sábado, 28 de janeiro de 2012

Nenhuma interferência!

A Bíblia em um ano:
Êxodo 37-40


“ ‘Agora, se for do agrado do rei, que se faça uma pesquisa nos arquivos reais da Babilônia para verificar se o rei Ciro de fato emitiu um decreto ordenando a reconstrução da casa de Deus em Jerusalém. Aguardamos do rei a decisão sobre o assunto’. O rei Dario mandou então fazer uma pesquisa nos arquivos da Babilônia, que estavam nos locais em que se guardavam os tesouros. Encontrou-se um rolo na cidadela de Ecbatana, na província da Média, e nele estava escrito o seguinte, que Dario comunicou: ‘No primeiro ano do seu reinado, o rei Ciro promulgou um decreto acerca do templo de Deus em Jerusalém, nestes termos: ‘Que o templo seja reconstruído como local destinado à apresentação de sacrifícios, e que se lancem os seus alicerces. Ele terá vinte e sete metros de altura e vinte e sete metros de largura, com três carreiras de pedras grandes e uma carreira de madeira. O custo será pago pela tesouraria do rei. E os utensílios de ouro e de prata da casa de Deus, que Nabucodonosor tirou do templo de Jerusalém e trouxe para a Babilônia, serão devolvidos aos seus lugares no templo de Jerusalém; devem ser colocados na casa de Deus.’ Agora, então, Tatenai, governador do território situado a oeste do Eufrates, e Setar-Bozenai, e vocês, oficiais dessa província e amigos deles, mantenham-se afastados de lá. Não interfiram na obra que se faz nesse templo de Deus. Deixem o governador e os líderes dos judeus reconstruírem esse templo de Deus em seu antigo local. ”
Esdras 5.17 e 6.1-7


Quando o Senhor promete algo aos Seus amados, Ele trabalha incessantemente para realizar Sua promessa com excelência, e não permite a interferência de ninguém – seja para atrapalhar, seja para Lhe “ajudar”.

O Eterno havia prometido Ciro para libertar Seu povo e também para garantir a reconstrução de Jerusalém. Para isso, usaria Esdras e Neemias por lideranças. Mas houve quem os invejasse. Houve quem sentisse despeito. E houve quem duvidasse da ordem do Senhor. De todos os lados houve quem quisesse atrapalhar e até parar aquela grande construção.

Mas o Senhor mais uma vez calçou a história com acontecimentos integrados – embora às vezes distantes uns dos outros –, de forma que, quando chegou aquele grande momento – e tão esperado – de reconstruir os muros e o templo, nada nem ninguém pôde interferir. E o alerta foi claro: “Mantenham-se afastados de lá!”

Sabe, muitas vezes nós temos promessas do Senhor e antes que elas se cumpram nós recebemos ataques de diversos lados para nos fazer desistir de esperar por elas. Ou, de outra sorte, recebemos propostas de várias direções, pretendendo “facilitar” e “acelerar” a solução das nossas causas e o cumprimento das promessas do Pai Eterno.

Mas nós não precisamos disso. Tudo o que temos em Deus hoje é suficiente o bastante para o que devemos de viver agora e até o dia das realizações das Suas promessas. Não precisamos tentar “adiantar” nada agora, num desespero terrível, como se o Senhor fosse um irresponsável que promete e não cumpre. Da mesma sorte, também não precisamos entrar em depressão quando Ele nos mostra que essas ofertas muitas vezes são laços e que nós devemos desistir delas mesmo antes de aceitá-las.

Quem confia e espera no Senhor Deus jamais terá a sua fé confundida ou iludida. Ele prometeu que faria a grande reconstrução de Jerusalém e, sozinho, somente através das vidas dos Seus servos fiéis, o Senhor cumpriu o que prometeu, no tempo oportuno e de forma que todo o povo sentiu grande alegria e viveu real conversão.

E mesmo que alguém questione nossa fé e coloque as promessas do Senhor à prova, nós temos um Deus a quem podemos consultar. Temos Sua Palavra que não volta atrás. Vamos consultar o Senhor em oração. Vamos consultar a Bíblia. Vamos buscar o renovo das promessas do Senhor para nós, e não vamos deixar que nada interfira no agir de Deus em nossas vidas.

Se Deus não cumprisse o que promete, Ele não seria o Deus que existe séculos após séculos. E se Ele precisasse da ajuda de alguém, certamente Ele seria mais um deus, e não o Deus dos deuses, Rei dos reis e Senhor dos senhores, a quem pertence toda glória eternamente. Amém.