a Tito, a Timóteo, a Filemon, aos filipenses. Contudo, em vez de revidar-lhe as agressões com mais agressões, os irmãos da igreja perseguida por Saulo de Tarso certamente oravam para que Deus lhe desse uma nova oportunidade para conhecer o Evangelho e ser salvo por Jesus. Porque foi assim que Jesus nos ensinou:

Amai aos vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está no Céu.” (Mateus 5.44; Lucas 6.27,35).

Em algum momento, Deus atenderia às orações dos Seus justos, porque ela pode muito em seus efeitos (Tiago 5.16). Ele tinha Saulo como um vaso escolhido (Atos 9.15) e fez daquele perseguidor implacável da igreja o evangelizador do mundo.

Algum daqueles cristãos poderia prever isso?

Certamente que não.

Da mesma maneira que nenhum de nós pode prever o que Deus fará na vida daquele irmãozinho ou daquela irmãzinha que anda levantando falso testemunho contra nós dentro da congregação. Da mesma maneira que não podemos definir o que Deus determinará para a vida daquela pessoa que nos humilhou e falou palavras ásperas e entristecedoras ao nosso coração. Da mesma maneira que não podemos calcular a dimensão e a profundidade dos projetos de Deus para a vida daqueles que se levantaram contra nosso ministério e, de alguma forma, se deixaram influenciar pelo mal para nos fazer esmorecer e desistir.

Lembre-se: você desconhece os planos de Deus para a vida das pessoas no mundo, assim como eles também os desconhecem a teu respeito.

José era um homem bom e reto, mas foi lançado dentro de um poço. Contudo, seus irmãos, que lhe fizeram tanto mal, não sabiam que estavam colocando no fundo daquele poço o futuro de Israel e do Egito.

Não foi Moisés que lançaram em um rio dentro de um cestinho de vime. Aquele era muito mais que um simples bebê: era o líder da nação mais poderosa do mundo, e o autor do Gênesis, do Êxodo, do Levítico, do Números e do Deuteronômio.

Não era Paulo somente um a mais na história da perseguição da Igreja. Mas alguém que se tornaria um dos maiores evangelistas do mundo após Jesus Cristo.

Não é apenas um irmãozinho que te ofende e persegue hoje. Pode ser que se trate de alguém que levará a tua cidade, ou o teu país à presença de Cristo amanhã.

Então, como você desconhece os planos de Deus, confie que o Senhor tem o melhor para fazer em cada vida. E assim, ore pelos que te ofendem, abençoe aos que te perseguem, e não os amaldiçoe.

Você pode não entender hoje, mas Deus tem sempre um porquê irrefutável.


Que o Espírito Santo fale melhor em teu coração...

No amor de Cristo.