segunda-feira, 25 de julho de 2011

Ao contrário do que muitos pensam...

A Bíblia em um ano:
Salmos 35-38
Atos 25


“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu Seu Filho Unigênito, para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”
João 3.16


O amor, ao contrário do que muitos pensam e querem sustentar, não é conivente com o erro, mas corrige-o. O próprio versículo-chave da Bíblia trata sobre isso, e mostra Deus tentando corrigir o homem, de tanto amá-lo.

Deus amou o mundo de tal maneira, que não permitiu que ele fosse levado à condenação eterna sem fazer nada que pudesse ajudá-lo a se livrar dela. Deus apontou o erro, mostrou qual era a culpa e sugeriu a melhor solução. Ele deu Jesus e deixou que o homem, pecador já condenado, fizesse a sua escolha por ser absolvido. E todo aquele que nEle crê não perece, mas tem a vida eterna.

“Quem crê nEle não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do Unigênito Filho de Deus” (João 3.18). O amor de Deus não condena. Ele dá oportunidade de salvação. Quem se condena é o homem, quando recusa receber esse presente de Deus e escolhe continuar na sua vida de promiscuidade.

Por isso, nós amamos os gays mas não concordamos com o homossexualismo. Amamos as prostitutas mas não somos coniventes com seu estilo de vida. Amamos os assassinos e ladrões, mas não aprovamos suas práticas. Amamos os drogados mas não apoiamos nenhuma de suas atitudes autodestrutivas. Amamos os traficantes, mas desejamos que eles deixem suas práticas perversas. Amamos os pedófilos mas abominamos suas ações. Os verdadeiros filhos de Deus conhecem o amor de Deus e sabem que Ele é poderoso para transformar as vidas dos homossexuais, dos prostitutos, dos assassinos e roubadores, dos drogados, dos pedófilos, e de quem quer que seja. O amor não é conivente com o erro e os filhos de Deus também não podem ser tolerantes ao pecado.

Quem crê em Jesus tem a vida eterna, porque crê naqueles discursos que Ele fez e que inspirou outros a fazerem também, nos convidando a deixar as trevas, a sair do pecado e buscar nEle a libertação total do nosso ser.

Quem não crê, não tem a vida eterna. Perece. Já está condenado. E não acreditar que o amor corrige é tornar Deus injusto. É não acreditar que estejam errados o estuprador, o violento, o mentiroso, o idólatra, o pervertido, o político corrupto, o falso pasto pastor, os enganadores, os assassinos, os ateus, e qualquer pessoa que deu as costas aos princípios da bondade, do bem, do que é certo, do próprio Deus. E não acreditar que o amor corrige é não acreditar que haverá condenação para essas pessoas, caso elas não se convertam dos seus maus caminhos.

O amor de Deus corrige sim, e o faz porque ama e não quer perder quem ama.

Se você ama a Deus, entregue toda a sua vida aos cuidados dEle, e deixe-O dirigir os seus passos daqui pra frente, como prova que você não quer perder o seu direito de viver a eternidade com Ele também.