terça-feira, 21 de junho de 2011

A graça do perdão incondicional

A Bíblia em um ano:
Ester 3-5
Atos 5.22-42

“Pois se os que vivem pela lei são herdeiros, a fé não tem valor, e a promessa é inútil; porque a lei produz a ira. E onde não há lei, não há transgressão.”
Romanos 4.14-15


“Olho por olho, dente por dente”. Essa era a forma mais resumida de toda a lei e que incentivava o “troco” conforme a agressão. O primeiro, contudo, a quebrar essa regra foi o próprio Senhor, quando Se fez carne e habitou entre nós para nos ensinar um caminho que nos levaria à comunhão com Deus. E depois de haver feito tudo por amor a nós, sendo nós ainda pecadores, morreu numa cruz maldita e a Si mesmo entregou para que toda Sua obra de perdão e graça fosse consumada.

Eis aí o maior legado que Ele nos deixou: perdoar. A lei já não pode mais se sobrepor em nossas vidas. Revidar na mesma moeda não faz parte dos ensinamentos de Cristo. Perdoar, sim! É o centro de toda essa obra redentora que Ele realizou por nós.

Há quem queira viver de acordo com a lei. Para esses, a promessa de vitória pela fé é aniquilada, porque vivem por ira, quando Cristo nos ensinou a empregar o favor em nossas vidas.

Pense: “E se Cristo resolvesse não nos perdoar quando visse a dureza do nosso coração pecador e os insultos que a Ele foram dirigidos enquanto em vida (e até hoje, milênios depois de Sua morte por parte daqueles que O não conhecem – estes por ignorância, e por parte daqueles que O conhecem – estes por desobediência)... Que esperança teríamos?”

Contudo, Ele provou que o amor supera tudo. E deixou-nos uma herança que será alcançada através da prática constante desse amor. Um amor que soube olhar o mundo pecador sem ressentimentos e concedeu-lhe a graça do perdão incondicional...

Um amor que hoje quer nos ensinar a entregarmos de graça aos outros o que também de graça nós recebemos.