sábado, 19 de março de 2011

Sutil diferença

A Bíblia em um ano:
Josué 1-3
Marcos 16


“Quando Marta ouviu que Jesus estava chegando, foi encontrá-Lo,mas Maria ficou em casa. Disse Marta a Jesus: ‘Senhor, se estivesses aqui meu irmão não teria morrido’[...]. Chegando ao lugar onde Jesus estava e vendo-O, Maria prostrou-se aos Seus pés e disse: ‘Senhor, se estivesses aqui meu irmão não teria morrido’. Ao ver chorando Maria e os judeus que a acompanhavam, Jesus agitou-Se no espírito e perturbou-Se.”
João 11.20,32,33

Quando Lázaro, irmão de Marta e Maria morreu, Jesus não estava na cidade (João 11.1-19). Jesus amava muito aquela família, mas só depois de dois dias é que partiu em direção a ela (João 11.6). Quatro dias após chegou finalmente ao local onde Lázaro havia sido enterrado (João 11.39).

Chama a atenção ver que Marta e Maria foram ao encontro de Jesus e ambas disseram a mesma coisa ao Mestre: “Senhor, se estivesses aqui meu irmão não teria morrido” (João 11.20,32), mas só diante do pronunciamento de Maria é que Jesus “agitou-Se no espírito e perturbou-Se”. (João 11.33)

A diferença aqui, a sutil diferença que modifica toda a história de uma vida, é a atitude da mulher, a maneira como ela se dirigiu ao Mestre: Marta encontrou Jesus e dirigiu-Lhe a palavra. Maria encontrou Jesus e prostrou-se diante dEle, aos Seus pés, para dirigir-Lhe a palavra. E isso tocou o coração do Senhor.

Prostrar-se diante do Senhor é muito mais que ajoelhar-se. É render-se ao Seu senhorio e reconhecer que nós dependemos totalmente dEle para existir e coexistir. É dar a Ele toda glória e adoração com humildade, sinceridade e reverência. “Pois assim diz o Alto e Sublime, que vive para sempre, e cujo nome é santo: ‘Habito num lugar alto e santo, mas habito também com o contrito e humilde de espírito, para dar novo ânimo ao espírito do humilde e novo alento ao coração do contrito’.” (Isaías 57.15)

O gesto de Maria – que não se vê em Marta – nos lembra que atitudes valem mais que palavras. Certamente por isso Deus fale bem menos a Seu respeito e a respeito dos Seus planos e faça muito mais por nós, para nós e em nós. Tudo o que temos a fazer é seguir Seus exemplos. É seguir o exemplo de Maria, uma verdadeira adoradora, alguém capaz de tocar o espírito de Jesus com um gesto.

Não são nossas obras que podem impressionar Deus (Isaías 64.6), mas nossas atitudes, nosso modo de lidar com as obras e com as pessoas, nossa maneira de adorar ao Senhor através de tudo o que fazemos, falamos ou pensamos.

Por isso, movamo-nos por princípios e não por pressões. Amor, obediência e reverência ao Senhor sejam a máxima das nossas vidas em qualquer circunstância pois, seja ela qual for, Deus continua sendo Deus, continua sendo Santo, continua sendo digno. E nada tirará isso dEle.