sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Um abraço muito importante!




UM ABRAÇO MUITO IMPORTANTE



“Abrace o macaco.
Abrace apertado.
Abrace o macaco
até ter melhorado!”


Esse refrão é recitado pelas crianças em diversos episódio do desenho do Poko, um boneco de massinhas que vive em companhia do seu fiel cãozinho Minus e do sr. Murphy, seu macaquinho de brinquedo.*

Hoje, assisti uma história em que Poko inventou uma máquina de fazer bolinhas coloridas. De um lado, ele colocava giz de cera e, do outro, saía uma bolinha para Poko e Minus brincarem.

Mas Poko se empolgou tanto com a brincadeira, que despejou todo o balde de giz de cera dentro da máquina. E você já deve ter imaginado o que aconteceu... A máquina de bolinhas enlouqueceu e começou a cuspir bolinhas coloridas aos montões. O quarto de Poko ficou coberto de bolinhas de giz de cera.

Desolado, o menino sentou-se na cama tentando descobrir como retiraria todas aquelas bolinhas dali. Parecido com você e comigo, quando a vida faz nossos planos desandarem. Quando nos empolgamos muito com coisas que pareciam ser tão certas e boas para nós e elas nos decepcionam. Quando parecemos ter perdido o controle de toda a situação... (É que, de fato, nunca tivemos esse controle de nada!).

Se as paredes de nosso quarto pudessem falar, certamente teriam muito a contar sobre nossas frustrações, nossos momentos de desespero, nossos clamores e, porque não, nossa alegria e gratidão sendo expressadas em lágrimas aos pés do SENHOR. Mas se as paredes do nosso quarto pudessem ver, veriam o Espírito Santo sentado ao nosso lado, em todos esses momentos.

Foi nesse momento de frustração que o narrador da história de Poko deu-lhe uma sugestão, dizendo: “Poko, abrace o macaco. Abraços ajudam quando precisamos tomar decisões e não sabemos o que fazer.”

E foi essa frase que toco meu coração, como o insight da vez. Como a luz que é acesa repentinamente quando estamos em um lugar muito escuro. Como o braço que enlaça nossa cintura e nos puxa para cima quando começamos a cair precipício abaixo.

Um abraço ajuda.
Ajuda sempre!

A nossa vida é feita de escolhas e decisões. E nem sempre acertamos (ou quase sempre erramos). Mas você já imaginou como seria o mundo se os homens aprendessem a fazer as coisas certas e, em vez de tentar agradar a ou b estabelecessem as prioridades exatas? Se, em vez de se apressarem executando projetos imediatos que lhes trazem os aplausos dos homens ainda em vida, aprendessem a tomarem as decisões corretas, ainda que seus resultados só pudessem ser vistos a longo prazo? Já pensou como o mundo seria se os homens aprendessem a tomar os conselhos do SENHOR?

Jesus foi um desses exemplos de quem renunciou o imediatismo e trabalhou com prioridades, ainda que precisasse morrer para que o resultado do Seu penoso trabalho respondesse da forma correta. E, de fato, Ele morreu.

Mas, como seria possível essa mudança em nós, em meio a tanto orgulho, egoísmo e interesses pessoais que movem os homens desde a queda de Adão? Precisaríamos de um auxílio sobrenatural para aprendermos a vencer nosso ego e o pecado em nós, não é?

A resposta é “Sim!”. E foi sabendo disso que Deus nos enviou o Espírito Santo. Ele é a companhia que precisamos para nos socorrer em todas as nossas escolhas e decisões, para nos ensinar a fazer o que é certo.

Quebramos a cara com muitas coisas, nos decepcionamos com muita gente, nos desiludimos até com a própria vida, pelo simples fato de não consultarmos o SENHOR ou, se o fazemos, não levamos a sério as Suas instruções.

Mas os braços do SENHOR ainda nos esperam. Podemos ser abraçados, nos sentir Seus filhos e, no calor dos braços do Pai, conhecer a direção correta que devemos tomar.

Abraços ajudam quando precisamos tomar decisões e não sabemos o que fazer. Abraços da pessoa certa ajudam ainda mais. Por isso, Jesus instruiu Seus discípulos assim: “Quando você orar, vá para o seu quarto, feche a porta, e ore ao seu Pai...” (Mateus 6.6 - NVI). Ele, mais do que ninguém, sabe a importância e o significado de se receber um abraço de Deus em oração. (Lucas 22.43-44)

Mas o abraço do SENHOR não está disponível apenas para o bom filho que busca assiduamente momentos de intimidade e comunhão com o Pai Eterno. Não. O filho pródigo também provou o amor do abraço de Deus e, certamente compreendeu que a melhor decisão da sua vida foi retornar à casa do Pai, de onde ele nunca deveria ter saído. (Lucas 15.18-20)

O abraço de Deus faz isso também. Ele acolhe os filhos que estão em casa e aqueles que fugiram da família eterna mas que agora querem voltar e recomeçar. Ele garante que há esperança para o viciado, para a pessoa que se prostitui, para o homossexual, para o mentiroso, para o idólatra, para o infiel, para o criminoso, para quem quiser e buscar o perdão e o recomeço em Deus:

‘Voltem-se para Mim e Eu voltarei para vocês’, diz o SENHOR dos Exércitos.” (Malaquias 3.7 - NVI)

‘Então vocês clamarão a Mim, virão orar a Mim, e Eu os ouvirei. Vocês Me procurarão e Me acharão quando Me procurarem de todo o coração. Eu Me deixarei ser encontrado por vocês’, declara o SENHOR, ‘e os trarei de volta do cativeiro’.” (Jeremias 29.12-14 - NVI)

O abraço de Deus não só nos ajuda a acalmar e decidir pelo que é melhor, mas também nos ajuda a confrontar nossos interesses, valores e motivações com “tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama” (Filipenses 4.8 - ACF).

Portanto, não vamos mais nos demorar em buscar o conforto do colo do Pai, todos os dias, a cada escolha que tivermos que fazer, a cada decisão que tivermos que tomar. O Espírito Santo está aqui ainda. E não está por acaso.

A qualquer momento que olharmos para a cruz, veremos que a maneira como Cristo morreu sobre ela – de braços abertos – simboliza o grande e terno amor de Deus nos oferecendo Seu abraço, a todos nós e a todo instante, por meio do Consolador, o nosso amigo fiel de todas as horas.

Suas palavras são o insight para a vida. São a luz acesa repentinamente quando estamos em um lugar escuro e desconfortável. São os braços que enlaçam nossos corpos e nos impedem de cair no abismo enquanto tentamos subir até o tipo da montanha.

Esse abraço ajuda (e como!).
E ajuda sempre! (Aleluia!)

Mas antes de concluir, deixe-me contar a você como terminou a história do Poko. Depois de espairecer abraçado com seu macaco, ele tocou com sua mão no focinho do cachorro e Minus começou a encostar o focinho nas bolinhas. Elas foram desaparecendo uma a uma e o quarto de Poko voltou a ser limpinho e organizado outra vez.

Não espere que o SENHOR faça o que você tem que fazer. Ele nos dá Seu abraço, nós Lhe entregamos nossas dúvidas e medos. Ele espairecerá nossas mentes e coração e nós já podemos agir com segurança. Ele indicará a melhor escolha e nós executaremos o serviço. Ele nos dá a direção, mas os pés que caminharão serão os nossos.

Ele nos dará Graça para fazermos isso também.

Que Ele mesmo console e direcione o seu coração.

E não se esqueça: ande sempre de mãos dadas com o SENHOR, mas nas horas de desencanto, de dúvidas, medo e dor...

Abrace o Espírito!
Abrace apertado.
Abrace o Espírito
até ter melhorado!

Ele é a solução que estava guardada em nosso interior e veio à tona. É o interruptor bem ao nosso lado. Ele é o Dono dos braços que não nos negam segurança e direção para escalarmos a vida e alcançarmos o Céu.

“Que o amado do SENHOR descanse nEle em segurança, pois Ele o protege o tempo inteiro, e aquele a quem o SENHOR ama descansa nos Seus braços.”
(Deuteronômio 33.12)


Em Cristo.

_______________________

(*) Poko é um desenho animado exibido diariamente pela TV Brasil (canal 2) que, juntamente com outros programas e desenhos infantis apresentados ao longo do dia (como Pandorga, Co-co-ri-co, Angelina, Thomas, Vila Sésamo), educa e ensina a criança valores, moral, cultura e afeto, temas estes que foram há muito tempo perdidos nos desenhos animados e programas infantis exibidos pelos principais canais abertos da tv brasileira, que mais deseducam e pervertem do que constroem bases sólidas capazes de formar pessoas de bem.