quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

O Escudo

A Bíblia em um ano:
Ezequiel 38-40
2Pedro 3

By Elaine Cândida, com imagens do Google.


“[...] A fidelidade dEle será o seu escudo protetor.”
Salmos 91.4b

“Aquele que habita no abrigo do Altíssimo e descansa à sombra do Todo-Poderoso pode dizer ao Senhor: ‘Tu és meu refúgio e a minha fortaleza, o meu Deus, em quem confio’.” (Salmos 91.1-2)

A sombra do Todo-Poderoso, o esconderijo do Altíssimo. Eis o nosso lugar de descanso. Eis o nosso abrigo seguro. As tempestades da vida vêm impiedosas e insensíveis se vão, mas aquele que habita em Deus está seguro e mantém a sua paz.

Não é fácil olharmos para o além e vermos o mundo se retorcendo em violência e dor, completamente sem esperanças. Nada naquela direção pode sustentar a nossa fé. Igualmente não é fácil olharmos ao nosso redor e vermos pessoas tão pequenas, limitadas e carentes de Deus como nós somos, cada uma com suas necessidades e todas sem condições de resolverem os seus problemas. Também nessa direção nada tem poder de sustentar a nossa fé.

Mas há um Deus, um Criador, um Senhor e Rei sobre todas as circunstâncias. Ele é o Senhor cujas palavras não podem descrever, tamanha é a Sua gloria, a Sua sabedoria e o Seu poder.

“Ó profundidade da riqueza da sabedoria e do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são os Seus juízos e inescrutáveis os Seus caminhos! Quem conheceu a mente o Senhor? Ou quem foi Seu conselheiro? Quem primeiro Lhe deu, para que Ele o recompensasse? Pois dEle, por Ele e para Ele são todas as coisas. A Ele seja a glória para sempre! Amém.” (Romanos 11.33-36)

Essa é a canção e a certeza absoluta de um salvo. Em meio às lágrimas da vida, essas palavras enchem-lhe o coração e recompõem as suas forças, renovam o seu ânimo, restabelecem a sua confiança em Deus e lhe põem de pé outra vez.

Portanto, quando a angústia das perdas e danos se lançarem contra nós, quando os medos e as dúvidas tentarem invadir nossos corações, quando o pecado vier ao nosso encontro e tentar nos abraçar, quando a ansiedade e a impaciência quiserem nos roubar a paz, lembremos da fidelidade do Senhor. Lembremos que Ele nunca faltou para aqueles que depositaram nEle sua confiança e devoção.

A fidelidade do Senhor será um escudo que impedirá que essas coisas nos alcancem e suguem de nós a fé que nos mantêm de pé e caminhantes na estrada da vida até a eternidade, onde este Senhor já nos espera.