domingo, 10 de junho de 2012

Nossos clamores


A Bíblia em um ano:
Salmos 49-51


"Então, os filhos de Israel clamaram ao Senhor, e o Senhor lhes levantou um libertador. [...]"
Juízes 3.15

Vi um Pastor (que muito admiro) explicando que o crente, mesmo tendo Deus, sempre desiste muito rápido. Satanás, porém, não se cansa. Se este é expulso de uma pessoa aqui, amanhã estará tentando e ocupando outro corpo ali. O crente, ao contrário da insistência, clama a Deus em quatro ou cinco dias de uma campanha de 20 dias, e se Deus não lhe responder nesse tempo, o crente desiste da tal campanha.

Ilustração simplista – até – porém, muito verídica. O clamor não é algo que traz de Deus uma resposta imediata. Poucas vezes – pouquíssimas vezes – isso acontece assim. No geral, respostas a clamores levam tempo, por vários motivos que não cabem discutir agora, mas dentre os quais estão a nossa preparação para recebermos o que de Deus buscamos, e ainda o nosso entendimento se o que de Deus buscamos é, de fato, o melhor que Ele tem para nós.

Marta e Maria mandaram anunciar a doença de Lázaro a Jesus mas somente dois dias após o Senhor Se prontificou a deixar a cidade onde estava. E só chegou após quatro dias da morte do amigo, quando a glória de Deus poderia ser manifesta de maneira extraordinária, controlando até o poder da própria morte com apenas quatro palavras: “Lázaro, venha para fora!” (João 11).

Os filhos de Israel serviram a Eglom como escravos por dezoito anos (Juízes 3.12-14). Certamente clamaram desde o começo, mas somente quando houve sinceridade em seus corações, o Senhor lhes atendeu. Somente quando o povo estivesse em condições de compreender que Deus não é um serviçal nosso, que realiza todos os nossos desejos quando bem manifestarmos.

Portanto, buscando no Senhor a sabedoria para clamarmos pelo que é certo e necessário. No tempo certo, Ele atenderá e nos dará tudo o que precisamos.


"Pai do Céu, obrigada por não satisfazer às minhas vontades e caprichos. Eu sei que meus impulsos, minha carne e minhas intenções pessoais muitas vezes querem se sobrepor À Tua vontade. Por favor, Senhor, liberta-me e ensina-me a clamar e esperar pela Tua glória em minha vida. Faze o mesmo na vida de cada irmão em Cristo que, muitas vezes, é arrebatado pela ansiedade. No nome de Cristo, amém."


Nas horas de oração - Araci Miranda e Sofia Cardoso