sábado, 14 de janeiro de 2012

O fundamento da liberdade

A Bíblia em um ano:
Gênesis 40-44

By Elaine Cândida, com imagens do Google.

“Leram o Livro da Lei de Deus, interpretando-O e explicando-O, a fim de que o povo entendesse o que estava sendo lido. Então Neemias, o governador, Esdras, o sacerdote e escriba, e os levitas que estavam instruindo o povo disseram a todos: ‘Este dia é consagrado ao Senhor, o nosso Deus. Nada de tristeza e de choro!’ Pois todo o povo estava chorando enquanto ouvi as palavras da Lei. [...] Então todo o povo saiu para comer, beber, repartir com os que nada tinham preparado e para celebrar com grande alegria, pois agora compreendiam as palavras que lhes foram explicadas. [...] Todos os que tinham voltado do exílio construíram tendas e moraram nelas. Desde os dias de Josué, filho de Num, até aquele dia, os israelitas não tinham celebrado a festa dessa maneira. E grande foi a alegria deles.”
Neemias 8.8,9,12,17


George Müller certa vez declarou que “o vigor da nossa vida espiritual está na proporção exata do lugar que a Bíblia ocupa em nossos pensamentos”. De fato, toda nossa energia, sabedoria e esperança só podem ser bem dimensionadas pela fé que está implícita na Palavra de Deus para nós e que nos é revelada quando buscamos aprender com Ela.

As cadeias da nossa alma se rompem e as cadeias físicas deixam de ser empecilho para a nossa Paz. As portas do nosso ser se abrem e as muralhas que obstam a nossa visão deixam de ser intransponíveis. Princípios e valores que antes eram sufocados pelo egoísmo e pela ausência de amor, passam a aflorar-se e exalam suavemente o perfume do bem para com o outro, para consigo mesmo, e isso se traduz em adoração livre e verdadeira a Deus. É isso o que a Lei do Senhor produz em nós, porque é impossível escravizar uma mente, um corpo ou um espírito que conhece e guarda os mandamentos do Senhor. Eles são os fundamentos de toda a liberdade humana.

Eles não sabiam, mas a o maior cativeiro do povo de Deus não era o exílio e as prisões a que tinha sido submetido, e sim a falta de conhecimento da Lei de Deus. As cadeias foram abertas, o exílio terminou, mas só quando aquele povo teve acesso às Sagradas Escrituras, ele verdadeiramente teve redenção.