segunda-feira, 4 de julho de 2011

As pedras da coroa

A Bíblia em um ano:
Jó 28-29
Atos 13.1-25


“Portanto, meus amados e mui queridos irmãos, minha alegria e coroa, estai assim firmes no Senhor, amados.”
Filipenses 4.1


Certa vez, as pedras preciosas da mina de um Rei muitíssimo poderoso foram roubadas por um astuto ladrão.

Muitas dessas pedras foram perdidas pelo caminho enquanto ladrão fugia, e muitas outras ele conseguiu levar consigo.

O dono da mina ficou imensamente triste, porque sabia do valor incomparável que aquelas pedras possuíam.

Então, mandou que Seu Filho seguisse os rastros do bandido e pagasse o que fosse necessário para que aquelas pedras fossem resgatadas.

O Filho, humilde e manso, bondoso e cheio de amor, cumpriu a vontade de Seu Pai. Pagou o preço necessário para que aquelas pedrinhas fossem retomadas. Deixou-Se ser morto e entregou Sua própria vida. O resgate foi pago com o sangue do Filho da Realeza.

Muitas pedras foram readquiridas diretamente por Ele. Mas como Ele ressuscitou três dias depois de ter sido morto e precisou voltar para o Seu Reino, Ele incumbiu alguns súditos de procurar e encontrar as outras que ainda estão perdidas pelo mundo.

A história é simples. Nenhuma novidade há. Conhecemos bem essa história. É a do Filho de Deus, Jesus Cristo, nosso Senhor, que Se entregou à morte de cruz para tirar das mãos de satã as vidas que pertenciam a Deus.

Num determinado momento da história do mundo, o maligno quis se apossar das jóias da coroa de Deus.

Jesus interferiu e resgatou todas elas. Mas incumbiu Seus súditos a retomarem esse trabalho e buscar e cuidar das pedras, isto é, das pessoas que ainda vagam sem destino por aí, alheias à salvação e desentendidas sobre o real valor que elas têm...

O Senhor deu essa responsabilidade a cada um de nós...

Nossa missão aqui é, com a ajuda do Espírito Santo de Deus, confeccionarmos uma coroa para Deus, adornada com as pedras preciosas que Cristo já comprou com Seu sangue, para a entregarmos ao Senhor no grande dia em que nos encontrarmos com Ele.

O que compõe a coroa de um evangelista, de um discipulador, de um missionário de Deus?

Paulo era um fazedor de discípulos, um exemplo íntegro a ser seguido por todos os cristãos sobre a face da terra. Ele tinha alegria em fazer novos irmãos para si, isto é, trazer pessoas perdidas ao conhecimento da verdade e instruir salvos à uma edificação maior diante de Deus.

Essa é a nossa coroa e a nossa alegria: sermos úteis ao Reino, trabalharmos por Cristo, e apresentar ao Senhor milhares de milhares de vidas resgatadas e restauradas por Ele e para Ele.

Agora que sabemos o caminho para a salvação, estamos aptos a indicá-lo aos outros também.