sábado, 8 de outubro de 2011

...Mas Deus me ama!

A Bíblia em um ano
Isaías 29-31
Filipenses 3-4





“Minhas feridas cheiram mal e supuram por causa da minha insensatez. Estou encurvado e muitíssimo abatido; o dia todo saio vagueando e pranteando. Estou ardendo em febre; todo o meu corpo está doente. Sinto-me muito fraco e totalmente esmagado; o meu coração geme de angústia. Senhor, diante de Ti estão todos os meus anseios; o meu suspiro não Te é oculto. Meu coração palpita, as forças me faltam; até a luz dos meus olhos se foi. Meus amigos e companheiros me evitam por causa da doença que me aflige; ficam longe de mim os meus vizinhos.”
Salmos 38.5-11


Sem saúde, sem amigos. Sem dinheiro, sem amigos. Sem honra, sem amigos.

Já prestou atenção como os “amigos” se ausentam quando tudo vai mal em nossas vidas? E já prestou atenção como amigos de verdade estão escassos de se encontrar?

Graças a Deus que não nos desampara! E ainda que fiquemos sem nada, não ficamos sem Deus. Esse foi o pensamento do salmista. Ele havia sido rejeitado por todos, mas sabia que Deus o amava.

Davi sabia que mesmo fedendo por causa da sua enfermidade [a Bíblia não especifica qual], as narinas de Deus sentiriam o cheiro agradável da sua adoração e dependência do Pai Eterno. Davi sabia quem era o Deus a quem tinha servido desde a sua infância, e tinha plena certeza que agora Ele não o abandonaria, nem mesmo quando fisicamente parecesse impossível Deus desejar Se aproximar dele também.

Para clamar a Deus a sua presença e socorro, Davi tirou forças da certeza que Deus nos ama incondicionalmente. Da plena certeza que Deus não é instável como o homem é e nem faz acepções de pessoas. Davi tirou forças do sublime amor de Deus, que ele já conhecia bem.

Certa vez, Jeremias começou a definhar diante da situação do seu povo e principalmente da sua própria situação de sofrimento absoluto. E disse: “Lembro-me bem disso tudo, e a minha alma desfalece dentro de mim. Todavia, lembro-me também do que pode me dar esperança: Graças ao grande amor do Senhor é que não somos consumidos, pois as Suas misericórdias são inesgotáveis. Renovam-se a cada manhã; grande é a Sua fidelidade!” (Lamentações 3.20-23)

Assim como eu e como você em muitos dos nossos dias, certamente Davi também já acordou em manhãs que não teve o desejo de se levantar da cama. Talvez ao sentir a ausência de todos tenha também amargado o desprezo da mesma gente por quem lutou a vida toda, desde que venceu um gigante para livrar Israel dos filisteus, até o último dia do seu reinado, o qual exerceu com excelência e foi considerado o melhor rei que os israelitas já tiveram.

Certamente Davi, assim como Jeremias, olhava para o futuro e não conseguia enxergar nada além de uma grande nuvem cinza. Mas eles sabiam que Deus estava ali, em algum lugar, porque Ele prometeu que estaria, e as Suas palavras não falham. Então, isso trouxe esperança a ambos. Foi Deus mesmo quem disse que ainda que uma mãe se esquecesse do filho que amamenta, ainda assim Ele não Se esqueceria dos filhos que gerou no Seu amor. Os nomes desses filhos, Deus tem gravados na palma da Sua mão (Isaías 49.15-16). Não há como esquecê-los.

Nós é que nos esquecemos disso. Em vez de vermos a nuvem cinza que cobre nosso presente e só nos permite ver nosso futuro como uma grande impossibilidade de vitória, deveríamos pensar nela como a nuvem da poeira da grande obra que o Senhor Deus está erguendo em nossas vidas.

Quando buscamos as Suas gloriosas promessas na Palavra e nos testemunhos que lotam nosso passado, nossa memória se enche de coisas boas e nosso coração volta a ter esperança. Davi olhou assim para Deus: ele viu um Deus de amor, que não lhe abandonou nem quando ele cometeu terríveis erros, como adulterar-se com Bate-Seba e depois mandar assassinar seu esposo (2Samuel 11-12). Jeremias trouxe à memória que as misericórdias do Senhor são incontáveis e se renovam a cada manhã. O passado de exemplos gloriosos dessa fidelidade do Senhor fez que esses homens acreditassem que o presente mudaria e o futuro seria ainda melhor.

Ausência de amigos, falta de dinheiro, problemas de saúde, anonimato. Seja qual for o nosso problema, o amor de Deus será sempre maior e nos cobrirá todos os instantes. Podemos buscar a Sua face certos que Ele não nos rejeitará. Ele não deixará que nos falte o bem mais importante e essencial que temos: a sua presença.

E só assim, mesmo que percamos tudo na vida, se tivermos o Senhor, ainda seremos as mais ricas de todas as pessoas.

Eu experimentei isso nessa manhã. Das minhas profundezas, clamei a Deus e Ele me abraçou.

Compreendi que Ele nunca deixou de me amar. E Seu amor é tudo o que preciso ter para ter certeza que chegarei onde preciso.