quinta-feira, 9 de junho de 2011

Anjo maldito

A Bíblia em um ano:
2Crônicas 30-31
João 18


“...porque satanás se transfigura até em anjo de luz.”
2Coríntios 11.12


Há algum tempo atrás, li na Internet uma afirmação que me deixou bastante pensativa. A frase dizia: “Satanás não quer te destruir. Ele quer te ajudar a realizar todos os teus sonhos.” É claro que havia um comentário muito bem elaborado por um servo de Deus para justificar essa afirmativa. E eu estive meditando nesse assunto e senti que devia dizer algo sobre isso também.

Realmente, o diabo não é tolo. Se ele simplesmente tentasse nos destruir, se cansaria rápido e seria completamente desmascarado, botando à bancarrota todos os seus planos mirabolantes. Quem ousaria manter amizades com alguém que maquina 24 horas do dia a sua destruição? Obviamente, qualquer pessoa em sã consciência se excluiria dessa possibilidade.

O diabo é astuto. E sua intenção é exatamente nos ajudar a realizarmos todos os nossos desejos, todas as intenções do nosso coração, sem o auxílio de Deus. Ele quer exatamente nos tornar independentes do Senhor. Nos promover e nos convencer que nossas virtudes e auto-suficiência nos levaram ao mais alto podium da vida. Ele quer nos encher de glórias e nos provar que somos capazes de ganhar o mundo inteiro sem firmarmos nenhum compromisso com Deus. Ele quer nos mostrar que somos bons o suficiente para vivermos sem Deus.

E para isso, ele investe todos os reinos do mundo, que lhe pertencem. Foi isso que Ele ofereceu a Jesus no deserto: fama, glória, poder, sustento material suficiente para que Jesus reinasse no mundo... mas com uma condição: prostrando-se ao diabo e não a Deus. Por isso, não raramente, ouvimos afirmações como a que ouvi da minha mãe disse outro dia: “Eu tenho uma vida tranqüila, um excelente salário e consigo tudo o que eu quero nesta vida. E não vivo enfiada dentro de uma igreja...” (Tome nota: minha mãe é uma diaconiza que está desviada do caminho da salvação há cerca de dez anos).

Não há cruz nas ofertas que o diabo faz. Se houvesse, ninguém aceitaria viver com ele. Todas as pessoas renunciariam a vida mundana e correriam para Deus.

Jesus, porém, oferece riquezas... na vida futura. Aqui, há uma cruz que espera por cada um de nós, a qual devemos levar conscientes que poderá pesar ainda mais quando for preciso ajudar o próximo levar a sua também. O Senhor tem também muitas bênçãos materiais para derramar sobre Seus filhos, mas Sua prioridade é transformar nosso caráter, mudar nossos destinos e aproximar nossa personalidade à Sua. Por isso, a cruz que Cristo nos oferece para carregar enquanto O seguimos, não é uma cruz prateada ou dourada, com pedrinhas brilhantes, pequenina pendurada num cordão ou num arco, fixada nas paredes de nossas casas ou suspensas em nossos pescoços e orelhas. Não. A cruz que Cristo nos deixou é feia, suja de sangue de um inocente que morreu para dar vida a quem jazia nas trevas. É uma cruz pesada, que exige renúncias porque só pode ser levada se nossas mãos estiverem livres para segurá-la.

O diabo não oferece essa cruz. Mas ele também não pode oferecer a vida eterna que só receberá quem levá-la até o fim.

A vida com Cristo exige nos livremos das riquezas deste mundo para manter nossas mãos desocupadas quando for preciso amparar os necessitados, cuidar dos aflitos, retribuir favores recebidos, executar favores. Com as mãos ocupadas com tantos bens e valores, como poderíamos demonstrar amor e adoração a Deus? Não conseguiríamos levantá-las ao alto pra declarar honras e glórias ao único que é digno.

De fato, satanás quer que nos desviar desses propósitos cujo peso de glória é eterno. Por isso nosso maior inimigo se transfigura e procura sutilmente se tornar nosso maior amigo.

Cuidado! Um anjo maldito está por perto.