terça-feira, 24 de abril de 2012

Feridas abertas


A Bíblia em um ano:
2Crônicas 4-6


"Obedecei a vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles que hão de dar conta delas." 
Hebreus 13.17

Permita-me te contar uma história real.

Existem ovelhinhas de diversos tipos num rebanho. Algumas são mais rebeldes, outras mais dóceis. Algumas mais agitadas, outras mais calmas. Algumas mais fortes, outras mais sensíveis. E lidar com todas é um árduo trabalho.

Infelizmente, no uso de sua autoridade, há líderes e pastores que usam severamente seu cajado e acabam abrindo feridas em muitas ovelhinhas. E não cuidam disso, pois acreditam se tratar de dengo daquela ovelha. Concordamos que há pessoas que realmente são extremamente cheias de “não me toque”, delicadas, sensíveis. Mas não tratamos aqui de se fazer  o que Deus mandou ainda que as ovelhas não gostem. Falamos de tratar ovelhas como bois.

E o machucado aberto pelo peso da cajadada está lá. O pastor achou bonito ofender, humilhar e até mal-tratar uma de suas ovelhas, para demonstrar que ele é quem tem a autoridade de Deus para guiar o rebanho e, por isso, todos devem se submeter à sua vontade, que, segundo ele, é cem por cento direcionada por Deus.

Aquela ovelhinha começa a ficar triste. A dor vai aumentando. Como não recebeu tratamento, a ferida também vai crescendo. Lateja. Ela começa a ficar para trás. Começa a ficar triste pois já não tem a mesma disposição das outras. O pastor continua a caminhar com o rebanho que lhe segue, e pensa consigo que aquela ovelhinha que está ficando para trás é somente uma rebelde, que não quer acompanhar o rebanho. E não volta lá para ver o que se passa com ela. Falta diálogo. Falta preocupação. Orar pelo rebanho é importante, necessário. Mas dar atenção e participar é a demonstração real do amor que um pastor diz sentir pelas ovelhas.

Passa o tempo. O rebanho some de vista. A ovelhinha ferida agora tem um tumor. Ele não foi tratado. Ela também não sabe como cuidar disso. Acabaram as forças. Ela fica amuada em um cantinho, à beira de uma estrada. Geme de dor. Já não pode andar. A ferida tornou-se uma chaga muito grande. Latejante. Pobre ovelhinha! Será que morrerá ali?

Passam noites frias, e já agonizando, faminta e sedenta, a ovelhinha ainda sofre. Este é o quadro espiritual de muitas pessoas que foram feridas pela falta de sabedoria de muitos líderes ao lidar com elas. Há algumas que chegam mesmo a morrer espiritualmente.

Tem algo a ver com a sua história também?

Oh, espere!

Se aproxima uma pessoa. Ela vê a ovelhinha sofrendo muito e Se compadece. Vê a grande ferida aberta, cheia de pequenas feridas oriundas dela ao redor... todas cheia de pus, com um pouquinho de cascas ao redor. Tentou sarar através de um processo natural de coagulação do sangue, mas foi em vão. Feridas assim têm que ser limpas e bem tratadas. Qualquer tratamento não resolve. Nós não sabemos como cuidar disso, e “tapeamos” como damos conta.

Essa pessoa parece... não... é outro Pastor. Se curva ao lado da ovelhinha e contempla o mal que ela está carregando. Carinhosamente toca nela. Ela geme e se encolhe. Dói tocar na ferida. Dói ter que remexer no passado que não foi resolvido ainda. Dói ter que mexer em nosso orgulho, em nosso ego, em nossas convicções. Mas é preciso. As cascas estão cobrindo pus. É preciso tirá-lo dali se não essa ferida nunca sarará.

Ele insiste. Depois de expor tudo, derrama água límpida. Água que cura, águas purificadora. Seca com Seu sopro. Deixa tudo limpo, e verte bálsamo. Pronto! Com amor essas feridas foram tratadas. A ovelhinha já não sente latejar o lugar, porque agora está limpo. Algo novo aconteceu.

Mais algumas horas na presença do Pastor, recebendo carinho, recebendo alimento e água, e a ovelhinha abatida já consegue se levantar. Recosta carinhosamente à coxa do Bom Pastor, num gesto que expressa: “Amei a Tua companhia. Permita-me estar sempre Contigo. Muito obrigado por tudo!” E Ele, suavemente passa Sua mão sobre aquela cabecinha peluda, como que dizendo: “Sim, amada, você é bem-vinda ao Meu rebanho. Eu quero cuidar de você para sempre!”

Se a história que acabo de descrever condiz com a tua história de vida, saiba que Jesus é o Bom Pastor que sara as feridas. Ele quer cuidar de você hoje e começar a tratar cada chaga. Será preciso abri-las para limpar. Mas a presença dEle inibirá a dor e te ajudará a suportar.

Volte-se para Deus hoje. Volte para Jesus. Perdoe quem te feriu, pois este também carece da misericórdia de Deus tanto quanto ou mais que você. Ore pelos tais, e abençoe-os, para que tenham uma visão como a de Deus e saibam ser amáveis no trato com as ovelhas.

Você se tornará uma ovelha forte, e poderá ajudar muitas outras a se entregarem aos cuidados do Bom Pastor para terem suas vidas mudadas, assim como eu estou fazendo hoje.