sexta-feira, 11 de maio de 2012

A carta de Deus aos estrangeiros


A Bíblia em um ano:
Neemias 7-11


“Que diremos, então? Os gentios, que não buscavam justiça, a obtiveram, uma justiça que vem da fé; mas Israel, que buscava uma lei que trouxesse justiça, não a alcançou. Por que não? Porque não a buscava pela fé, mas como se fosse por obras. Eles tropeçaram na “pedra de tropeço”. Como está escrito: ‘Eis que ponho em Sião uma pedra de tropeço e uma rocha que faz cair; e aquele que nela confia jamais será envergonhado’. ”
Romanos 9.30-33

Veja quão maravilhosas são essas palavras do Senhor:

“Que nenhum estrangeiro que se disponha a unir-se ao Senhor venha a dizer: ‘É certo que o Senhor me excluirá do Seu povo’. E que nenhum eunuco se queixe: ‘Não passo de uma árvore seca.’

Pois assim diz o Senhor: ‘Aos eunucos que guardarem os Meus sábados, que escolherem o que Me agrada e se apegarem à Minha aliança, a eles darei, dentro de Meu templo e dos seus muros, um memorial e um nome melhor do que filhos e filhas, um nome eterno, que não será eliminado. E os estrangeiros que se unirem ao Senhor para servi-Lo, para amarem o nome do Senhor e prestar-Lhe culto, todos os que guardarem o sábado deixando de profaná-lo, e que se apegarem à Minha aliança, esses Eu trarei ao Meu santo monte e lhes darei alegria em Minha casa de oração. Seus holocaustos e demais sacrifícios serão aceitos em Meu altar; pois a Minha casa será chamada casa de oração para todos os povos’.” (Isaías 56.3-7)

Essa promessa se repete para o mundo no Novo Testamento:

“Como Ele [o Senhor] diz em Oséias: ‘Chamarei “Meu povo” a quem não é Meu povo; e chamarei “Minha amada” a quem não é Minha amada’, e: ‘Acontecerá que, no mesmo lugar em que se lhes declarou: “Vocês não são Meu povo”, eles serão chamados “filhos do Deus Vivo”.’ (Romanos 9.25-26)”

E essa promessa se cumpre em nós, que não somos de Israel mas recebemos o Messias (Romanos 9.30-33). Ela pode se cumprir também para você, que não pertence ao povo de Deus mas deseja ter uma vida com o Senhor, embora suas forças sejam poucas para dar esse passo.

Um passo em direção a Jesus é um passo de renúncia, de entrega, de morte (do eu) e de recomeço. É um passo ousado porém certeiro, pois nos leva ao lugar onde começa um novo tempo para nós: o tempo da transformação, da libertação, da cura, da salvação.

Quando a graça de Deus nos alcança, o Seu amor nos abraça e Seu Espírito Santo passa a nos acompanhar a cada instante, nos desviando do mal, nos desprendendo dos embaraços e das cadeias, nos direcionando pela luz, de forma a garantir nossa eternidade com Deus.

Essa é a divina promessa para o mundo: Paz eterna e vida abundante. Essas não são palavras de um deus que procura novos adeptos, mas de um Pai que procura amorosamente mundo à fora por Seus filhos.