quarta-feira, 1 de junho de 2011

Porque os filhos devem nascer...

A Bíblia em um ano:
2Crônicas 14-16
João 12

“...Assim diz Ezequias: Este dia é dia de angústia, e de vitupério, e de blasfêmias; porque chegados são os filhos ao parto, e força não há para dá-los à luz.”
Isaías 37.3


Deus passa muito tempo nos moldando, nos libertando, nos curando, transformando um pouquinho a cada instante, dentro de um vale ou de um deserto, nos preparando para revelar muitas glórias quando nos tirar de lá. Passamos tanto tempo esperando pelo cumprimento das promessas do Senhor que muitos de nós chegam a desistir pelo caminho.

De repente, chega o momento. O Senhor declara que chegou o tempo de mudar o cativeiro e nos trazer à tona outra vez. O Senhor avisa que o tempo de cantar chegou e agora só depende de nossa fé se manter alinhada para que Ele realize coisas extraordinárias em nossas vidas.

Nessas horas o maligno envia seus instrumentos para nos confundir e convencer que é uma tola ilusão esperar; que se esperamos tanto até aqui é porque não vai acontecer. Todo tipo de tentativas do mal para nos fazer desistir das promessas do Pai Eterno são lançadas sobre nós. E muitas vezes nós caímos. Esperamos por tanto tempo, vimos as promessas de longe chegando cada vez mais perto, mas porque soaram os ventos do opressor nós olhamos para eles e perdemos a fidelidade do Senhor de vista. E então desistimos.

Os filhos gerados por tantos meses nos ventres das nossas almas chegam ao seu tempo de nascer e não podem, porque não há forças para trazê-los à luz. De alguma maneira o maligno nos contou isso e nós acreditamos.

Ezequias também ouviu isso da boca do próprio demônio personificado na pessoa de Senaqueribe, rei da Assíria. Mas ele não desistiu. Foi buscar socorro junto ao Deus Vivo, e orou: “É verdade, Senhor, que os reis assírios fizeram de todas essas nações e de seus territórios um deserto. Atiraram os deuses delas no fogo e os destruíram, pois em vez de deuses, não passam de madeira e pedra, moldados por mãos humanas. Agora, Senhor nosso Deus, salva-nos das mãos dele, para que todos os reinos da terra saibam que só tu, Senhor, és Deus.” (Isaías 37.18-20)

Em Deus – no verdadeiro Deus – havia total condição para “os filhos nascerem”, na visão do rei Ezequias, porque as forças necessárias para trazê-los à luz não seriam as nossas poucas forças, mas as imensuráveis forças desse Deus.

Por isso um clamor sincero ecoou da terra e foi ouvido pelo Altíssimo na Sala do Trono. Ergueu-Se o Senhor e enviou por meio do profeta Isaías a seguinte mensagem: “[...] Ouvi a sua oração acerca de Senaqueribe, rei da Assíria. Esta é a palavra que o Senhor falou contra ele: A virgem cidade de Sião despreza e zomba de você. A cidade de Jerusalém meneia a cabeça enquanto você foge. De quem você zombou e contra quem blasfemou? Contra quem você ergueu a voz e, contra quem levantou seu olhar arrogante? Contra o Santo de Israel!” (Isaías 37.21-23)

Creio que esta seja a resposta que o Senhor também deseja te dar neste dia, porque “os filhos devem nascer”. O que será que está faltando para que Ele conclua a obra, te dê essa palavra por resposta e te coloque do lado de fora da porta do calabouço também?


"Senhor, as palavras de afronta do mal não vão me tirar da Tua presença. Estou vendo, pela fé, Tua glória Sendo revelada em minha vida e cumprindo Teus maravilhosos projetos em mim e sobre mim. Coloque um anzol no nariz do inimigo e puxe-o pelas tuas fortes mão. Coloca-lhe o Teu freio na sua boca e envergonha-o fazendo voltar pelo mesmo caminho por onde veio. Agora, pois, vem nos salvar das mãos inimigas que querem nos aniquilar. E todos saberão, por toda a terra, que Tu não és feito por mãos, mas que Tu és vivo e só Tu, Senhor, és Deus. Oramos em nome de Jesus Cristo. Amém."