sábado, 16 de julho de 2011

Um clamor na tempestade

A Bíblia em um ano:
Salmos 16-17
Atos 20.1-16

“E eis que, no mar, se levantou uma tempestade tão grande, que o barco era coberto pelas ondas; Ele [Jesus], porém, estava dormindo. E os Seus discípulos, aproximando-se, o despertaram, dizendo: Senhor, salva-nos, que perecemos.”
Mateus 8.24-25


Nós falamos tanto da incredulidade de Tomé em aceitar que Jesus havia ressuscitado... E da de Pedro afundando nas águas quando olhou para o vento a soprar ao seu redor mesmo depois de ter caminhado sobre elas enquanto olhava só para Jesus... Falamos também dos discípulos que estavam com Jesus no barco e se perturbavam por causa da tempestade...

Mas conosco é a mesma coisa todos os dias!

Quando as dificuldades da vida se levantam, a nossa fé tende a se abalar. Nem que seja por um minuto, vemos o Senhor como alguém muito distante para ser avisado e chegar a tempo de nos ajudar, incompetente para nos socorrer, atrasado em tomar alguma atitude em nosso favor, covarde para enfrentar a luta conosco e, por isso, nos sentimos sozinhos em momentos assim.

Muitos de nós chegam mesmo a buscar soluções sem a interferência de Deus. É como se pensassem: “Ele não fez nada ainda, então eu mesmo(a) vou fazer!”

Contudo, a Palavra que lemos hoje, nos garante algo tremendo. É uma atitude simples, mas extremamente poderosa e eficaz, que demonstra a prontidão do Senhor em ajudar quem dEle depender. Estamos falando em nos aproximar de Deus e contar para Ele a nossa situação.

Quando surge uma adversidade, nossa primeira reação é agir contra ela.

Os discípulos nos ensinaram algo maravilhoso: ao invés de agirem contra a tempestade, Eles buscaram Jesus e O acordaram! Mesmo que tenham feito isso pensando que Jesus fosse um “descansado da vida”, que estava vendo o mundo se desmoronar e não estava “nem aí” para nada... Mesmo que aqueles discípulos tivessem ido até a popa onde Jesus dormia, pensando que o Mestre fosse somente um homem comum, como qualquer um deles, e que não estava Se preocupando em morrer... Mesmo assim aqueles discípulos tomaram uma atitude que todos nós devemos tomar em todos os momentos de nossas vidas (sejam de problemas ou de vitórias e conquistas): Eles chamaram o Senhor!

O Senhor tem poder e autoridade sobre toda a natureza e, por isso mesmo, não Se perturbou com aquela situação de extremo perigo. Mas dormia. Nem mesmo as ondas agitadas açoitando o barco e as rochas, o forte vento que soprava e embravecia a tempestade, a grande fúria do mar... nada disso acordou Jesus.

Mas o chamado dos Seus discípulos amados foi mais forte que tudo isso. A voz de Seus discípulos acordou Jesus.

Da mesma maneira, o Senhor nos declara hoje que Ele tem poder sobre tudo o que existe (pois foi Ele mesmo quem criou todas as coisas), e as situações da vida nada mais são que permissões do Senhor para nos abençoar, se soubermos buscar nelas o ensinamento do Senhor (Romanos 8.28).

Portanto, ao invés de procurarmos uma maneira de resolver-nos nas adversidades, ousemos “acordar” Jesus com nossa voz, por meio da nossa oração sincera ao Deus Vivo, que tem controle sobre a mais bravia tempestade.

No Salmo 18.3, o salmista nos ensina o caminho: “Invocarei o nome do Senhor, que é digno de louvor, e ficarei livre dos meus inimigos.”

Jesus não Se incomodou com o grande mal da natureza, mas Se incomodou quando Seus discípulos Lhe chamaram.

Talvez Ele ainda não tenha escutado o seu clamor e, por isso, ainda não te respondeu.