sexta-feira, 15 de julho de 2011

Quem?

A Bíblia em um ano:
Salmos 13-15
Atos 19.21-41



“Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica.”
Romanos 8.33


Fomos perdoados... Aleluia!

Deus nunca desistiu de nossas vidas. Nunca abdicou o direito que Ele tem sobre a nossa existência.

Mesmo estando nós em pecado, Ele nos perdoou e Se sujeitou novamente a envolver-Se conosco para nos ensinar o caminho reto mais uma vez, através de Jesus Cristo.

Deus jamais abriu mão de nós. Ele nos ama. E ama tanto que rasgou “a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz.” (Colossenses 2.14)

Em outras palavras, Deus Se apiedou de nós e lançou todos os nossos “pecados nas profundezas do mar” (Miquéias 7.19). Por Jesus Cristo, perdoou-nos de tal maneira que ninguém mais pode nos apontar e envergonhar pelo que já fomos antes de conhecermos o Salvador e entregarmos nossas vidas a Ele.

O próprio Deus nos lembra tal maravilhosa graça todos os dias através dos escritos do profeta Isaías: “Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de Mim, e dos teus pecados não Me lembro.” (Isaías 43.25)

Bem maior que qualquer um que nos acusa é o Senhor que já nos perdoou de todos nossos pecados.

Que gloriosa bênção! O que nos afastava de nosso Pai e Criador foi aniquilado pelo sacrifício de Cristo e nos concedeu nova oportunidade de vivermos em comunhão com o Senhor de todo o Universo.

E se lançou tudo nas profundezas do mar, é porque Ele sabe que o homem, com toda sua ciência e conhecimento, não pode chegar até lá... Ora, isso nos assegura que, se o Criador de todas as coisas e pessoas, o Rei de toda existência, o Autor da vida nos perdoou, a Autoridade Máxima de todo o Universo deixou nossa história de iniqüidade no mais profundo esquecimento, quem mais poderia ou deveria se lembrar?

A resposta é: ninguém, a não ser quem cometeu o próprio erro, mas não para se lamentar, porém, para glorificar e agradecer a Deus pelo perdão e pelo favor que Ele nos concedeu em nos receber de volta como Seus filhos amados.