quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Debaixo das asas

A Bíblia em um ano:
Salmos 100-102
1Coríntios 1




“Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas e apedrejas os que te são enviados! Quantas vezes quis Eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e tu não quiseste!”
Mateus 23.37


É curioso observar o instinto protetor que os animais da natureza têm em relação aos seus filhotes.

E às vezes fico procurando uma razão para que Deus tenha Se comparado a uma galinha e não a outro animal mais forte e respeitável nesta passagem bíblica.

Há, por exemplo, uma espécie de peixe que guarda seus filhotes dentro da própria boca ao menor sinal de ameaça para sua cria.

Outro exemplo, é o bebê elefante, que anda seus primeiros meses embaixo das pernas da mamãe elefanta, para se proteger dos predadores.

Entendo que Deus poderia ter citado o elefante, em vez de uma galinha, para nos contar um pouco sobre Seu amor e Seus cuidados para com Seus filhos.

Porém, creio que Ele tenha usado a galinha - um exemplo simples porém, muito significativo – por vários motivos – bastante óbvios – mas que muitas vezes nos passam desapercebidos:

Provavelmente, Deus usou esse exemplo, porque sabe que raramente alguém não conhecerá uma galinha (ao contrário de um elefante ou do peixe que habita nas profundezas do mar, os quais poucas pessoas vêem ao vivo e à cores e têm a oportunidade de observar seu comportamento mais detalhadamente). Bem assim é a existência de Deus: pode ser confirmada pelos olhos de todos. E mesmo quem ainda não tenha ouvido falar de Jesus, sabe da existência de Deus Criador, porque “os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das Suas mãos.” (salmos 19.1)

Outro motivo pelo qual o Senhor usou esse exemplo, também, pode ser porque debaixo das asas da mamãe galinha, os pintinhos se sentem confortáveis, seguros, aquecidos.

Em fortes tempestades, a galinha ajunta seus filhotes sob suas asas e se prontifica a suportar toda a chuva para que eles estejam salvos dela. Certa vez um pastor me contou que, após uma noite de forte chuva, ele viu uma galinha amuada num canto do quintal, sem se movimentar. Estava encharcada e, ao se aproximar dela, ele constatou o que bem lhe parecia: a pobre galinha estava morta. O espantoso, porém, foi se deparar com os pintinhos vivos, assustados, saindo debaixo dela quando perceberam que ele havia se aproximado.

Esse exemplo nos mostra que a galinha é um animal disposto a dar a própria vida para proteger seus pintinhos. Quem já teve a curiosidade de observar, verificou que ela chega mesmo a atacar pessoas que tentam se aproximar dos pintos. E assim é a disposição de Deus para com todos os Seus filhos: Ele enfrenta qualquer força contrária para nos proteger e chegou mesmo a entregar Sua vida (através de Jesus Cristo) numa cruz por amor a nós.

Porém, independente dos motivos pelos quais Deus exemplificou Suas intenções de paz e vida para nós usando a uma galinha, devemos mesmo é agradecermos todos os dias por ser Deus tão Santo e Formoso, e ainda assim Se importar com pessoas tão pequenas e limitadas como nós.

Nosso bem-estar ou mal-estar preocupa Deus. Ele Se incomoda quando vê Seus filhos padecendo a afronta do mal e não tendo forças nem sabedoria suficientes para combatê-lo. Por isso, nos convida a descansarmos à Sua sombra, enquanto Ele suporta e vence tudo por nós.

Sim! Deus sabe das nossas fraquezas e limitações. Ele sabe do tamanho das nossas forças e do tamanho das forças que nos querem devorar todos os dias. Por isso, Ele nos lembra diariamente pela maravilhosa passagem expressa no Salmo 91.4: “Ele [Deus] te cobrirá com as Suas penas, e debaixo das Suas asas estarás seguro.”

A intenção do Pai em nos convencer do quanto Ele deseja nos manter sob os Seus cuidados supera as nossas razões para nos mantermos distantes dEle.