domingo, 20 de fevereiro de 2011

Fortes e corajosos

A Bíblia em um ano:
Levíticos 26-27
Marcos 2


“Então Moisés convocou Josué e lhe disse na presença de todo o Israel: "Seja forte e corajoso, pois você irá com este povo para a terra que o Senhor jurou aos seus antepassados que lhes daria, e você a repartirá entre eles como herança.”
Deuteronômio 31.7


Josué tinha uma missão: levar o povo de Deus até a terra prometida pelo Senhor como herança. Mas Josué era mais jovem do que velho e não tinha tanta experiência como Moisés. Tanto ele como os seus liderados poderiam achar que Deus estava enlouquecendo em lhe entregar uma tão grande responsabilidade.

Mas do Senhor se ouviu: “Seja forte e corajoso...”. Deus estava dando uma sentença completa sobre a atitude que Josué deveria ter. Ele deveria ser forte, fruir da força que já estava dentro dele, mas também deveria ser corajoso, ousado, determinado.

Imagine o Super-Man sem coragem; apenas forte. Ele poderia girar a terra ao contrário como em um dos seus filmes já o fez. Poderia voar mais rápido que a luz. Poderia segurar o Burj Dubai (o prédio mais alto do mundo) com apenas uma das suas mãos. Mas imagine o desencanto que seria para todos os fãs desse clássico dos cinemas, caso o Super-Man perdesse sua coragem. Mesmo que ele tivesse a maior força do mundo mas não tivesse coragem para enfrentar o Lex Luthor e todo o império do mal, seria um super-herói covarde. Super, mas covarde.

Super-Man é só um filme sobre uma situação que, de fato, não é real. Mas Josué foi real e o povo de Deus também, assim como Deus é real.

Se Josué tivesse sido apenas forte, e não também ousado, o Sol e a Lua não teriam parado (Josué 10.12-13), as águas do rio Jordão não teriam se amontoado para dar licença para o povo atravessá-lo a pé enxuto (Josué 3.14-17), o pecado de Acã não teria sido tratado (Josué 7).

A força e a coragem do Senhor não estão em nós somente para nos ampararem em momentos de lutas contra nossos inimigos, perseguições e provações. Não. A força e a coragem do Senhor estão também (ou principalmente) para quando for necessário causar confronto com os nossos próprios erros, com o nosso próprio ego, com a nossa própria vontade. Estão para nos corrigir e para nos ajudar a suportar toda disciplina que se fizerem necessária.

Fortes e corajosos. É assim que o Senhor quer cada um dos Seus filhos. Fortes para resistirem ao pecado, corajosos para continuar prosseguindo depois que o mal lhes afrontar. Fortes para ouvirem a verdade, corajosos para escolherem segui-la. Fortes para buscar ampliar seus conhecimentos, corajosos para utilizá-lo da maneira correta, orientados por Deus. Fortes para esperar no Senhor, corajosos para continuarem caminhando pela fé, haja o que houver. Fortes para confrontarem-se a si próprios, corajosos para admitir os próprios erros e mudar sempre que necessário.