quarta-feira, 2 de maio de 2012

A hora da separação


A Bíblia em um ano:
2Crônicas 23-27

“Propôs-lhes outra parábola, dizendo: O reino dos céus é semelhante ao homem que semeia a boa semente no seu campo; Mas, dormindo os homens, veio o seu inimigo, e semeou joio no meio do trigo, e retirou-se. E, quando a erva cresceu e frutificou, apareceu também o joio. E os servos do pai de família, indo ter com ele, disseram-lhe: Senhor, não semeaste tu, no teu campo, boa semente? Por que tem, então, joio? E ele lhes disse: Um inimigo é quem fez isso. E os servos lhe disseram: Queres pois que vamos arrancá-lo? Ele, porém, lhes disse: Não; para que, ao colher o joio, não arranqueis também o trigo com ele. Deixai crescer ambos juntos até à ceifa; e, por ocasião da ceifa, direi aos ceifeiros: Colhei primeiro o joio, e atai-o em molhos para o queimar; mas, o trigo, ajuntai-o no meu celeiro.”
Mateus 13.24-30


A primeira parte da reforma por aqui finalmente acabou!  A pintura (do “apertamento”) foi concluída hoje.

Por causa do pouco espaço dentro de casa e de dois dias que o pintor (e eu também) não pôde trabalhar, essa fase da reforma durou mais do que imaginei. Eu nem pensei, inclusive, em deixar de escrever no blog, mas foi necessário, por dois dias, por causa da transferência de lugar dos móveis e das novas instalações.

Como o espaço é bastante pequeno, eu confesso que deu um trabalhão para encontrar espaço suficiente para trabalhar. O pintor que contratamos foi um herói em ter aceitado esse desafio e um vencedor em fazer um trabalho tão bom...

Para tornar o serviço um pouco menos penoso, eu encaixotei todas as miudezas da casa. CDs, livros, objetos de decoração, entre outros... tudo foi parar dentro de caixas de papelão, para facilitar o transporte (de um cômodo para outro) e não sujar muito, por causa do lixamento do teto.

Pois bem... Pintura terminada, agora é hora de começar a segunda parte: rever todas as coisas encaixotadas e separar as que eu ainda quero daquelas que não tem mais utilidade, que somente estavam ocupando espaço, que estão muito feias ou que, por qualquer outro motivo, não me convém mais mantê-las aqui. De tudo o que guardei por todo esse tempo nas mesmas caixas, algumas coisas permanecerão, algumas serão substituídas e outras irão para a lata do lixo.

Quando Jesus voltar para julgar o mundo, Ele fará algo parecido. Foi Ele quem prometeu que voltaria para julgar tanto justos como injustos, “o qual recompensará cada um segundo as suas obras; a saber: A vida eterna aos que, com perseverança em fazer bem, procuram glória, honra e incorrupção; Mas a indignação e a ira aos que são contenciosos, desobedientes à verdade e obedientes à iniqüidade; Tribulação e angústia sobre toda a alma do homem que faz o mal; primeiramente do judeu e também do grego; Glória, porém, e honra e paz a qualquer que pratica o bem; primeiramente ao judeu e também ao grego; Porque, para com Deus, não há acepção de pessoas” (Romanos 2.6-11).

É como se todos nós estivéssemos por todos esses séculos dentro de uma caixa, juntos, esperando por uma separação que em breve acontecerá. O critério maior será nossa aceitação e dedicação a Cristo Jesus. Muitas pessoas são muito úteis ao Senhor como servos, como filhos, como amigos. Outras não, embora digam-se cristãs. E muitas outras nem mesmo do Senhor querem saber. Mas todos tiveram a mesma oportunidade de receber a graça do Senhor e Seu perdão, de forma a viver uma nova vida em Cristo Jesus, tendo-O como único e suficiente Senhor e Salvador.

Jesus não nos permite fazer tal separação agora, porque Ele é o único que pode observar os corações e saber o que se passa dentro deles (1Samuel 16.7). Mas o julgamento acontecerá e o próprio Deus será o Juiz, diante do qual todos nós – que vivemos e os que já morreram – compareceremos (Romanos 14.10; 2Coríntios 5.10).

Imagine só: se eu pudesse condenar e executar a condenação de algumas pessoas que eu penso que mereçam certos castigos, que justiça haveria? Uma pecadora julgando outros pecadores. Uma imperfeita condenando a imperfeição dos outros? O sujo falando do mal lavado, só isso! O máximo que aconteceria é que eu morreria quando chegasse o tempo certo e tudo mais cairia no esquecimento.

Mas com Deus não será assim, primeiro porque Ele é Santo, sem mácula alguma – e isso Lhe dá toda autoridade para apontar nossas falhas. Segundo, porque Ele é perfeito e plenamente sábio – e isso Lhe dá toda capacidade de julgar cada um dos nossos atos. Terceiro, porque Ele é Eterno e isso faz com que Ele não Se esqueça daquelas sujeiras (pecados) que nós tentamos jogar para debaixo do tapete pensando que passariam despercebidas.

Portanto, se você tem a oportunidade hoje de entregar sua vida a Jesus Cristo e declará-Lo o teu único, suficiente e eterno Senhor e Salvador, não deixe essa oportunidade para depois, porque ela pode não chegar outra vez (Tiago 4.13-15; Salmos 95.7-8).

Breve o Senhor virá e fará a separação dos Seus e dos que Lhe rejeitaram. Para aqueles, vida eterna, descanso e paz sem fim. Para estes – os que desprezaram o chamado do Salvador – condenação e morte, na pior lata de lixo que pode existir: o inferno (Salmos 9.17; Apocalipse 20.15; Mateus 25.41).

Ele está reformando nossas vidas a cada dia, para nos levar para um lugar limpo, organizado, santificado e eterno, cuidadosamente preparado por Jesus para abrigar os redimidos com conforto, alegria e paz eternamente (João 14.1-3).

E por falar em limpeza, permita-me ausentar-me para continuar a faxina por aqui. Pois casa nova,  reformada era um sonho meu já de algum tempo. E limpeza é algo maravilhoso e que faz muito bem para todos nós!