terça-feira, 23 de agosto de 2011

Sempre firmes!

A Bíblia em um ano:
Salmos 107-111
1Coríntios 5


"Portanto, meus amados irmãos, mantenham-se firmes, e que nada os abale. Sejam sempre dedicados à obra do Senhor, pois vocês sabem que, no Senhor, o trabalho de vocês não será inútil."
1Coríntios 15.58


Quando nós queremos ajudar o trabalho pelo Reino de Deus a se desenvolver com êxito, nós nos empenhamos ao nosso máximo, damos o melhor de nós para que todas as ações que partam de nós tenham sucesso. Nós oramos e apresentamos tudo com um cuidado exemplar diante de Deus. Nós procuramos auxiliar em outros trabalhos, quando solicitados e até quando não. Mas nem todos nós buscamos melhorar a nós mesmos, de forma a melhorar aquilo que realizamos.

A qualidade do trabalho para o Reino de Deus não depende de recursos materiais, nem de apoio governamental, por exemplo. Depende, sim, da responsabilidade, da seriedade, da dedicação, da santidade e do amor com que lidamos com ele. Muitas vezes – na grande porcentagem das vezes – o motivo dos insucessos e das frustrações nos trabalhos que realizamos não está na instituição ou nas circunstâncias, mas em nós mesmos: na nossa falta de compromisso, na nossa insensibilidade ao Espírito Santo, na nossa pouquíssima humildade e insubmissão, na nossa irresponsabilidade e nos nossos interesses incoerentes – geralmente, mais egoístas e ambiciosos que fraternais e espirituais – entre tantos outros erros cujas origens estão em nossos corações endurecidos pelo nosso orgulho e razão próprios.

Infelizmente, a maioria das pessoas que trabalham pelo Reino de Deus, ou o faz por puro interesse em assumir cargos e exercer seu governo aqui na terra, ou o faz por pura imposição dos seus superiores eclesiásticos, porque se vê acuada e até constrangida diante das exigências, chantagens, dos julgamentos e das sentenças espirituais condenatórias que recebem da parte dos líderes. Há ainda aqueles que fazem o trabalho para o Reino pensando unicamente em cumprir uma obrigação, e isso é muito perigoso, pois na maioria das vezes, resulta num trabalho relaxado, negligente, superficial, do tipo “para inglês ver”. [Como se Deus não conhecesse as condições dos nossos corações quando fazemos algo para Ele – se com alegria ou por pura obrigação.]

No final dessas coisas, o que vemos é um trabalho pouco espiritual e extremamente religioso, pouco organizado e extremamente exibicionista, pouco direcionado pelo Espírito Santo e extremamente impulsionado pelas emoções humanas.

Se você tem algo a fazer pelo Reino de Deus, faça-o com seu coração adorador, não com sua mente julgadora. Não determine se vale ou não à pena se empenhar, ainda que pareça que não, pois só o próprio Deus é quem pode ver até onde suas realizações estão chegando e quem está recebendo o produto do seu trabalho. Se você olhar as condições gerais e a disposição dos outros, você não conseguirá fazer seu trabalho de forma a agradar o coração do Senhor [e nem as pessoas, geralmente].

Mesmo que pareça que você é um peixinho solitário nadando contra a correnteza, dedique-se a dar o seu melhor e prossiga subindo as águas, com a certeza que o Mestre te dará todo o suporte necessário.

Importa que você chegue diante dEle no Dia do Senhor e se apresente como alguém dedicado e responsável, que não desistiu nem se deixou levar pelas ondas, mas fez a sua parte com excelência e amor a Jesus e a quem Ele amou.