segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Propriedades exclusivas do Senhor Jesus

A Bíblia em um ano:
Ageu 1-2
Apocalipse 17

By Elaine Cândida, com imagens do Google.


“Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus.” 
1Coríntios 6.19-20


Quando alguém compra uma casa, esse alguém recebe uma escritura do cartório transferindo todos os direitos do antigo proprietário ao seu novo dono. Este, agora, passa a ter total domínio sobre o seu novo bem.

Sabendo que somos propriedades de Cristo (pois com Seu sangue Ele nos comprou), sabendo que somos a casa que Ele escolheu para morar, e sabendo que a Ele pertencemos por direito, poderíamos concluir que Jesus tem toda a legalidade que antes pertencia ao nosso antigo proprietário, a saber, o diabo. Certo?

Errado.

Essa afirmação, na realidade, só é verdadeira em relação às vidas que, de fato, têm se entregado ao Senhor em espírito e em verdade, em real adoração.

Muitas pessoas aceitam o fato da morte de Cristo para resgatá-las do pecado, mas nunca entenderam (ou, se entenderam, simplesmente continuam ignorando) o fato de Jesus ser o único dono verdadeiro de nossas vidas.

Ele nos comprou com sangue, “não com coisas corruptíveis, como prata ou ouro” (1Pedro 1.18-19). Bem que o Senhor poderia tê-lo feito, pois é Ele o Dono do ouro e a prata (Ageu 2.8). Mas se tivesse pagado por nós com dinheiro, por exemplo, o diabo, nosso antigo proprietário (que se apoderou de nossas vidas indevidamente, através da mentira e do pecado, porque quem nos criou foi Deus e para Si mesmo), poderia amontoar um valor ainda maior e cobrir a oferta de Deus.

Como o Senhor Altíssimo é perfeito em toda a Sua ciência e em todas as Suas atitudes, comprou o mundo a preço de Seu próprio sangue sem mácula; sangue santo da Realeza; um lance que ninguém mais, por mais que se esforce, poderá cobrir.

Que outro Santo há que poderia fazer isso por nós? Que outra pessoa há que desejaria, voluntariamente, deixar todo o esplendor de sua glória eterna para se fazer o mais maldito de todos os homens, a ponto de ser abandonado pelo próprio Deus e morrer de forma tão cruel e crítica como Jesus fez? (Gálatas 3.13 e Mateus 27.46)

Há muitas pessoas que ainda não sabem dessa gloriosa expressão de amor altruísta. Mas nem todas as pessoas que sabem disso levam esse fato a sério. Vemos, sem dificuldade alguma, o quanto a maioria das pessoas cristãs se acham donas de si e fazem o que bem entendem com seus corpos e com seus espíritos. Não admitem o fato que, se Jesus nos comprou “por bom preço” (tão justo preço que, nós, nem mesmo merecíamos), Ele deve ter o domínio total sobre nós. As chaves da casa devem ser entregues em Suas mãos e nenhuma das áreas de nossas vidas deve ficar de fora do Seu domínio.

Satanás não pode continuar mandando na casa que não pertence mais a ele. Outrora éramos sua morda e ele fazia de nós o que bem queria. Hoje, sendo libertos por Cristo e comprados por Ele para vivermos a Graça de Deus, devemos entregar tudo o que temos e somos ao Senhor, sem reserva alguma, porque isso Ele tem de fato e de direito.

Continuar satisfazendo a nossa vontade ou a do pecado é negar a Jesus a posse do que é realmente Seu. Ele quer habitar e m nós. Quer habitar nos templos que Ele comprou com tanto amor.

Quando Jesus pagou tão caro por nós, Ele tinha (e continua tendo... não desistiu do Seu projeto original – Aleluia!) o plano de nos tornar em verdadeiros palácios neste mundo, onde habita a Família Real: Pai, Filho e Espírito Santo.

Que nós não nos esqueçamos um dia sequer que somos a morada do Rei de toda Glória e que, embora Ele pudesse construir o mais caro de todos os castelos para viver (até de puro diamante, se quisesse...), Jesus escolheu o nosso coração.

Pois, então, que nossa entrega a Ele seja total e permanente. E que nós possamos deixar em Suas mãos a escritura definitiva de nossas vidas: a casa que Deus escolheu para morar.