terça-feira, 10 de janeiro de 2012

...Mas Ele não Se prostrou!

A Bíblia em um ano:
Gênesis 30-32



“Depois, o diabo O levou a um monte muito alto e mostrou-Lhe todos os reinos do mundo e o seu esplendor. E Lhe disse: ‘Tudo isso Te darei, se Te prostrares e me adorares’. Jesus lhe disse: ‘Retira-se, satanás! Pois está escrito: ‘Adore o Senhor, o seu Deus, e só a Ele preste culto’.’ Então o diabo O deixou, e anjos vieram e O serviram.”
Mateus 4.8-11

Se Jesus tivesse Se prostrado e adorado a satanás quando recebeu dele essa proposta, Jesus não estaria Se curvando apenas diante da pessoa do maligno, mas também diante de todo o mal que lhe acompanha.

Ansiedade, depressão, solidão, inveja, violência, prostituição, vícios, maldade, mentiras, e todo tipo de coisas ruins que assolam o mundo. Essas coisas teriam poder absoluto sobre Jesus e sobre todas as pessoas.

Como Jesus não reverenciou satanás, o cabeça de todo esse mal, os poderes do maligno também já não podem influenciar quem se posiciona como Jesus.

Não foi assim com Adão. No início do Seu ministério, Jesus é sujeitado a um teste semelhante ao de Adão, mas demonstra ser Ele o verdadeiro israelita que vive “de toda palavra que procede da boca do Senhor” (Deuteronômio 8.3; Mateus 4.4). E, ao passo que Adão fracassou no grande teste e afundou a raça inteira no pecado (Gênesis 3), Jesus foi fiel e assim demonstrou a qualificação de se tornar o Salvador de todos os que O aceitarem. Desmontou assim o império do mal e declarou ao mundo que é possível permanecer de pé diante de todas as tentações e maldades que os enviados das trevas lançam contra nós.

Por isso, quando sentimentos maus quiserem tomar nossa mente e coração, quando atitudes más quiserem dominar nosso ser, vamos buscar em Jesus a força e a sabedoria para nos manter íntegros. Vamos buscar de quem tem essa experiência de glória e de vitória para nos transmitir.