segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Fé que se reverte em obras

A Bíblia em um ano:
Deuteronômio 12-15


“Meus irmãos, que aproveita se alguém disser que tem fé, e não tiver as obras? Porventura a fé pode salvá-lo? E, se o irmão ou a irmã estiverem nus, e tiverem falta de mantimento quotidiano, e algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos, e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito virá daí? Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma.”
Tiago 2.14-17


Existem muitas religiões e seitas no mundo que pregam a salvação pelas obras, mas a Bíblia nos ensina claramente que a salvação é um dom (dádiva, presente) gratuito de Deus para o mundo (Efésios 2.8-10; Tito 2.11). Nós não fazemos obras para sermos salvos. As obras são reflexos da nossa salvação e da fé que temos em Deus.

Quando, com um coração sincero e sem esperar nenhuma recompensa, abençoamos uma pessoa (seja com roupas, alimentos, remédios, custeios, etc.), estamos demonstrando que temos o caráter de Cristo em nós e o quanto O amamos por fé. Podemos pois, e devemos, pela fé, abençoar nossos amados com a ajuda que lhe pudermos entregar.

Não podemos nos esquecer, porém, que muitas necessidades das pessoas são espirituais e nós também podemos e devemos abençoá-las dessa maneira.

Não basta dizer-lhes da importância de receber a Cristo como Senhor e Salvador; é preciso levar o Senhor a tais pessoas através do nosso próprio testemunho de vida.

Não basta dizer-lhes que é necessário ler a Bíblia; importa apresentar-lhes a Bíblia como martelo que esmiuça a penha (Jeremias 23.29), espada de dois gumes que penetra até a divisão da medula com a alma (Hebreus 4.12) e a luz dos nossos caminhos (Salmos 119.105) através da demonstração real da eficácia e da eficiência da Palavra de Deus em nossas próprias vidas.

Não basta anunciar que Cristo é o pão que sacia a nossa fome e a fonte de água que estanca nossa sede (João 6.48,58; 7.37-38); é necessário ensinar-lhes o caminho através do qual chegarão a Jesus, demonstrando que nós mesmos somos saciados diariamente por Ele porque descobrimos este caminho que nos leva à sala do banquete.

Não é suficiente indicar às pessoas que Cristo é o Caminho, a Verdade e a Vida (João 14.6), mas é preciso seguirmos por este Caminho juntamente com elas, praticando a Verdade que dEle é absoluta e soberana e vivendo a Vida de Deus para nós em comunhão perfeita com o Senhor e com nossos irmãos.

Deus não abençoa Seus filhos somente em um ou em outro extremo, isto é, somente material ou somente espiritualmente. Ele libera bênçãos sobre os Seus de acordo com Suas necessidades e o faz por completo.

Não podemos fazer tudo o que Deus faz, (afinal, não somos Deus). Mas sendo Sua imagem e semelhança (somos parecidos com Ele), dependendo da ocasião ou se não pudermos abençoá-los de uma forma, podemos fazê-lo de outra.

Certo é uma pessoa verdadeiramente salva por Cristo Jesus nunca tem motivos para despedir um irmão ou uma irmã de mãos vazias.