sábado, 24 de setembro de 2011

Depois da Sua vitória...

A Bíblia em um ano:
Eclesiastes 10-12
Gálatas 1-2




“...Quero que sejam sábios em relação ao que é bom, e sem malícia em relação ao que é mau. Em breve o Deus da paz esmagará satanás debaixo dos pés de vocês. A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja com vocês.”
Romanos 16.19-20


Muitos crentes cantam [e acreditam] por aí que satanás está debaixo dos seus pés. Isso é, no mínimo, um convite para que satanás se aproxime deles.

A bíblia diz que ele anda solto por aí, “rugindo como leão, procurando quem possa tragar.” (1Pedro 5.8). Diz também que satanás só será derrotado por completo, após o arrebatamento, o armagedom e o cumprimento das profecias narradas do capítulo primeiro ao capítulo 20 do livro de Apocalipse (Apocalipse 20.7-10). Até esse momento, quem o mantém sob os Seus pés é o Senhor, para que haja um freio nas ações do diabo mundo a fora. Fosse de outra forma, ele simplesmente já teria aniquilado todos nós sem nenhuma piedade.

O fato é que satanás ainda está vivo. E está disposto a investir como puder, ordenando seus demônios de todos os lugares para nos atormentar e destruir. Contudo, ele não tem poder [e é aqui que vemos que ele só age até onde Deus permite] sobre a vida de um verdadeiro filho de Deus. Quem caminha diariamente à sombra de Cristo, não pode ser alcançado pelo diabo. Mas quem ousa deixar a proteção que nos é garantida pela presença e direção do Senhor, ou quem faz o seu próprio caminho, frequentemente está lidando pessoalmente com o mal – e, inevitavelmente, perdendo sua luta contra ele. (João 15.4-5)

Por isso é que Paulo termina o verso 20 de Romanos 16, desejando a Graça do Senhor Jesus Cristo sobre os santos cujos pés pisarão sobre o diabo depois que o Deus da Paz o esmagar e destruir.

Que o destruirá é o Senhor. Não nós. Deus é muito piedoso e sabe que não damos conta desse recado. Ele Se encarrega de vencer satanás por nós e, depois da Sua vitória, nos dá o direito de pisar sobre o que sobrar dos cacos do maligno. É como aquele pai que coloca seu martelo na mão do filho e segura sua pequena mãozinha com todo amor, ajudando-o a bater sobre os pregos já enterrados na madeira, fazendo-o crer que ele também ajudou a fazer aquela grande obra. A força que impulsiona o martelo contra o prego vem da mão forte do pai. Mas o filho sente-se realizado, mesmo depois de adulto, quando passa a entender que seu pai não seria irresponsável de colocar uma ferramenta em suas mãos e deixá-lo sozinho. O filho compreende que o pai amorosamente lhe permitiu participar da sua vitória.

Deus é tão bom, que não vai permitir nem mesmo que sujemos nossos pés com os excrementos que deverão sair de dentro da carcaça de satanás, quando ele for totalmente derrotado. Seremos como aquela criança aprendendo a andar, dando os seus primeiros passos seguro pelas mãos fortes do pai e com seus pezinhos apoiados sobre os pés dele.

E, enquanto isso não acontece, o Pai nos dá a oportunidade de assisti-Lo de lado dando Suas marteladas na cabeça do diabo. Ele nos dá o privilégio de assisti-Lo trabalhando e realizando uma obra de excelência a cada dia em nossas vidas e contra satanás. Ele nos dá o direito de adorá-Lo, de admirá-Lo, de nos derreter de amor por Ele, enquanto contemplamos Sua força e sabedoria, Seu amor e perfeição. E como a criança sentada no banquinho em redor do seu pai admirando-o em sua totalidade, estamos sentados num banquinho, sonhando em crescermos e sermos como nosso Deus é.

E, enquanto trabalha concentradamente, Ele nos concede a Sua Graça para que vivamos da maneira correta e possamos vencer as astutas ciladas do diabo. Para que possamos chegar ao ponto em que veremos Sua obra devidamente terminada.

Todos os pregos no seu devido lugar. As cinzas do mal esparramadas no lugar de desprezo e esquecimento eterno. E nossos pés caminhando sobre elas, de mãos dadas com o nosso Pai.