quarta-feira, 22 de junho de 2011

No barco da vida...

A Bíblia em um ano:
Ester 6-8
Atos 6

NO BARCO DA VIDA...

“E levantou-se grande temporal de vento, e subiam as ondas por cima do barco, de maneira que já se enchia. E ele estava na popa, dormindo sobre uma almofada, e despertaram-no, dizendo-lhe: Mestre, não se te dá que pereçamos? E ele, despertando, repreendeu o vento, e disse ao mar: Cala-te, aquieta-te. E o vento se aquietou, e houve grande bonança.”
Marcos 4.37-39


Os momentos de adversidades em nossas vidas, na maior parte das vezes, são encarados como momentos da ausência de Deus.

É certo que há casos em que sofremos precisamente por causa do distanciamento do Senhor, que ocorre quando nós nos prontificamos a nos afastarmos dEle primeiro.

Contudo, não devemos encarar as nossas lutas e provações como um desvio de Deus da nossa direção, mas sim como apelos do Senhor para que nos aproximemos ainda mais dEle.

Observemos que os discípulos estavam num barco em que Jesus também estava. Mas eles enfrentavam a tempestade e a fúria do mar com suas próprias forças. Enquanto havia forças e condições, com certeza estavam tentando tirar a água do barco.

Num determinado momento, porém, tudo foge completamente do controle deles. O vento é mais forte, as águas bravias... Tudo mais poderoso que aqueles limitados e frágeis homens.

O verso 41 do mesmo capítulo nos leva a compreender que, quando os discípulos chamaram Jesus, eles não esperavam que Jesus pudesse fazer algo por eles, mas, que, na verdade,estavam estarrecidos em ver Jesus descansando, isto é, dormindo com grande sossego na popa do barco, enquanto eles se agitavam e tentavam encontrar uma solução para aquele grande problema.

Eles criam que, naquele momento, Jesus estava ausente. É como se Ele não Se preocupasse.

E realmente... Jesus não tinha por que Se preocupar. Ele é o Senhor da terra, do céu e do mar. Nada foge ao Seu controle.

O que Ele observa em nós hoje é que a maioria dos discípulos Seus estão tentando tirar a água do barco num grande desespero, e se incomodam em ver o Senhor serenamente “quieto”, na popa.

A intenção de Deus era colocar aqueles discípulos na Sua total dependência, pois a nossa preocupação e os nossos recursos nos fazem esquecer que Deus é quem tem o controle da situação.

Enquanto o ser humano tem recursos, ele mede forças com Deus. Enquanto ele ver uma saída que não envolva diretamente o agir de Deus, ele buscará usar essa possibilidade para resolver seu problema. Contudo, há um momento em que o Senhor deixa acabar todas as soluções. Tudo o que era viável para nós torna-se inútil diante da seriedade da situação.

Há muitas pessoas que perecem por causa da murmuração em que se envolvem em situações assim.

Há, porém, pessoas que entendem que “a nossa leve e momentânea tribulação produz um peso eterno de glória mui excelente” (2Coríntios 4.17). E, por isso, entendem que esse momento onde todos os recursos humanos se esvaem é o momento em que Deus vai produzir coisas novas para suas vidas.

Aqueles discípulos, até então, não conheciam o poder de Cristo. Não sabiam, na prática, a imensidão do poder do Deus a quem professavam. Passaram a conhecer que o Senhor que lhes acompanhava era o Senhor a quem até o vento e o mar obedeciam. E que, dedicando suas vidas a esse Deus, eles também poderiam operar os mesmos sinais... e até maiores que aqueles. E isso foi-lhes fortalecendo a fé, a ponto de, esses mesmos discípulos se tornarem canais por onde esse poder sublime de Deus fluía, e restaurava coxos, ressuscitava mortos, curava enfermos, expulsava demônios... (Confira no livro dos Atos dos Apóstolos).

Na tua vida, a ventania tem soprado furiosa? E o mar... revolve-se em ondas irritadas?

Lembre-se que Jesus está no barco esperando que você deixe de usar suas próprias forças e se sustente nEle, pelo fio da fé, a fim de permiti-Lo te dar novas experiências e te mostrar quem Ele realmente é...

... o Senhor de tudo e de todos...

...o único...

...eternamente!

As tempestades da vida só afundam barcos que não têm Jesus como tripulante.