sábado, 25 de junho de 2011

Primeiro, o Avivador!

A Bíblia em um ano:
Jó 3-4
Atos 7.44-60

“Ficarei no meu posto de sentinela e tomarei posição sobre a muralha; aguardarei para ver o que ele me dirá e que resposta terei à minha queixa. Então o Senhor respondeu: ‘Escreva claramente a visão em tabuinhas, para que se leia facilmente.’ [...] Senhor, ouvi falar da tua fama; temo diante dos teus atos, Senhor.”
Habacuque 2.1-2 e 3.2a


Muitas pessoas querem um avivamento, mas não querem o Avivador, que é o Senhor. Contudo, só quando o Senhor ouve nosso clamor e vê a nossa disposição para contemplarmos Seus manifestos, então estaremos prontos para clamar ao Senhor: “...Aviva, ó SENHOR, a Tua obra no meio dos anos...” (Habacuque 3.2), porque os Teus obreiros já estão avivados; já estão cheios do Espírito Santo; já podem distribuir da glória de Deus.

E avivamento vem por meio da Palavra de Deus, não de movimentos. Se nossos interesses e motivações não estão fundamentados nas Sagradas Escrituras, ainda estaremos muito distantes de um avivamento, por mais movimentos que haja.

Avivamento não é um evento isolado, um culto coletivo, uma reunião apenas. É um estado dependente e cheio da presença de Deus. O que nós mais precisamos é de Deus. Ele é o fundamento e o objetivo de todos os atos da Sua Igreja na terra.

Quando temos a consciência que em tudo dependemos do Senhor e nos dispomos a caminhar com Ele a cada instante, sendo transformados de glória em glória, então podemos ter certeza que o verdadeiro avivamento está acontecendo.

Avivamento é a presença do Senhor em evidência. É a visitação do Senhor e, como fruto dessa visitação, ocorre a transformação. A presença de Deus resulta em transformação de caráter do homem, em mudança de vida. Somos avivados e estamos vivendo um avivamento quando nossas vidas estão cada vez mais se parecendo com a vida do Senhor Jesus. Por isso, em vez de clamar por um avivamento, devemos seguir o exemplo de Habacuque e, primeiro, clamarmos pelo Avivador.