quarta-feira, 29 de agosto de 2012

O salário mais alto


A Bíblia em um ano:
Jeremias 36-38


“Pois o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.”
Romanos 6.23


Imagem: Conheça Jesus.

Dia desses me contaram que o Governo Federal lançou um site que disponibiliza os salários dos servidores públicos federais para qualquer pessoa que quiser consultá-los. Na verdade, a notícia ganhou grande repercussão e causou muita insatisfação nos funcionários, de modo geral, e com razão.

Honestamente, eu não sei que site é esse e também não me interessa saber. Penso que se cada um de nós fosse capaz de cuidar pelo menos do seu próprio salário, os índices de inadimplência não seriam tão altos, não é verdade?

Embora esse seja um ponto polêmico a ser discutido, a questão aqui não é essa. O que queremos abordar é a incapacidade de uma máquina tão grande e poderosa como o Governo Federal do Brasil, pelo simples fato de ser este composto por seres humanos.

Nossos olhos sempre perdem o alvo de vista, quando o assunto é ter controle. Nossos interesses sempre se perdem em outros caminhos quando dinheiro e poder passam a fazer parte do jogo. Então, nosso governo precisa apelar pela ajuda de milhões de pessoas para que se possa fiscalizar os rendimentos do funcionalismo público, tentando assim diminuir pagamentos indevidos pelos cofres públicos. Tudo bem até aqui, afinal, “todo poder emana do povo” (Constituição Federal, 1988, Art. 1º, Parágrafo Único).

Contudo, por causa de uns que são privilegiados com salários exorbitantes e injustos, outros tantos que ganham seus proventos justa e honestamente, ficam expostos para o mundo inteiro, sem direito à defesa, em mais um retrato da injustiça e da insuficiência do homem e dos seus sistemas.

Creio que eventos assim aconteçam para nos mostrar mais uma vez como Deus é supremo em todas as Suas formas de agir, e como Ele sobressai com a maior das excelências aos nossos sistemas. Deus sempre atua de forma irrepreensível e inteligente, sem perder de vista um só segundo das nossas vidas – de todas as vidas dos sete bilhões de seres humanos que povoam a Terra.

O Seu Reino é um Reino de justiça e nada – absolutamente nada – se perde de diante dos Seus olhos (Isaías 9.6-7). Deus, sozinho, vê o que nós não vemos, vê o que somente os outros vêem, vê o que muitos não querem ver, e vê o que ninguém mais consegue ver. Onisciente, conhece desde os grãos de areia que compõem as imensas praias, até o que de mais íntimo e oculto há dentro de nós (Daniel 2.22; Hebreus 4.13; Salmo 121.4).

Ele monitora todos os nossos passos e percebe quando algo não vai bem, mesmo antes que nós mesmos percebamos (Isaías 43.13; Romanos 4.17). Por isso Ele, sim, é digno de toda a nossa confiança. Somente Ele supre todas as nossas necessidades.

Coisa boa pertencer a um Deus assim!

Um Deus que conhece nossas carências, mantém o equilíbrio das nossas vidas, exerce justiça e misericórdia sobre nós, e além de tudo e, mesmo sem merecermos absolutamente nada,  ainda nos paga o mais caro de todos os salários: a vida eterna.

Isso, sim, é coisa para o mundo inteiro saber!