sábado, 14 de julho de 2012

Lindas e trabalhosas

A Bíblia em um ano:
Provérbios 8-11


“O Senhor ama o juízo e não desampara os Seus santos; eles são preservados para sempre...”
Salmos 37.28


Cartão O jardineiro. Google.


Eu amo plantas. Sou apaixonada pela explosão de vida, cores e perfumes que elas nos proporcionam nos mais variados aspectos e lugares. Me encanto com folhas e flores de todos os tamanhos e formas. Eu amo plantas!

Em especial, eu amo folhagens. Moro num apartamento de apenas 43 metros quadrados mas consegui um cantinho na parede da minha sala para acomodar três dessas lindas e encantadoras criaturas. Dia sim, dia não, estou eu lá, carinhosamente regando-as. Vez por outra troco a terra, lavo os vasinhos, dou um banho nas folhas, faço a poda. E elas me agradecem pelos meus cuidados e carinhos mantendo-se sempre lindas e trazendo vida à minha casa o ano inteiro.

E eu também amo flores. Só que as flores... Ahan... As flores são lindas e maravilhosas, mas eu não lido bem com elas. Elas murcham rápido. Perdem o encanto em pouco tempo. E embora eu tenha buscado aprender com quem entende sobre os cuidados para manter as flores lindas por mais tempo e para manter plantas floridas o ano inteiro, eu confesso que levaria qualquer floricultura à falência, caso trabalhasse em uma.

Flores dão trabalho. São delicadas demais. Exigem um cuidado especial que eu não posso e nem sei como dar a elas. Às vezes exagero com a água, às vezes deixo a falta dessa. Às vezes dou-lhes luz demais, outras vezes lhes confino à sombra. A terra não colabora. O tamanho do vaso não colabora. A umidade do ar também não. Meu talento floricultor é uma negação. Então, eu evito cultivar (ou, antes, destruir) flores.

Tenho flores em casa. Mas são de tecido. Não precisam tanto da minha atenção, a não ser para retirar-lhes a poeira. Não são exatamente as flores que eu gostaria de ter – eu realmente prefiro flores naturais – mas são as que eu tenho condições de manter. Ah, com essas sim eu lido bem! Elas permanecem inteiras o ano todo. Não murcham. Não ficam feias. Não têm perfumes, mas decoram.

Não é que eu não quero ter trabalho com elas. É que realmente eu não sei cuidar de flores. E quando nós não sabemos como lidar com uma coisa, pessoa ou situação, nossa tendência natural é abrirmos mão dela e procurarmos algo menos complicado, não é? Coisas muito delicadas, melindrosas, complexas comumente são excluídas da nossa lista de ocupações.

Mas ainda bem que Deus não age assim conosco! Nós, seres humanos, somos os seres mais frágeis e, ao mesmo tempo, mais complexos de toda a criação, e nem por isso Deus deixou de querer cuidar de nós. Nossa inclinação é abdicarmos tudo o que exige um pouco mais de nós, aumenta nosso trabalho, pode nos decepcionar, ou de alguma forma causa-nos desconforto ou dor.

Conheço grandes relacionamentos que foram derrubados pelo pequeno vento da insatisfação. Um não aceitou – ou não teve sabedoria para lidar com – as imperfeições do outro, e o castelo logo ruiu.

Conheço grandes sonhos que deixaram de se tornar realidade por causa do atalho do comodismo. Diante dos pedregais montanha acima, foi melhor desistir e descer à procura de um caminho sem pedras de volta para casa.

Como cristãos, devemos olhar para Jesus e ver Nele e na Sua cruz o melhor exemplo de quem não desistiu de um grande propósito, por mais complicado que Lhe parecesse ser. De fato, a cruz de Cristo não foi construída quando dois pedaços de madeira foram unidos, mas quando Ele escolheu nos amar. Gente complicada e birrenta como nós faz o calvário de qualquer um.

E mesmo assim, Ele nos amou. Em vez de abrir mão das flores, o Senhor plantou pessoalmente um lindo jardim, repleto delas, e cuida pessoalmente de cada uma. Porque Deus “não Se cansa nem fica exausto”. Ao contrário, Ele é que “fortalece o cansado e dá grande vigor ao que está sem forças. (Isaías 40.28-29). E assim, fortalecidos e direcionados pelo Senhor, é que nós também podemos levar adiante nossos relacionamentos, nossos projetos, nossas vidas, com todas as suas complicações, com toda a sua delicadeza.

Os olhos do Senhor estão constantemente atentos às necessidades das flores do Seu jardim. Ele não as deixa morrer. Amorosamente, cuida pessoalmente de cada detalhe da sua manutenção, para que estejam sempre vivas e lindas.

E mesmo quando as pétalas começam a cair e a formosura a se perder com o tempo, o Senhor não desiste das Suas flores. Ele não as joga fora. Com carinho – e no tempo certo – Ele as recolhe e as leva para dentro da Sua própria casa.