terça-feira, 10 de abril de 2012

Sabedoria divina

A Bíblia em um ano:
2Reis 6-11


“Ai de você, destruidor, que ainda não foi destruído! Ai de você, traidor, que não foi traído! Quando você acabar de destruir, será destruído; quando acabar de trair, será traído.”
Isaías 33.1

Engraçado...

Por que será que muitas vezes o Senhor intervém e nos concede o livramento, e outras vezes Ele nos vê no aperto e age como aquela pessoa que permanece calado ao lado de uma criança brincando com um copo de vidro, até que este caia da mesa e se espatife no chão?

Nós olhamos para o destruidor e o vemos severo demais. O traidor se revela maldoso demais. Deus também está vendo isso, mas muitas vezes Ele (o Senhor) esperará que o destruidor termine de destruir, e que o traidor conclua os seus planos.

Estranho, não?

Mas que diferença isso faz para Deus?

Creio que a resposta seja apenas uma: a única diferença para Deus é a nossa real conversão. Já para nós, essa é uma das e a maior de todas as diferenças!

Nem sempre que o mal nos assola é interessante que Deus interfira de imediato. (Deus sabe disso, mas nós não...) Muitas vezes, nós devemos aprender a fazer força, a suportar, a crescer com os conflitos das nossas vidas (Hebreus 12.7-13). Porém, muitas vezes, eles parecem intensos demais. E a tendência é nos espatifarmos no chão duro da vida – como copos de vidro.

Se o Senhor nos socorresse imediatamente todas as vezes que chamamos por Ele e nos livrasse de todas as perdas, certamente não conheceríamos Seu real poder nem Lhe daríamos o devido lugar de senhorio, mas de nosso servo. (O Deus que vive à nossa disposição...)

Mas a inteligência e a sabedoria do Deus Vivo é maior. Seu poder excede os limites do agir e do pensar humano. Seu potencial é infinitamente maior do que qualquer possibilidade que o homem possa prever. Para Seu poder não há impossíveis! (Lucas 1.37, 18.27)

E mesmo que o copo seja despedaçado em milhares de caquinhos, a força do Senhor é suficientemente grande e hábil para restaurá-lo com um estado de perfeição ainda maior que o primeiro (Ageu 2.9).

Às vezes, o Senhor espera que o mal conclua seu trabalho e depois Se levanta em glória do Trono para envergonhar o inimigo das nossas almas, desfazendo toda sua obra quando elas pareciam ser absolutamente impossíveis de ser revertidas. E assim, os filhos de Deus têm a oportunidade de contemplar – e se extasiarem – com uma glória ainda mais surpreendente, que aponta para um Deus incrível, invencível, exaltado em talento e poder, magnífico em esplendor!

São esses impossíveis se tornando possíveis que, de fato, solidificam nossa fé.

Parece crueldade pra você? Bem, a Bíblia chama isso de sabedoria divina.

E, de fato, é o que funciona. Mostra que Deus não está sob o nosso comando, nem Se comove com nossas palavras e obras, mas sim com o quebrantamento dos nossos corações, totalmente entregues e confiantes nEle e na força do Seu poder. (Isaías 64.6; Salmos 51.17)

“É horrível desejar tanto uma realidade e por fim deparar-se com a sua não-realização. Contudo, não é só quando a vida sorri que podemos ser felizes… Muitas vezes, a felicidade que nos espera será preparada pelas lágrimas, sendo que as mesmas (lágrimas) podem se tornar um sólido alicerce para a construção de uma madura realização em nossa história.” (Pe. Adriano Zandoná)

Portanto, não pensemos que tudo está perdido. O que, de fato, não vem do Senhor, sim, está perdido. Mas o que Deus prometeu e quer nos acrescentar, não... Ainda que pareça perdido, destruído, aniquilado para sempre, se cumprirá, porque nenhum dos Seus planos será frustrado (Jó 42.2).

Pois há esperança para a árvore, que mesmo cortada voltará a brotar, e os seus renovos vingarão. “Suas raízes poderão envelhecer no solo e o seu tronco morrer no chão, ainda assim, com o cheiro de água ela brotará e dará ramos como se fosse muda plantada” (Jó 14.7-9).