terça-feira, 4 de outubro de 2011

Que não tem do que se envergonhar...

A Bíblia em um ano:
Isaías 20-22
Efésios 6



“Todos os que competem nos jogos se submetem a um treinamento rigoroso, para obter uma coroa que logo perece; mas nós o fazemos para ganhar uma coroa que dura para sempre.”
1Coríntios 9.25


Há alguns dias, eu escrevi aqui sobre o relacionamento de confiança entre pai e filho, e ilustrei essa dependência do filho contando a maneira como o Isaque toca baixo no nosso ministério de louvor e adoração, acompanhando atentamente às notas e praticando as orientações feitas por seu pai Isael. (Leia aqui.)

De fato, é uma relação muito bonita e correta essa que devemos ter com o Senhor, olhando Seus exemplos e reproduzindo-os. Mas existem coisas na vida da gente que não cabem a Deus fazer. Porém, somente a nós. (Josué 1.9; Isaías 41.10; Ageu 2.4)

Respirar, comer, dormir. Deus não pode respirar em nosso lugar, e tampouco comer ou dormir por nós. Nós devemos ingerir a comida que sustentará o nosso corpo, e caso não o façamos, morreremos de fome. Deus nos deu provisões, mas Deus não descerá do céu, preparará o alimento e colocará a comida em nossas bocas. Ele não dormirá lá no céu e nós nos sentiremos descansados aqui na terra quando Ele acordar.

Não. Da mesma maneira que nos concede a bênção, o Senhor também nos dá responsabilidades para com elas. É o caso dos dons. Deus nos dá virtudes e dons, e espera que nós os utilizemos da melhor maneira. Mas também espera que nós os aperfeiçoemos com treinos, com dedicação.

O Senhor deu o dom aos músicos mas não toca seus instrumentos para eles. Ele não costura no lugar da costureira que tem habilidades dadas por Ele mesmo para coser. O Senhor deu o dom de pintura, mas quem pinta quadros é o pintor, não o Senhor. Da mesma maneira, Ele nos deu salvação e liberdade, mas quem deve orar, conhecer e meditar a Bíblia, e buscar estar na presença de Deus somos nós.

Acontece que, às vezes, nossa dependência de Deus é confundida com comodismo, e nós simplesmente não nos movemos em nada, esperando que Deus faça as coisas por nós.

Ontem tivemos um ensaio importante. Talvez o mais importante deste ano. Dentro de três dias realizaremos um culto de louvor ao Senhor numa escola, com fins evangelísticos. Esse trabalho exige uma preparação intensa, pois não serão poucas as forças opressoras do mal que tentarão nos atingir antes, durante e depois das apresentações, principalmente pelo fato de ser um trabalho com não-crentes.

Contudo, o nosso baixista não compareceu ao ensaio. Confiado que copiará as notas do seu pai mais uma vez durante o evento, o Isaque preferiu ficar em casa trabalhando sem sua bicicleta, em vez de aperfeiçoar um pouco mais o seu talento nessa oportunidade que o Senhor nos deu e que não voltará mais.

Mas não é bem assim. No momento da apresentação, erros até são permitidos, desde que não tenham origem em nossa negligência, desatenção e irresponsabilidade para com aquele trabalho. E isso envolve não somente uma preparação vocal e instrumental, mas principalmente uma preparação espiritual, pois durante as ministrações, não haverá tempo para corrigir imperfeições. Tudo já deve ter sido preparado anteriormente e cuidadosamente para que, dentro das nossas limitações, nosso louvor seja perfeito.

Por causa dessa falta, o irmão Isaque não poderá se apresentar juntamente com o grupo naquele trabalho especificamente. Ele não está apto. Não conhece alguns dos hinos. Não se preparou juntamente com a equipe.

Parece-se comigo, diante das promessas que o Pai Celeste tem me feito, das quais muitas ainda não pude ver se tornando realidade por causa das minhas faltas, dureza, teimosias, incapacidade de assumi-las. Certamente ainda não fiz a minha parte direito e não calcei minha vida com condições favoráveis para não ser envergonhada quando o Senhor fizer o que prometeu. Certamente ainda não é o tempo.

Parece-se também com você, que aguarda por bênçãos do Senhor mas, possivelmente, está acomodado, esperando que Deus faça por você a parte que cabe somente a você fazer. Para você também ainda não é o tempo. Ainda falta alguma coisa.

Esperar com paciência no Senhor é uma virtude que deve ser desenvolvida dia após dia em nossas vidas. Mas enquanto esperamos, devemos descruzar os braços e nos aprofundar mais em oração, em conhecimento bíblico, em meditações diárias sobre a Palavra de Deus, em estudos, em comunhão, no exercício da bondade, do amor, da compaixão. “Procure apresentar-se a Deus aprovado, como obreiro que não tem do que se envergonhar, que maneja corretamente a palavra da verdade.” (2Timóteo 2.15)

Devemos estabelecer prioridades e nos dedicar a elas, “remindo o tempo, porque os dias são maus” (Efésios 5.16). Se não for assim, permaneceremos à margem de tudo o que Deus tem para nos dar. E esse “tudo” pode incluir, dependendo do caso, a própria salvação.

Deus nos corrige e nos aperfeiçoa para que sejamos disciplinados, estejamos preparados para tudo, e não sejamos condenados com o mundo (1Coríntios 11.32). E nós devemos fazer a nossa parte, mantendo nossas mentes e corações sempre abertos a receber todo o bem do Senhor para nós, sejam provisões, sejam exortações, sejam orientações, sejam consolos.

“Nenhum atleta é coroado como vencedor, se não competir de acordo com as regras.” (2Timóteo 2.5). Não há conquistas sem dedicação. Não há vitória sem luta. É a nossa determinação em darmos cada vez mais o nosso melhor que assinará o êxito de tudo o que fizermos. E assim, não teremos do que nos envergonhar.