quinta-feira, 19 de maio de 2011

Para que dê mais fruto

A Bíblia em um ano:
1Crônicas 7-9
João 6.22-44


"Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador. Toda vara em mim que não dá fruto, a tira; e limpa toda aquela que dá fruto, para que dê mais fruto."
João 15.1-2


Nem todas as pessoas que estão dentro das igrejas e intituladas "crentes", na verdade, estão enxertadas em Jesus Cristo. Isso não é nenhuma novidade e é profecia do próprio Jesus, que nos assegurou sobre o crescimento do joio no meio do trigo (Mateus 13.24-30). A estes, a palavra do Cristo é bem clara: "Toda vara em mim que não dá fruto, [o Pai] a tira." Interessante, porém, é observar que Jesus, em relação às varas produtivas, não prometeu somente que dariam mais frutos.

Porém, a colocação que Ele fez foi taxativa: "[O Pai] limpa toda aquela que dá fruto, para que dê mais fruto." Jesus não disse, em nenhum momento, que os ramos produtivos estariam isentos do pecado, nem puros e perfeitos diante de Deus. Mas declarou haver uma necessidade de serem "limpos" para darem ainda mais fruto. E, realmente, o cansaço, a rotina, o comodismo, o próprio orgulho, o ego, o eu... convertem-se em folhas secas que se formam em nós ao longo de nossas atividades na igreja e no mundo.

Muitas vezes pensamos estar no centro da vontade de Deus, mas já não estamos por causa dessas folhas secas que se formaram em nós, sem que percebamos. Afinal, estivemos produzindo todo esse tempo. Contudo, o Lavrador viu que, se as tirar, poderemos produzir ainda mais e melhor o caráter do Espírito Santo em nossas vidas. Da mesma forma que Ele viu haver a necessidade de sermos limpos dos pulgões e das pragas que nos querem infestar e tornar improdutivos, como a inveja, o despeito, a ira, os falatórios a nosso respeito, as desfeitas, as afrontas, as perseguições, as exclusões, as ofensas...

Sim, as varas produtivas (nós) da Videira Verdadeira (Jesus) precisam ser limpas constantemente pelo Lavrador (Deus), para que nenhuma praga (atitudes de terceiros) se impregne em nós e nos adoeça tirando o nosso vigor, e nenhuma folha seca (formadas por nós mesmos) permaneça em nós descaracterizando a beleza que o Espírito Santo colocou em nós.

Às vezes, essa limpeza dói, e não a entendemos. Mas vale à pena, porque isso sempre nos manterá saudáveis e produtivos para o Reino dos Céus.