quinta-feira, 24 de março de 2011

Diante das revelações

A Bíblia em um ano:
Josué 16-18
Lucas 2.1-24


“Chegando Jesus à região de Cesaréia de Filipe, perguntou aos seus discípulos: ‘Quem os homens dizem que o Filho do homem é?’ Eles responderam: ‘Alguns dizem que é João Batista; outros, Elias; e, ainda outros, Jeremias ou um dos profetas’. ‘E vocês? ‘, perguntou ele. ‘Quem vocês dizem que eu sou?’ Simão Pedro respondeu: ‘Tu és o Cristo, o Filho do Deus Vivo’. [...] Desde aquele momento Jesus começou a explicar aos seus discípulos que era necessário que ele fosse para Jerusalém e sofresse muitas coisas nas mãos dos líderes religiosos, dos chefes dos sacerdotes e dos mestres da lei, e fosse morto e ressuscitasse no terceiro dia. Então Pedro, chamando-o à parte, começou a repreendê-lo, dizendo: ‘Nunca, Senhor! Isso nunca te acontecerá!’ Jesus virou-se e disse a Pedro: ‘Para trás de mim, Satanás! Você é uma pedra de tropeço para mim, e não pensa nas coisas de Deus, mas nas dos homens’.”
Mateus 16.13-16,21-23

Depois de algum tempo de caminhada com o Senhor, finalmente aprendemos a conhecê-Lo. Só então Ele pode falar mais abertamente conosco sobre Seus planos, assim como Jesus fez, falando aos discípulos, a partir da confissão de Pedro, sobre Sua morte e ressurreição (Mateus 16.21) e sobre o significado de ser um discípulo Seu (Mateus 16.24-28).

Mas quando Ele fizer isso, não devemos nos escandalizar, como fez Pedro (Mateus 16.22). Devemos confiar que o Senhor decidiu revelar alguns de Seus planos para nós porque percebeu que somos Seus adoradores, Seus amigos, não somente Seus servos. Ele percebeu finalmente Seu Espírito Santo dentro de nós, nos dando total condição para caminharmos sempre juntos a Ele, confiando e apoiando as decisões dEle, mesmo que elas pareçam tão improváveis ou ilógicas.

É que Deus não segue a nossa lógica. E nós não devemos nos esquecer nunca que é por causa disso mesmo que Ele é o Senhor, o Deus extraordinário, que no final de tudo sempre nos surpreende com muito mais do que poderíamos imaginar.

"Senhor, mantenha meu equilíbrio diante das revelações que o Senhor tem feito à mim acerca da real situação do mundo, da Igreja e de mim mesma. Não posso e nem quero me escandalizar, mas sim sempre ser grata ao Senhor por confiar Teus segredos a mim, reles pecadora. Ajuda-me tão somente a compreender que, mesmo que eu não entenda Teus planos, eles sempre são os melhores e mais necessários para nós. Oro em nome de Cristo Jesus, o General dos Exércitos que, ainda assim, nos chamou de Seus “amigos” (João 15.15). Amém."