segunda-feira, 19 de setembro de 2011

...Apenas a sua cruz!

A Bíblia em um ano:
Eclesiastes 1-3
2Coríntios 11:16-33


“Aceitem o que é fraco na fé, sem discutir assuntos controvertidos. Um crê que pode comer de tudo; já outro, cuja fé é fraca, come apenas alimentos vegetais. Aquele que come de tudo não deve desprezar o que não come, e aquele que não come de tudo não deve condenar aquele que come, pois Deus o aceitou. Quem é você para julgar o servo alheio? É para o seu senhor que ele está de pé ou cai. E ficará de pé, pois o Senhor é capaz de o sustentar. Há quem considere um dia mais sagrado que outro; há quem considere iguais todos os dias. Cada um deve estar plenamente convicto em sua própria mente. Aquele que considera um dia como especial, para o Senhor assim o faz. Aquele que come carne, come para o Senhor, pois dá graças a Deus; e aquele que se abstém, para o Senhor se abstém, e dá graças a Deus. Pois nenhum de nós vive apenas para si, e nenhum de nós morre apenas para si. Se vivemos, vivemos para o Senhor; e, se morremos, morremos para o Senhor. Assim, quer vivamos, quer morramos, pertencemos ao Senhor. Por esta razão Cristo morreu e voltou a viver, para ser Senhor de vivos e de mortos. Portanto, você, por que julga seu irmão? E por que despreza seu irmão? Pois todos compareceremos diante do tribunal de Deus.”
Romanos 14.1-10


Quando nós nos damos aos falatórios, às fofocas, aos fuxicos, aos julgamentos, nós estamos nos preocupando exageradamente com as vidas de outras pessoas e, inevitavelmente, deixamos de viver a nossa própria vida. Na nossa dura caminhada para o Céu, falhamos em muitos pontos que carecem da nossa concentração integral, simplesmente porque nós a canalizamos para as vidas dos outros e acabamos deixando lacunas por se resolverem na nossa.

De fato, nossa cruz é tão pesada e nossas histórias tão complicadas, que o Senhor já quis nos poupar da desilusão de não conseguirmos resolver a vida das outras pessoas. Nos preservando desse desgaste inútil, Ele pretende que nós empreguemos toda a nossa energia e potencial exclusivamente com a nossa própria vida. [E até isto somente, para muitos, parece ser difícil demais!]

Deus sabia que nem da minha própria vida eu daria conta direito e, então, privou-me da competência enorme de sair por aí, cuidando das vidas dos outros, incomodada com a maneira de ser dos outros e fofocando sobre eles, falando mal, tecendo comentários vãos, levantando calúnias, escarnecendo, maldizendo, julgando e condenando. Só o Senhor sabe julgar com justiça:

“Mas, se nós nos examinássemos a nós mesmos, não receberíamos juízo. Quando, porém, somos julgados pelo Senhor, estamos sendo disciplinados para que não sejamos condenados com o mundo.” (1Coríntios 11.31-32)

Só Ele sabe o que se passa no íntimo de cada alma (1Samuel 16.7), e só Ele tem maturidade, equilíbrio e poder de sustentar o fardo pesado de todos nós juntos (1Pedro 5.7), conduzindo-nos com sabedoria pelo caminho certo e da maneira certa (Provérbios 14.12; Salmos 5.8; 18:30,32).

“Cada um de nós prestará contas de si mesmo a Deus” (Romanos 14.12). Por isso, vamos deixar com Ele a direção e os pareceres pessoais sobre as vidas das pessoas. Se há alguém que deve se sentir incomodado com as atitudes e escolhas dos outros, esse alguém é o Senhor, que é o dono das suas vidas (1Coríntios 3.17; 6:19-20). A nós cabe amar e respeitar todas as pessoas, orar por elas, e aconselhá-las quando, no momento certo, o Espírito Santo nos induzir a isso.

O Senhor sabe quão grande é o desencanto, e quão pesado seria para nós lidar com os defeitos, fraquezas e erros dos outros. [Só Ele é capaz de suportar todos os seres humanos de uma só vez...]. E, por isso, nos ordenou a tomarmos apenas a nossa cruz e segui-Lo.

Apenas uma cruz. A nossa cruz. E isso já está de bom tamanho.


Como o Senhor é Bom, Pai Santo! O Senhor não é um Deus irresponsável, inconsequente ou injusto. O Senhor deu uma cruz para cada um de nós levarmos, de acordo com as nossas devidas forças. O Senhor não deu nem maior e nem menor do que possamos suportar. Mas há pessoas que deixam sua cruz de lado e vão cuidar da maneira como os outros estão levando as deles. Senhor, liberta cada um dos Teus filhos dessa ocupação maligna com as vidas alheias e ajuda-nos a caminharmos com o Espírito Santo do Senhor da maneira correta, nos santificando e crescendo em Ti a cada dia, para que não tenhamos do que nos envergonhar, quando nos apresentarmos diante do Senhor naquele Grande Dia. No nome de Jesus, eu oro. Amém.