terça-feira, 30 de agosto de 2011

Uma característica louvável

A Bíblia em um ano:
Salmos 129-131
1Coríntios 11.1-16


“O Senhor, pois, tornou a chamar a Samuel terceira vez, e ele se levantou, e foi a Eli, e disse: Eis-me aqui, porque tu me chamaste. Então entendeu Eli que o Senhor chamava o jovem. Por isso Eli disse a Samuel: Vai deitar-te e há de ser que, se te chamar, dirás: Fala, Senhor, porque o Teu servo ouve. Então Samuel foi e se deitou no seu lugar.”
1Samuel 3.8-9



A submissão é prática difícil na vida da maioria das pessoas, inclusive das que congregam pelo nome de Jesus.

Aprendemos com Samuel, porém, que a submissão é um dom. Uma característica louvável na vida de qualquer pessoa, principalmente no caráter dos filhos de Deus.

Samuel era um pequeno aprendiz de sacerdote quando Deus o chamava para Se revelar a Ele como o Senhor e também a lhe manifestar Sua palavra (1Samuel 3.7). Mas nem pelo fato de servir ao Senhor no templo e por ter sido consagrado a Deus desde antes mesmo de ser formado no ventre de Ana (Samuel era um pedido e um voto de Ana ao Senhor – 1Samuel 1.9-11), ele não se exaltou por isso, mas permaneceu sempre submisso à ordenança superior que lhe fora instituída por Deus.

Ele sabia que Eli não tinha uma atitude muito correta diante de Deus por não repreender seus próprios filhos carnais por causa da iniqüidade que eles cometiam e que Eli bem conhecia (1Samuel 3.12-14). Porém, ele obedecia assim mesmo o sacerdote que Deus havia instituído para cuidar dele e ajudar em sua formação espiritual diante do Senhor.

Quando Deus chamou Samuel pela madrugada, o garoto, por três vezes, não entendeu a voz, mas pensou ser o próprio Eli a lhe chamar. Quando Eli lhe orientou para se voltar ao Senhor, Samuel poderia muito bem se lembrar do fato de nem mesmo o próprio Eli estar se voltando tão prontamente para Deus e, simplesmente, desobedecer à instrução e voltar a dormir descansadamente.

O contrário, porém, foi a atitude de Samuel. Ele simplesmente obedeceu. Antes mesmo de saber de Eli que era Deus quem o chamava, Samuel já estava demonstrando obediência quando, nas três primeiras vezes ouviu a voz do Senhor e se apresentou diante de Eli, dizendo: “Eis-me aqui, porque Tu me chamaste.” (1Samuel 3.5,6,8)

A insubmissão dentro da casa de Deus tem levado muitos crentes ao enfado espiritual, à inquietação, à murmuração, aos falatórios, à ira, à contenda e, conseqüentemente, ao esfriamento espiritual e ao afastamento de Deus.

Nossos pastores e líderes são pessoas que, ainda que não tenham sido instituídas pela determinação do próprio Deus, o foram por Seu pleno consentimento. Nada acontece sem a permissão de Deus neste mundo e, ainda, nada acontece sem um propósito firme do Senhor (Eclesiastes 3.1).

A nossa parte é sermos obedientes, pois até mesmo as autoridades que não estão envolvidas com a igreja foram instituídas segundo a permissão do Senhor (1Pedro 2.13-17; Mateus 22.21; Romanos 13.1). Devemos interceder por eles e dar a eles sempre o bom testemunho de servos de Deus, os quais se preocupam com a salvação de suas almas e também com o recebimento imerecido das bênçãos de Deus sobre a terra (1Pedro 2.18-22).

Se Samuel fosse um rebelde, insubmisso à seus superiores, andando segundo a vontade de seu próprio coração e segundo suas próprias visões e conceitos, que autoridade teria ele para repreender Saul quando este veio a cometer pecados graves a ponto de o próprio Deus o desprezar? (Leia 1Samuel 13).

A Bíblia diz que Samuel "foi e se deitou no seu lugar" (1Samuel 3.9), e isso implica lembrar que ele sabia que era subordinado a uma autarquia superior, que devia submeter-se a ela e ocupar o seu devido lugar. Não implica em permanecer sem sonhos, nem sem aspirações, mas sim em ser obediente e temente a Deus, que estabelece todas as coisas debaixo do Céu, até que Ele mesmo exalte Seu servo no tempo em que entender ser convincente.

O fato de obedecer e interceder pelas pessoas em vez de murmurar e falar contra elas, tornou Samuel alguém agradável diante de Deus. Ele crescia com o Senhor, “o Senhor era com ele, e nenhuma de todas as suas palavras deixou cair em terra. E todo o Israel conheceu que Samuel estava confirmado por profeta do Senhor.” (1Samuel 3.19-20)

Apoiar erros não é a atitude correta para os filhos de Deus. Interceder pelo perdão dos pecados e apresentar as vidas diante de Deus para que sejam cheias de sabedoria e direcionamento de Deus, sim!

Não é preciso ser teólogo para se agradar a Deus. Basta ser decidido e praticante.

Conhecer a Deus é experimentar seu amor em Cristo, e responder a este amor em obediência. (C. H. Dodd)