domingo, 16 de outubro de 2011

Na Casa da Graça de Deus

A Bíblia em um ano
Isaías 47-49
1Tessalonicenses 4



“Havia um homem chamado Lázaro. Ele era de Betânia, do povoado de Maria e de sua irmã Marta. E aconteceu que Lázaro ficou doente. [...] Então, as irmãs de Lázaro mandaram dizer a Jesus: ‘Senhor, aquele a quem amas está doente’. [...] Ao chegar, Jesus verificou que Lázaro já estava no sepulcro havia quatro dias. [...] Então, tiraram a pedra. Jesus olhou para cima e disse: ‘Pai, Eu Te agradeço porque Me ouviste. Eu sei que sempre Me ouves, mas disse isso por causa do povo que está aqui, para que creia que Tu me enviaste’. Depois de dizer isso, Jesus bradou em alta voz: ‘Lázaro, venha para fora!’ O morto saiu, com as mãos e os pés envolvidos em faixas de linho e o rosto envolto num pano. Disse-lhes Jesus: ‘Tirem as faixas dele e deixem-no ir’. ”
João 11.1,3,17,42,43

Muitas vezes, Jesus usou parábolas, isto é, pequenas histórias para ilustrar um fato que aconteceu, que acontecia ou que ainda iria acontecer. Essas histórias, além de facilitarem a compreensão acerca dos ensinos de Deus, estimulam a criatividade e aguçam a sensibilidade espiritual dos ouvintes, de forma a despertar em muitos deles o interesse crescente de aprender cada vez mais do Senhor.

Porém, a grande maioria das narrativas bíblicas, são fatos reais. Não parábolas. A ressurreição de Lázaro é um desses fatos verídicos, que emocionam por sua grandeza e remetem nossas mentes à uma reflexão mais profunda sobre quem é, o que tem e o que pode fazer o Senhor Jesus.

Lázaro, o enfermo que veio a falecer, é a ilustração mais precisa que vejo na Bíblia de pessoas como nós, que buscamos o Senhor e dependemos dEle. Na ausência de Jesus, Lázaro enfermou. Na Sua demora, Lázaro morreu.

Não que o fato de Jesus ter viajado seja o motivo que levou Lázaro a adoecer. A Bíblia, na verdade, não conta qual era o problema de Lázaro. Apenas diz que ele ficou doente e que, depois, veio a óbito. Mas todos sabiam que se Jesus estivesse ali, Lázaro não teria morrido. Tanto as irmãs do falecido, quanto o povo sabiam disso (João 11.21,32,37). E nós podemos dizer que nós também sabemos. Não sabemos?

Sim, sabemos. Ou, antes, pensamos que sabemos, pois nossas histórias de infortúnios são muito parecidas com a de Lázaro. E (pretensamente) nós sabemos que se Deus fizer o que nós queremos, tudo vai dar certo. Nas nossas mentes, isso é o correto. Assim como pensamos ser correto também duvidarmos do amor, da bondade e do cuidado de Deus para com Seus filhos, quando as situações parecem nos esmagar cada instante um pouco mais.

Diante das circunstâncias que nos assolam, muitas vezes somos tentados a aceitar que Deus já não está mais conosco. E, de fato, a impressão que temos é que Ele Se afastou e já não Se importa. Vez em quando Ele até dá um sinal de vida e tenta nos convencer que tudo vai ficar bem.

Mas Ele demora muito, não é? Não faz o que precisamos dentro do prazo que precisamos. Não atende nosso clamor nem no tempo e nem do jeito que pedimos. Nossos quatro dias dentro do túmulo parecem tantos anos...

E assim, os nossos espíritos tendem a enfermar nessa “ausência” de Deus. Caso Ele demore um pouquinho mais do que imaginamos, muitos de nós chegam mesmo a morrer espiritualmente.

Muitas vezes, eu me sinto como Lázaro. Parece que Jesus está sendo cruel demais em não atender logo às minhas petições. Aliás, chego a pensar (como Lázaro e os seus certamente pensaram) que Jesus nem precise Se dar ao trabalho de vir correndo ao meu encontro. Basta uma palavra Sua, de onde Ele estiver, para que tudo se resolvesse aqui. Mas Ele não fala. Pelo menos não o que eu gostaria de ouvir.

Ele não fala porque não é bem assim que o Senhor Jesus trabalha. Não é bem assim que Ele resolve as questões que deixamos em Suas mãos. Ele é o dono do tempo e, por isso, não tem pressa.

E Jesus não tem pressa também porque já nos mantém sob Sua Graça. Estar na Graça de Deus significa ter a certeza que o mesmo Deus que operou milagres incríveis no passado e que nos sustentou até aqui, também é presente hoje e nos sustentará enquanto for preciso e da maneira que for necessária. Estar na Graça de Deus significa guardar a fé e descansar, sabendo que Ele agirá no tempo certo e da maneira certa, exatamente como tem feito até então.

Lázaro era de Betânia. Betânia significa “Casa da Graça de Deus” (Dicionário Bíblico Rideel). Curioso como os acontecimentos da Bíblia têm sempre uma fundamentação sólida suficiente para restaurar e sustentar nossa fé outra vez, não é?

Enquanto vem se aproximando de nós, Jesus quer que lembremos onde estamos. Estamos em Betânia. Estamos na Casa da Graça de Deus. Estamos no lugar certo e na hora certa. E mesmo que estejamos mortos, o Senhor já vem chegando trazendo com Ele a vida. A multidão que está de fora achando que Jesus não fez nada enquanto havia tempo, achando que nosso estado já está fedendo muito e que agora já não tem mais jeito, ficará surpreendida quando nos vir voltando à luz.

Por isso, quando ouvirmos Jesus chamar o nosso nome, não hesitemos em atender e caminhar para fora, por mais fundo que seja o seu sepulcro.