terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Apenas um Pai

A Bíblia em um ano:
Gênesis 6-9


“E a ninguém na terra chameis vosso pai, porque um só é o vosso Pai, o qual está nos céus.”
Mateus 23.9


Eu vejo nossos líderes espirituais exatamente como o que eles são: nossos líderes espirituais. Nada além disso. Não como deuses andando sobre a terra, mas como pessoas como eu, feitas de carne, ossos, sangue, alma e espírito, dignas de respeito por serem, todas, criações do nosso Deus, e de compaixão por serem, todas, pecadoras e passíveis de cometer novos erros, com a diferença de terem sido separadas pelo Senhor para me conduzir.

A alguns de nós o Senhor separou de trás das malhadas para colocá-los à frente, e os gabarita dia-a-dia para que atuem no mundo como líderes, isto é, como guias, ou aqueles que conduzirão o rebanho de Deus na terra, até o grande dia de devolvê-lo ao Deus a quem pertence.

Por isso, toda a Bíblia nos ensina que nossos líderes espirituais são nossos pastores, e não nossos pais.

Pai é Deus. Ele quem nos criou. Ele quem supre todas as necessidades e pode nos consolar a alma das aflições. Dele fomos gerado de novo para vivermos a abundância da Sua graça e das bênçãos reservadas para os verdadeiros filhos de Deus. Que ser humano, por mais que se esforce, pode fazer isso por nós?

Deus é o único que sabe da existência de cada ser humano que já morreu nesta terra, que existe hoje ou que ainda virá a existir. Como, pois, eu poderia, ou, antes, por que eu deveria chamar um ser humano como eu de “pai”? Com mais sutileza, muitos são induzidos no mundo a usar da expressividade do grego ou da forma latina, e, respectivamente, chamar homens de “papa” ou de “padre”.

Um pai de verdade sabe os nomes de cada um de seus filhos e conhece todos os que habitam em sua casa.

O meu Pai Celestial me conhece. Conhece os meus irmãos espirituais espalhados por toda a terra. Conhece até os filhos que há muito tempo estão distantes do Lar sem dar notícias. Conhece, inclusive, os filhos que nunca foram gerados na Sua família. Distingue cada um minuciosa e plenamente. Conhece todos. Intimamente. Que ser humano é capaz de tal?

Um pai de verdade ama de modo extraordinário e perdoa. Ele não excomunga (*) ou joga seus filhos rebeldes dentro de fogueiras (**) quando se sente ofendido por eles, mas com amor os corrige e se compadece deles (Salmo 103.13).

Não. Os homens não têm gabarito suficiente para que um deles mereça ser chamado de “meu pai que me gerou na fé”. Podem até contribuir com intercessões, aconselhamentos, doutrinas, como Paulo fazia com Timóteo e certamente aos outros que receberam Cristo através de sua pregação. Mas não podem suprir minhas carências e me conhecer tão profundamente quanto o Pai Altíssimo. Tampouco podem me fazer nascer de novo, pois me regenerar para que eu me torne um filho autêntico de Deus é obra exclusiva do Espírito Santo (João 3.3,7; 16.8-11).

Bem que Jesus nos ensinou que só um é nosso Pai que está nos Céus. Ele sabia que ninguém poderia substituir o Espírito Santo na terra.

Quem tem ouvidos, ouça!

_________________

(*) Em referência ao suposto poder papal de tirar o direito de uma vida entrar no céu.
(**) Em referência à inquisição e às tantas perseguições a que os filhos de Deus foram submetidos pela igreja romana.