sábado, 2 de julho de 2011

Não se iluda!

A Bíblia em um ano:
Jó 22-24
Atos 11



“Novamente O transportou o diabo a um monte muito alto; e mostrou-Lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles. E [Jesus] disse-Lhe: Tudo isto te darei se prostrado, me adorares.”
Mateus 4.8-9


Engana-se quem diz (ou pensa) que o diabo não tem nada para nos oferecer. Ele tem sim. “Todos os reinos do mundo” foi o que ele ofereceu para Jesus no deserto.

Qual é o ser humano que rege um império com esta dimensão? Por mais que procuremos não chegaremos a outra resposta senão esta: Nenhum!. Nenhum ser humano exerce um domínio tão grande como o de satã. Ele possui todos os reinos do mundo.

Ilude-se, também, quem pensa que o diabo não tem nada de bom para nos dar. Tem sim. Tanto que pensou que ia convencer até o próprio Deus a receber suas ofertas. O diabo não ofereceu qualquer coisa sem muita importância. Não. O ele ofereceu para Jesus “todos os reinos do mundo, e a glória deles.” Ele ofereceu exatamente o que tem feito muitos seres humanos se prostrarem diante de qualquer um que possa lhes satisfazer o ego com essa dádiva; ele ofereceu a glória e o poder ao mundo, em todos os lugares, sobre todas as outras pessoas.

Sim, o diabo tem poder e tem bens para entregar aos homens, também!

E erra, ainda, quem pensa que é difícil receber isso tudo do diabo. Não. A única coisa que Jesus deveria ter feito era Se ajoelhar e dizer palavras que exaltassem satã.

É muito fácil agradar a satanás e receber algo em troca. Basta fazer uma coisa que desagrade a Deus, que satisfaça nosso ser e que traga aparentes benefícios e soluções rápidas e concretas para nossos problemas.

As diferenças entre tudo isso e as bênçãos de Deus são plenamente observáveis, porém:

(1) o diabo possui os reinos da Terra. O único Reino, porém, que é eterno e que, sozinho, possui um valor maior do que todos os impérios do mundo juntos, é exatamente o que ele não pôde mostrar para Jesus e também não poderá oferecer a ninguém: é o Reino de Deus, a Cidade Sagrada. Não é deste mundo. É celestial. Este Reino não lhe pertence, mas pertence ao Senhor Deus Altíssimo, e está reservado para ser habitada pelos filhos de Deus.

(2) As coisas que o maligno oferece são passageiras. Elas têm um tempo determinado para acabar e não edificam o homem em nada espiritualmente. As bênçãos do Senhor, porém, são eternas, e muito mais caras que qualquer fortuna deste mundo.

(3) O prazer das coisas do mundo, embora seja bom e agradável, não satisfaz plenamente e se acaba com o tempo. A alegria das bênçãos de Deus, ao contrário, é durável e tende a crescer a cada nova experiência de fé e relacionamento com o Senhor. Além disso, a satisfação que ela nos oferece é plena e abrangente.

Certo é que o mal jamais se demonstrará cruel e insuficiente como é, às pessoas. Observemos que ele se mascara bem, e levou Jesus a um lugar bem alto, de onde Seus olhos poderiam se encher com os encantos da glória e dos reinos deste mundo. E aos homens, ele (o diabo) demonstra tantos ou mais benefícios acerca de uma vida separada de Deus e voltada para as coisas terrenas e para ele mesmo. Como a Palavra de Deus nos alerta, , ele se transfigura até em anjo de luz para nos enganar e conquistar para si. (2Coríntios 11.14)

Diante de tudo isso entendemos porque é tão fácil pecar e tão difícil viver uma vida em santificação diante de Deus: o que vem fácil, vai fácil, ou, antes, o que vai fácil é o que vem fácil para nós. O pecado e os prazeres que ele provoca fazem bem ao nosso corpo e à nossa mente, e são fáceis de serem executados. Se fossem difíceis ou causassem algum tipo de dor, certamente não pecaríamos a todo instante, consciente ou inconscientemente.

Graças a Deus que nos aparelhou com o Espírito Santo, que está disposto a nos ajudar a vencermos o ímpeto de dizermos “sim” às coisas do mal, a vencermos nossos desejos pecaminosos e a nos fortalecer para prosseguirmos, com honra, a nossa jornada até o Céu.

Assim como Ele esteve no deserto com Cristo, também está conosco, para que sejamos vencedores todos os dias nessa árdua caminhada pela vereda da salvação, que é o único caminho que nos leva para o Reino Eterno, onde a vida, a alegria e a Paz de Deus são plenas e abundantes.

Deus provê a armadura para resistirmos à tentação, mas nós é que temos que vesti-la.