domingo, 25 de outubro de 2009

MAIS QUE VENCEDORES





Vencedores ganham medalhas de ouro. Mais que vencedores ganham coroas de glória.

Vencedores cruzam linhas de chegada. Mais que vencedores cruzam os portões celestiais.

Vencedores vencem competições. Mais que vencedores vencem o mundo.

Vencedores são reconhecidos pelos homens. Mais que vencedores são reconhecidos por Deus, a Autoridade Máxima do universo.

Vencedores empregam todas as suas forças para vencer. Mais do que vencedores descansam no SENHOR enquanto Ele luta por nós.

Vencedores mudam de status. Mais que vencedores mudam de vida.

Vencedores conquistam bens. Mais que vencedores recebem a salvação.

Os mais que vencedores têm tudo o que os vencedores têm, porém seus fundamentos e propósitos estão voltados para a eternidade. E isso é o que lhes faz ir mais adiante que tudo o que as vitórias deste mundo podem oferecer. É um grupo formado por vencedores que foram além das conquistas e das condições de vencedor. Contudo, não chegaram lá sozinhos. Foram pela Graça do SENHOR, Aquele que nos amou.

E é exatamente esse o fundamento pelo qual nada poderá nos separar do amor do SENHOR. Foi a vitória que Ele conquistou que nos tornou mais que vencedores. Se fosse mérito nosso, se nós tivéssemos amado a Deus primeiro, considerando nossa ignorância, fraqueza e limitação, a qualquer momento poderíamos dar esse amor por encerrado. Mas porque Deus é eterno, Seu amor também é sem limites.

É por isso que, diferentes dos vencedores que, quando não vencem ficam abatidos e solitários, os mais que vencedores, quando se frustram ou enquanto enfrentam grandes adversidades, ainda têm uma palavra de ânimo e esperança para consolar os outros ao seu redor.

É que o seu conceito de vitória é diferente do conceito de vitória do mundo dos vencedores.

O conceito de vitória do mundo resume-se em ter um bom emprego, boa casa, bons carros, fazer grandes viagens, ter muito luxo, diplomas e relações influentes, realizar todas as próprias vontades, sexo livre, músicas profanas, e outras coisas nesse seguimento. Mas nada disso traz Paz, preenche o homem, transforma a alma, dá significado à vida, simplesmente porque não confere com a vontade perfeita do Deus que é Perfeito e Santo.

Segundo a Bíblia, e de fato o é, vitória consiste em esperar no SENHOR (Isaías 40.31), obedecer ao SENHOR (Deuteronômio 29.9), amar ao SENHOR (Mateus 10.37-39), buscar ao SENHOR (Mateus 6.33), andar com o SENHOR (Mateus 7.13-14). É assim que a alma do homem será satisfeita e viverá em Paz aqui (João 14.27), seus passos o guiarão para a eternidade de triunfo, seus momentos de adversidade aqui serão superados com esperança. Só dentro desses parâmetros é que o vazio do homem será preenchido por doce alegria. Só assim o homem será bendito em todos os lugares por onde andar. Pois é só assim que ele conseguirá a aprovação de Deus e se tornará alguém acima do pódio, além do primeiro lugar aqui. Alguém mais que vencedor por Cristo Jesus, Aquele que nos amou.

Mas o que faz dos salvos em Jesus não apenas vencedores, mas mais do que vencedores?

(1) Somos mais do que vencedores porque estamos livres das acusações do maligno (“Quem fará alguma acusação contra os escolhidos de Deus?” - Romanos 8.33).

O passado e as imperfeições não podem mais ser lançados em nossos rostos. Na cruz Jesus quebrou o direito do maligno humilhar a pessoa humana que vive no SENHOR e desprezá-la como se não tivesse nenhum valor, como se fosse inválida e sem futuro algum, como se o seu passado pudesse fosse uma bomba relógio preste a explodir a qualquer momento. Já foi. Não é mais! Em Cristo Jesus, ela foi detonada. Ele foi moído por causa das nossas iniqüidades (Isaías 53.5). E Deus lançou todos os estilhaços no mais profundo mar, de onde ninguém mais poderá retirar e voltar a nos acusar (Miquéias 7.19).

(2) Somos mais do que vencedores porque estamos livres da condenação eterna (“Quem os condenará?” – Romanos 8.34)

“Agora já não há condenação para aqueles que estão em Cristo Jesus, porque por meio de Cristo Jesus a lei do Espírito de vida” nos libertou do pecado e da morte (Romanos 8.1-2). O pecado que nos condenava foi detido em Cristo. Quando estávamos mortos em pecado e na incircuncisão da nossa carne, Deus nos vivificou com Cristo. “Ele nos perdoou todas as transgressões, e cancelou a escrita de dívida, que consistia em ordenanças, e que nos era contrária. Ele a removeu, pregando-a na cruz...” (Colossenses 2.13-14).

Se nunca tivéssemos cometido um único pecado desde que nascemos até hoje, ainda assim estaríamos condenados por causa da herança do pecado de Adão que contaminou toda a humanidade (Romanos 5.12). E ainda assim precisaríamos do sacrifício de Cristo. Mas como todos nós erramos diariamente, muito mais ainda precisamos do Eterno Jesus para nos justificar (1João 2.1,2,12). E é por causa dEle – de Jesus – que nenhuma condenação pode nos abraçar. O abraço de amor e remissão do SENHOR nos envolveu primeiro.

(3) Somos mais do que vencedores porque recebemos de Deus todas as condições para resistirmos a tudo – inclusive ao pecado – até chegarmos ao Céu (“Quem nos separará do amor de Cristo?” – Romanos 8.35)

Vencedores são aqueles que estão providos de todos os bens materiais possíveis e, pela força humana podem ser ordenados grandes. Porém, mais que vencedores são aqueles que, ainda que passando por lutas severas, permanecem estáveis no meio das aflições da vida, sabendo adaptar-se a toda e qualquer circunstância. Sabem o que é passar necessidade e sabem o que é ter fartura. Aprenderam “o segredo de viver contente em toda e qualquer situação, seja bem alimentado, seja com fome, tendo muito, ou passando necessidade.” Tudo podem nAquele que lhes fortalece (Filipenses 4.11-13).

Mais que vencedores não se contaminam pelo pecado. E, se pecam, logo se arrependem e buscam o perdão do Pai Celestial através de Cristo Jesus. Ninguém está isento de errar, mas só os mais que vencedores buscam a ajuda do SENHOR e renunciam seu direito de continuar na prática do pecado, de fruir libertinamente do livre-arbítrio que receberam. Mais que vencedores não negociam – jamais – sua fé.

E mais que vencedores não se contentam somente com esse mundo aqui, nem esperam de Cristo somente para esta vida, pois não querem ser comparados com os mais miseráveis de todos os homens (1Coríntios 15.19). Sua visão é eterna, como eterna é a visão do seu Pai que está no Céu. Aprenderam isso com Ele, numa caminhada diária de preparação para a vida futura. Não têm apego a este mundo porque sabem que o mundo que lhes espera não pode ser comparado com nada do que vemos, ouvimos ou imaginamos (1Coríntios 2.9), tamanha é a sua superioridade em glória, e tamanha é a glória que em nós há de ser revelada (Romanos 8.18).

Mas viver dessa esperança não é para qualquer um. Não é de se admirar que muitos desistam dessa jornada pelo caminho e deixem a cruz. Só os corajosos persistem em viver pela fé até o fim (Romanos 1.17). E é mesmo preciso usar muito da força de vontade que recebemos do SENHOR para sermos chamados de loucos porque vivemos a todo custo esse estilo de vida baseado em santidade, haja o que houver, enfrentando o mundo inteiro para não nos desviarmos do alvo que é Jesus nem permitir que nada nos separe do grande amor de Deus.

Não foi à toa que o SENHOR ousou ir além e conferiu aos Seus fiéis o brasão de mais do que vencedores.

Façamos por onde honrar esse privilégio.