quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Nada

A Bíblia em um ano:
Isaías 23-25
Filipenses 1



“...O Deus que dá vida aos mortos e chama à existência coisas que não existem, como se existissem.”
Romanos 4.17


Há dias em que você não vê mais nada, não entende mais nada, nem consegue pensar mais em nada.

O nada...

Nada costuma ser a resposta dos incertos e a satisfação dos acomodados. Muitas vezes, traduz a realidade dos inconformados e sempre é a dimensão de um escolhido diante de Deus.

Sim. Escolhidos se reduzem a nada. Não diante dos homens, pois dentre eles foram escolhidos e por Deus exaltados. Mas diante do próprio Deus, que faz do nada um tudo.

Foi do nada que o Senhor fez o universo e tudo o que nele há. É do nada, do desprezo, que o Senhor Deus levanta homens e os torna gigantes no meio dos grandes da terra. Deus escolheu o que é nada para confundir o que tem valor. [Curioso esse interesse do Rei do universo por aquilo que não vale nada, não tem nada ou nada é...]

E o nada, muitas e muitas vezes, é tudo o que podemos fazer. É o limite das nossas condições. É o lugar mais distante onde podemos chegar. E o que fazer em momentos assim?

Nada!

Deixar simplesmente que o Deus que detém todo poder faça tudo o que for preciso. Nosso nada é o espaço mais propício para que o Senhor faça muita coisa por nós.

“É bom esperar tranquilo pela salvação do Senhor” (Lamentações 3.26). Aquietar-nos, para sabermos quem é o Senhor. (Salmos 46.10). Nós só O conhecemos de falar, mas nossos olhos precisam vê-Lo. No nada Ele sempre surge, glorioso e imponente...

Muitas vezes é só isso que precisamos fazer, quando nada mais podemos fazer. Às vezes, é só isso que devemos ser: Nada, para que o Senhor seja tudo em nós, por nós e através de nós.

Não há nada mais sustentando a sua fé? Não há nada mais que você possa fazer? Então, essa este é o momento de Deus agir. E nada haverá, então, para atrapalhar o Seu agir.

Nada.