segunda-feira, 18 de julho de 2011

Um dia nos átrios

A Bíblia em um ano:
Salmos 20-22
Atos 21.1-17



“Vale mais um dia nos Teus átrios do que, em outra parte, mil. Preferiria estar à porta da Casa do meu Deus, a habitar nas tendas da impiedade.”
Salmos 84.10


Um dia que pode fazer a diferença.

Um único dia que pode ser suficiente para que se confirme a salvação eterna de uma vida.

É o dia em que se adentra nos átrios de Deus e se tem um encontro face a face com Ele. Quem volta desse encontro nunca mais será o mesmo.

Moisés, um dia, se encontrou com Deus sobre um monte. A pessoa de Deus Se revelava num fogo que ardia numa sarça e não a consumia (Êxodo 3.1-5). Desde então, Moisés passou a ser uma bênção nas mãos do Senhor e se tornou um dos mais notáveis personagens da história humana, tamanha era sua comunhão com Deus e o legado de santificação e obediência que ele nos deixou.

Naquele dia, Moisés morria completamente para o mundo e renascia para começar uma nova história completamente voltada para Deus.

Um dia nos átrios do Senhor faz toda diferença na vida de um cristão. É um dia em que Deus alcança nosso coração e toca suavemente em nosso espírito. Mesmo em mil dias sem Deus em qualquer outro lugar do mundo poderiam realizar tal obra em nós.

Há, porém, muitas pessoas que estão na casa de Deus, mas não em Seus átrios, cultuando a Deus e se relacionando pessoalmente com Ele. As tais assistem ao culto estando no pátio, do lado de fora. Não precisamente em termos literais (embora permanecer do lado de fora da igreja durante as reuniões também seja uma triste prática amplamente comum atualmente nas reuniões da igreja). Falamos aqui da intimidade com Deus, da comunhão intensa, da entrega total a Deus.

Há muitos “perdidos na casa do Pai”, que não conhecem Deus nem O buscam com paixão, com vontade. Mantêm com Ele um relacionamento à distância e não gozam da verdadeira alegria e da paz que preenchem o interior de quem se entrega completamente a Deus.

A relação íntima e sincera com Deus é tão maravilhosa, que o salmista chega a declarar que estar à porta da Casa do Senhor é preferível a habitar dentro das tendas dos ímpios. Pois ele sabe que, à porta da Casa de Deus, nós podemos ouvir louvores que tocam a alma, assim como o som de palavras que penetram no mais profundo de nosso ser. Ali, podemos sentir o perfume de Deus que vem trazido pelo vento a correr pelas gretas da porta. Podemos ouvir os sons da verdadeira alegria que caracteriza o povo adorador do Todo-Poderoso Deus. Sentimos o cheiro da comida deliciosa que compõe o banquete farto a alimentar todos que habitam com Deus. Som de festa, som de vitória, som de paz...

Somente à porta da Casa de Deus nosso ser já se sente bem... Que dirá habitar na Casa do Senhor por longos dias!

Se podemos adentrar os átrios de Deus, ainda que seja somente por um dia, não queiramos ficar à porta, ou no pátio, ou – pior – distante da Casa de Deus.

Busquemos do Senhor um aproveitamento total dessa oportunidade que nos é permitida hoje, de entrar nos Santo dos santos para adorar a Deus em espírito e em verdade.

E, depois de um encontro face a face com o Rei da Glória, nossas vidas, com certeza, tomarão outro rumo... E fará com que esse dia se transforme numa eternidade.