quinta-feira, 28 de abril de 2011

Misericórdia!

A Bíblia em um ano:
1 Reis 3-5
Lucas 20.1-26


“(...) [Senhor,] na Tua ira lembra-Te da misericórdia.”
Habacuque 3.2


Esse pequeno trecho da oração de Habacuque nos direciona a buscarmos do Senhor a misericórdia em meio à aflição.

Contudo, muitas pessoas entendem que Deus demonstra misericórdia quando suspende a luta ou a provação pela qual Seus servos estão passando.

Observemos, porém, a oração de Jeremias:

“As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; novas são cada manhã; grande é a Tua fidelidade.” (Lamentações 3.22-23)

Ele não expressou aqui que as lutas tenham cessado, mas declarou – confiante em Deus – que, por causa das misericórdias do Senhor, que não têm fim e que se renovam a cada manhã, é que, verdadeiramente não somos consumidos pelas adversidades.

Pelas misericórdias do Senhor, os filhos de Deus se fortalecem durante a batalha; por elas, os filhos de Deus batalham com vigor e destreza; por Suas santas e necessárias misericórdias eles adquirem sabedoria do alto e lutam com estratégias para vencer.

E é exatamente por causa da misericórdia do Senhor que os filhos de Deus passam por lutas e provações.

Quando somos provados, Deus trabalha o nosso caráter, imprime em nós a busca pela santificação, molda nossa visão, revê nossos valores e conceitos, nos aperfeiçoa na fé e, conseqüentemente, nos aproxima mais dEle.

Os momentos em que mais oramos na vida são aqueles em que estamos sob intensa luta ou provação. Certo é que o contrário seria o mais correto. Contudo, nossa natureza carnal e pecaminosa nos conduz a nos esquecermos de Deus quando tudo parece estar andando bem e aparentemente sob o “nosso” controle.

Diante das dificuldades, o Senhor nos mostra quem realmente somos... e o Espírito Santo nos convence que realmente somos nós quem precisa de Deus, e não o reverso.

Diante das dificuldades nosso coração se quebranta à procura de uma solução. E essa procura nos direciona a Deus. Esse processo nos enriquece espiritualmente e nos edifica no Senhor.

O sofrimento do justo produz experiências com Deus. E essas experiências somente nos fortalecem e nos convencem que todo tanto de Deus para nossas vidas ainda é pouco.

Eis aí a misericórdia do Senhor, que nos leva à provação para que possamos nos tornar totalmente dependentes do Pai. Sem reconhecer essa nossa condição, jamais venceremos as trevas, jamais seremos resgatados para a salvação, haja visto que erguer a mão e aceitar Jesus como Salvador e Senhor é bem diferente de demonstrar que Ele realmente seja nosso Senhor e Salvador através de atitudes de fé e de intimidade com Ele.

Há quem ore ao Senhor pedindo (e outros – pasmem! – ordenando) a Deus que use de misericórdia e termine com as lutas e provações dos Seus servos.

Imagino Deus olhando para esses oradores e pensando: “Mas será que você nunca vai entender que essa luta é necessária para que essa pessoa entenda que precisa da minha ajuda, que precisa se converter aos meus caminhos... que precisa de Mim?”

Veja a oração de Jesus:

“Pai, (...) não peço que os tire do mundo, mas que os livres do mal.” (João 17.15)

As palavras de Cristo expressam claramente Seu desejo de ver os Seus discípulos vitoriosos. Para isso, Cristo reconhecia que eles precisavam permanecer no mundo (ainda que sob dores e perseguições). Contudo, intercedeu para que Deus lhes desse força, sabedoria, proteção, paz, vigor, disposição, fé... para que fossem livres do mal.

Esse período de lutas e provações pelo qual os discípulos de Cristo passariam, exaltaria o Senhor em suas vidas e diante do mundo. Exaltaria também essas pessoas na presença de Deus, e o exemplo deles seria registrado na História para edificação das gerações futuras.

Que a nossa oração não seja um grito de exigência para nos afugentar como covardes das lutas e provações a que somos submetidos na vida, mas seja um clamor pela força, pela sabedoria e pela coragem que vêm de Deus, a fim de enfrentarmos tudo com honra, de frente, e sermos sempre vitoriosos por Cristo Jesus, o Senhor de toda a terra.

O verdadeiro cristão enfrenta as lutas de cabeça erguida... orando, meditando na Palavra e louvando a Deus pela vitória que lhe está garantida pela boca do próprio Deus.