quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Como o ipê rosa




Dia desses, quando eu voltava do trabalho, num momento de reflexão profunda sobre a minha vida, o SENHOR me mostrou algo que falou intensamente ao meu coração. É uma paisagem que eu vejo todos os dias, há quase nove anos, mas que, naquele dia, gritou um pouco mais alto e conseguiu finalmente chamar minha atenção de forma muito especial.

É um campo aberto, forrado pelo cerrado. A vegetação está bastante seca (o inverno no planalto central castiga severamente!), com alguns focos de queimadas recentes aqui e a li. Entre uma grande jazida e um córrego bastante poluído estava um pé de ipê rosa, ainda pequeno, mas já florido.

Foi isso o que avistei e que me chamou tanto a atenção, primeiro pelo belo contraste que ele estava provocando com aquela paisagem seca, monótona e áspera. Segundo, porque o ipê rosa floresce abundantemente de junho a agosto, e prefere climas mais quentes, porém num inverno seco e ameno. [Wikipédia]

Em nossas vidas, também temos nossos invernos. Eles são secos, frios, desagradáveis, irritantes. Só Deus mesmo para conseguir relatar fielmente o desespero em que nossas almas por vezes passam. Se as paredes de nossos quartos pudessem falar, contariam das muitas crises que já testemunharam, e dos rios de lágrimas que por vezes se formaram, externando dores e angústias que quase nos levaram a um surto.

No exato momento em que meu coração inquietava-se diante de algumas circunstâncias que têm me feito chorar muito, o SENHOR usou um ipê rosa para me contar sobre os Seus cuidados para com Seus filhos e a importância destes para o mundo.

Os filhos de Deus são pessoas iluminadas, que fazem a diferença por onde passam. Contrastam com o mundo perdido; jamais se confundem com ele. São pessoas simples, mas avistadas de longe – exatamente como eu vi aquele ipê florido, solitário, lá no meio do cerrado seco e sem vida. Eles são exceções no meio de uma geração corrupta e perversa (Filipenses 2.14-16; 1João 3.6-10).

Além disso, o poder e o amor do SENHOR mantém Seus santos filhos com uma canção, com um coração alegre em Deus e com uma formosura diante do mundo, mesmo em tempos de seca, como esse estio espiritual em que estamos vivendo hoje.

Nossa primeira vontade quando em tempos de crise pessoal ou social é correr, fugir, mudar de lugar, mudar de vida. Mas o SENHOR nos convida a sermos como ipês rosas, e a permanecermos no lugar onde Ele nos plantou, mesmo havendo ali um grande inverno.

Nesta batalha não tereis que pelejar; postai-vos, ficai parados, e vede a salvação do Senhor para convosco, ó Judá e Jerusalém. Não temais, nem vos assusteis; amanhã saí-lhes ao encontro, porque o Senhor será convosco.” (2Crônicas 20.17)

E eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai; ficai, porém, na cidade de Jerusalém, até que do alto sejais revestidos de poder.” (Lucas 24.49)

Ou melhor, o SENHOR nos convida a sermos como o ipê rosa que eu vi, que diferentemente dos ipês, que florescem num inverno seco e ameno [Wikipédia], ele escolheu florescer num deserto seco mas não tão agradável assim. Aqui em Brasília é seco demais. No último dia 10 a umidade do ar chegou a 7%, e isso está bem longe do mínimo que deve ser de 40%. Além disso, estamos enfrentando um imenso frio por aqui. Somem-se a isso muitas queimadas, muita poeira e muita ventania. Mas o ipê estava lá, florido, embelezando a feiúra do lugar onde nasceu.

É muito fácil florescermos em estações agradáveis, quando tudo vai bem em nossas vidas, quando o dinheiro sobra e as amizades são constantes. É agradável até, sermos mais um na multidão dos “bonzinhos”, que têm muito a distribuir e o fazem com um largo sorriso estampado no rosto. Mas a verdadeira essência e motivação das nossas almas se revelam quando no inverno, onde tudo é escasso – dinheiro, amigos, saúde, bens, sorrisos, ânimo, conquistas, faltam em grande escala. Esse é o momento em que nossa verdadeira identidade é revelada.

De onde virá nossa força? Como podemos, com tantas necessidades, ajudar alguém? O que será capaz de trazer um sorriso sincero em nossos rostos diante de tantas adversidades que esse inverno rigoroso e impiedoso nos trouxe? O que pode sustentar nossa esperança?

A Palavra de Deus nos responde: o próprio Deus, a essência da vida em nosso interior, correndo no tronco da árvore e fazendo-a manter-se florida, verdejante, em contraste com a paisagem seca e feia que a cerca.

Como é feliz aquele [...] cuja satisfação está na lei do SENHOR, e nessa lei medita dia e noite. É como árvore plantada à beira de águas correntes: dá fruto no tempo certo e suas folhas não murcham. Tudo o que ele faz prospera!” (Salmos 1.1-3)

Ele [o SENHOR] os conduziu pelo imenso e pavoroso deserto, por aquela terra seca e sem água, de serpentes e escorpiões venenosos. Ele tirou água da rocha para vocês, e os sustentou no deserto com maná, que os seus antepassados não conheciam, para humilhá-los e prová-los, a fim de que tudo fosse bem com vocês. Não digam, pois, em seu coração: ‘A minha capacidade e a força das minhas mãos ajuntaram para mim toda esta riqueza’. Mas, lembrem-se do SENHOR, o seu Deus, pois é Ele que lhes dá a capacidade de produzir riqueza [...]”. (Deuteronômio 8.15-18)

Não confio em meu arco, minha espada não me concede a vitória; mas Tu nos concedes a vitória sobre os nossos adversários e humilhas os que nos odeiam. Em Deus nos gloriamos o tempo todo, e louvaremos o Teu nome para sempre.” (Salmos 44.6-8)

Alguns confiam em carros e outros em cavalos, mas nós confiamos no nome do SENHOR, o nosso Deus. Eles vacilam e caem, mas nós nos erguemos e estamos firmes.” (Salmos 20.7-8)

O ipê rosa é uma espécie recomendada para recuperação de ecossistemas degradados, sendo considerada promissora para revegetação de áreas contaminadas com metais pesados [Wikipédia]. E não é essa mesma a missão dos filhos de Deus no mundo? Enquanto enviados da luz, ser luz para as trevas, instrumentos do SENHOR para a recuperação de vidas degradadas pelo diabo e seu mal. Fazemos isso anunciando as virtudes dAquele que nos chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz (1Pedro 2.9). Fazemos isso florescendo onde o SENHOR nos plantou e revelando Seu amor infinito pela humanidade através do nosso testemunho diário de uma vida com Cristo.

Certamente pessoas angustiadas, machucadas, desviadas, desesperançadas olharão para a secura do inverno castigando o cerrado das suas vidas e avistarão um lindo ipê rosa, florido, dando testemunho da glória do SENHOR na terra.

Eu avistei. E minhas forças se reanimaram no mesmo Deus que o estava sustentando.