quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Preciosa morte...

A Bíblia em um ano:
Ezequiel 5-7
Hebreus 12:13-29

By Elaine Cândida, com imagens do Google.


“Preciosa é aos olhos do Senhor a morte dos seus santos.”
Salmos 116.15


Hoje enterramos um membro muito querido da nossa congregação. O Lucas, filho mais velho do nosso Pastor, faleceu ontem (15/11/2011), vítima de afogamento.

Em parte, fomos pegos de surpresa, porque ninguém jamais imaginou que ele nos deixaria por agora. Na verdade, a gente sabe que a morte existe e que pode levar qualquer um de nós, mas a gente nunca espera que esse qualquer um seja nós mesmos ou alguém que amamos muito.

Por outro lado, estávamos sob aviso. Há cerca de dez dias, o Senhor falou sobre o púlpito a toda a nossa igreja e pela boca do próprio Pastor [o pai do falecido] que recolheria um dos jovens da nossa congregação, e que isso seria para concerto de muitos.*

O Senhor avisou a todos, e escolheu fazer assim. Seus porquês exatos, ainda desconhecemos. Quem sabe Ele escolha nos esclarecê-los em breve. Mas o Senhor escolheu bem. Escolheu um santo, um menino puro. Tinha 15 anos de idade e era um grande modelo de obediência e dedicação entre os jovens da minha igreja.

Mas, e se o Senhor tivesse permitido a partida de alguém espiritualmente desmantelado... Será que estaríamos tão certos da sua salvação?

A morte é uma certeza e é um risco permanente para qualquer um de nós. Por isso, devemos estar preparados para enfrentá-la, caso o Senhor entenda que não conseguiremos esperar até o arrebatamento e decida nos chamar à Sua presença através dela.

Como simples rompimento do laço que sustentava o corpo físico vivo, a morte é a mesma para todos nós. A diferença é a condição em que se morre. O crente salvo encara a morte diferente do incrédulo, porque os salvos em Cristo Jesus têm incríveis garantias atestadas pela Bíblia.


1. Para os salvos, a morte não é o fim da vida, mas o começo da incomparavelmente melhor e infinita parte. Por isso, ela não é um filme de terror, mas um meio de transição para uma vida mais plena:

“ ‘Onde está, ó morte, a sua vitória? Onde está, ó morte, o seu aguilhão?’ O aguilhão da morte é o pecado e a força do pecado é a Lei. Mas graças a Deus que nos dá a vitória por meio de nosso Senhor Jesus Cristo.” (1Coríntios 15.55-57)

“Ouvi uma forte voz que vinha do Trono e dizia: ‘Agora o tabernáculo de Deus está com os homens, com os quais Ele viverá. Eles serão o Seu povo; o próprio Deus estará com eles e será o seu Deus. Ele enxugará dos seus olhos toda lágrima. Não haverá mais morte, nem tristeza, nem choro, nem dor, pois a antiga ordem já passou.’ [...] A cidade não precisa de sol nem de lua para brilharem sobre ela, pois a glória de Deus a ilumina, e o Cordeiro é a sua candeia. As nações andarão em sua luz, e os reis da terra lhe trarão a sua glória. Suas portas jamais se fecharão de dia, pois ali não haverá noite. A glória e a honra das nações lhe serão trazidas. Nela jamais entrará algo impuro, nem ninguém que pratique o que é vergonhoso ou enganoso, mas unicamente aqueles cujos nomes estão escritos no livro da vida do Cordeiro.” (Apocalipse 21.3-4,23-27)

Para o salvo, morrer é ser liberto das aflições deste mundo, e do corpo terreno – que é suscetível às doenças e ao muito cansaço – para ser revestido da vida e glória celestiais:

“Pois os nossos sofrimentos leves e momentâneos estão produzindo para nós uma glória eterna que pesa mais do que todos eles.” (2Coríntios 4.17)

“Sabemos que, se for destruída a temporária habitação terrena em que vivemos, temos da parte de Deus um edifício, uma casa eterna nos céus, não construída por mãos humanas. Enquanto isso, gememos, desejando ser revestidos da nossa habitação celestial, porque, estando vestidos, não seremos encontrados nus. Pois, enquanto estamos nesta casa, gememos e nos angustiamos, porque não queremos ser despidos, mas revestidos da nossa habitação celestial, para que aquilo que é mortal seja absorvido pela vida. Foi Deus que nos preparou para esse propósito, dando-nos o Espírito como garantia do que está por vir.” (2Cortíntios 5.1-5)


Na Bíblia, lemos de Paulo referências que citam a morte como sono (1Coríntios 15.6,18,20; 1Tessalonicense 4.13-15), o que dá a entender que morrer é descansar do trabalho e das lutas terrenas:

“Então, ouvi uma voz dos céus dizendo: ‘Escreva: Felizes os mortos que morrem no Senhor de agora em diante’. Diz o Espírito: ‘Sim, eles descansarão das suas fadigas, pois as suas obras os seguirão’.” (Apocalipse 14.13)


2. A morte dos salvos é contada na Bíblia por termos e expressões consoladoras. Ela afirma que a morte do santo “preciosa é à vista do Senhor” (Salmos 116.15). É a entrada na paz (Isaías 57.1-2) e na glória (Salmos 73.24). É ser levado pelos anjos “para o seio de Abraão” (Lucas 16.22). É ir ao “Paraíso” (Lucas 23.43). É ir à casa de nosso Pai, onde há “muitas moradas” (João 14.2). É uma partida bem-aventurada para estar “com Cristo” (Filipenses 1.23). É ir “habitar com o Senhor” (2Coríntios 5.8). É um dormir em Cristo (1Coríntios 15.18; João 11.11; 1Tessalonicense 4.13). É um “ganho... ainda muito melhor” (Filipenses 1.21,23). É a ocasião de receber a “coroa da justiça” (2Timóteo 4.8).

Mas sobre a morte dos ímpios (pessoas que vivem na prática do pecado), as expressões bíblicas mudam e são bastante severas. As Escrituras dizem que “os ímpios serão lançados no inferno, e todas as nações que se esquecem de Deus” (Salmos 9.17). Dizem que “Deus não poupou nem os anjos que pecaram, mas os lançou no inferno, prendendo-os em abismos tenebrosos, a fim de serem reservados para o juízo” (2Pedro 2.4), e fará o mesmo com os ímpios. A Bíblia também recorda que João viu que “aqueles cujos nomes não foram encontrados no livro da vida foram lançados no lago de fogo” (Apocalipse 20.15). Lembra ainda que Jesus “dirá aos que estão à Sua esquerda: ‘Apartai-vos de Mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos’ ” (Mateus 25.41). Diz que Jesus não conhece nem sabe de onde são os que “praticam o mal” (Lucas 13.27). E o próprio Jesus é quem lembra que os ímpios “irão para o castigo eterno, mas os justos para a vida eterna.” (Mateus 25.46)


3. Após a morte dos salvos haverá bonança. Em 1Tessalonicense 4.13 lemos: “Irmãos, não queremos que vocês sejam ignorantes quanto aos que dormem, para que não se entristeçam como os outros que não têm esperança." Há diferença no que vem depois da morte de justos e ímpios. Quanto à morte dos justos, devemos entender o seguinte:

a) No momento da morte, o crente é conduzido à presença de Cristo:

“Temos, pois confiança e preferimos estar ausentes do corpo e habitar com o Senhor.” (2Coríntios 5.8)

“Estou pressionado dos dois lados: desejo partir e estar com Cristo, o que é muito melhor, contudo, é mais necessário, por causa de vocês, que eu permaneça no corpo.” (Filipenses 1.23-24)


b) Os justos permanecem em plena consciência e desfrutam de alegria diante da bondade e do amor de Deus:

“Deus nos ressuscitou com Cristo e com Ele nos fez assentar nas regiões celestiais em Cristo Jesus, para mostrar, nas eras que hão de vir, a incomparável riqueza da Sua graça, demonstrada em sua bondade para conosco em Cristo.” (Efésios 2.6-7. Leia também Lucas 16.19-31)


c) O Céu é como um lar, um maravilhoso lugar de repouso e segurança e de convívio com os santos:

“Então, cada um deles recebeu uma veste branca, e foi-lhes dito que esperassem um pouco mais, até que se completasse o número dos seus conservos e irmãos, que deveriam ser mortos com eles.” (Apocalipse 6.11)

“Na casa de Meu Pai há muitos aposentos; se não fosse assim, Eu lhes teria dito. Vou preparar-lhes lugar.” (João 14.2)

d) O viver no Céu inclui adoração e louvor a Deus:

“Ouvi um som dos céus como de muitas águas e de um forte trovão. Era como o de harpistas, tocando seus instrumentos. Eles cantavam um cântico novo diante do trono...” [...] “E cantavam o cântico de Moisés, servo de Deus, e o cântico do Cordeiro: ‘Grandes e maravilhosas são as tuas obras, Senhor Deus Todo-Poderoso. Justos e verdadeiros são os Teus caminhos, ó Rei das nações. Quem não Te temerá, ó Senhor? Quem não glorificará o Teu nome? Pois Tu somente és Santo. Todas as nações virão à Tua presença e Te adorarão, pois os Teus atos de justiça se tornaram manifestos”. (Apocalipse 14.2,3 e 15.3. Leia também Salmos 87).

e) Os salvos no Céu, até o dia da ressurreição do corpo, não são espíritos incorpóreos e invisíveis, mas seres dotados de uma forma corpórea celestial temporária:

“Surgiram dois homens que começaram a conversar com Jesus. Eram Moisés e Elias. Apareceram em glorioso esplendor, e falavam sobre a partida de Jesus, que estava para se cumprir em Jerusalém.” (Lucas 9.30-32. Leia também 2Coríntios 5.1-4).

f) No Céu, os crentes conservam sua identidade individual:

“Eu lhes digo que muitos irão do oriente e do ocidente, e se sentarão à mesa com Abraão, Isaque e Jacó no Reino dos céus.” (Mateus 8.11. Também em Lucas 9.30-32.)

g) Os crentes passam para o Céu e continuam a almejar que os propósitos de Deus na terra se cumpram:

“Quando Ele abriu o quinto selo, vi debaixo do altar as almas daqueles que haviam sido mortos por causa da palavra de Deus e do testemunho que deram. Eles clamavam em alta voz: ‘Até quando, ó Soberano, santo e verdadeiro, esperarás para julgar os habitantes da terra e vingar o nosso sangue?’ Então, cada um deles recebeu uma veste branca, e foi-lhes dito que esperassem um pouco mais, até que se completasse o número dos seus conservos e irmãos, que deveriam ser mortos com eles.” (Apocalipse 6.9-11).


Diante de tudo isso, a única conclusão que temos é que vale à pena viver com Jesus para morrermos com Ele ou sermos arrebatados por Ele. Vale à pena entregarmos a Ele nossas vidas aqui, para que Ele não nos falte na eternidade.

Esses são apenas alguns dos benefícios que podemos encontrar na Bíblia sobre a salvação e o prêmio dos salvos. A própria Bíblia é quem esclarece que haverá muito mais:

“Olho nenhum viu, ouvido nenhum ouviu, mente nenhuma imaginou o que Deus preparou para aqueles que O amam.” (1Coríntios 2.9)

“Considero que os nossos sofrimentos atuais não podem ser comparados com a glória que em nós será revelada.” (Romanos 8.18)

Então, façamos a escolha certa, entregando o controle absoluto das nossas vidas aos cuidados de Jesus Cristo, e vivendo cada dia como se ele fosse o último dia das nossas vidas, nos preparando para nos encontrarmos com o Rei. A qualquer momento Ele pode te chamar também. Você estará entre os salvos para responder?

Assim como Ele avisou à nossa congregação, Ele ainda avisa hoje ao mundo:

“Busquem o Senhor enquanto é possível achá-Lo; clamem por Ele enquanto está perto. Que o ímpio abandone o seu caminho, e o homem mau, os seus pensamentos. Volte-se ele para o Senhor, que terá misericórdia dele; volte-se para o nosso Deus, pois Ele dá de bom grado o Seu perdão.” (Isaías 55.6-7)

É normal sentirmos saudades de quem partiu e nos deixou aqui. No caso do Lucas, nossos corações estão bastante machucados, mas muitos de nós têm a certeza que o encontraremos em breve. Só não podemos dizer o mesmo sobre quem deixa esse mundo sem Jesus.

Que você não seja mais um a contribuir para o aumento dessa triste estatística da multidão dos eternamente perdidos.

E que o Espírito Santo fale melhor em seu coração.(**)

Elaine Cândida
Redigido em 16/11/11.


(*) Antes que alguém pense em Deus como um tirano e impiedoso que brinca de matar as pessoas, lembre-se que Ele é eterno. Na mesma proporção que Ele está aqui agora, Ele também está lá na eterna glória. Por isso, para Ele, não faz diferença alguma a morte de um dos Seus filhos. Como nós tiramos um vaso do canto da sala e o colocamos sobre uma mesa, assim o Senhor faz com nossas vidas, quando escolhe tirá-las do Seu jardim daqui da terra e levá-la para o Seu jardim no Céu. A diferença é só o lugar. O jardim continua sendo dEle e Ele continua sendo o Jardineiro cuidando dessas lindas e caras flores.

(**) Complemente este estudo, assistindo aos vídeos abaixo:










__________________________

Referências:

• Bíblia na Nova Versão Internacional.
• Bíblia de Estudos Pentecostal.
• http://www.evangelizacao.blog.br
• http://seguindoajesus.vilabol.uol.com.br/S12.html
• http://www.oocities.org/iapd_brasil/ceuinferno.htm
• http://www.vivos.com.br/284.htm
• Anotações Pessoais