sábado, 1 de setembro de 2012

Gente como nós


A Bíblia em um ano:
Jeremias 44-47


“Revelação de Jesus Cristo, que Deus Lhe deu para mostrar aos Seus servos o que em breve há de acontecer. Ele enviou o Seu anjo para torná-la conhecida ao Seu servo João, que dá testemunho de tudo o que viu, isto é, a Palavra de Deus e o testemunho de Jesus Cristo.
Apocalipse 1.1-2


Imagem: Google.
Circunstâncias, decepções e opressão maligna. Eis aí alguns dos principais motivadores para nos sentirmos inúteis, incapazes, insuficientes. Eis aí, alguns dos principais responsáveis por nos omitirmos tanto, quando somos orientados por Deus a influenciar, orientar, revelar.

Mas a Bíblia está repleta de exemplos de pessoas simples, humildes, pequenas aos olhos dos homens, que foram escolhidas por Deus para serem porta-vozes do Altíssimo na terra.

João foi um desses exemplos de homem simples, da Galileia, pescador que se dispôs a deixar imediatamente o barco e seu próprio pai para seguir Jesus (Mateus 4.21-22) e, pela intimidade que tinha com o Mestre (João 13.23), foi o escolhido para relatar das mais importantes revelações já feitas à humanidade (João 19.35, 21.24; Apocalipse 1.1-2).

Mas seu ministério começou bem antes de receber as revelações do Apocalipse. Antes dessa missão extraordinária, João simplesmente fez coisas pequenas, pouco notáveis, e se permitiu usar aqui e acolá por Deus, como um instrumento vivo do Seu amor e da Sua verdade.  E mesmo assim, muitas pessoas “vendo a coragem de Pedro e João, e percebendo que eram homens comuns e sem instrução, ficaram admiradas e reconheceram que eles haviam estado com Jesus” (Atos 4.13).

Todas as vezes que Deus quis fazer coisas grandes e revelar coisas grandes, Ele não foi à busca de doutores, de grandes escribas e fariseus, de religiosos, nem de pessoas renomadas da época. Ele foi à busca de quem tinha o Espírito Santo (Mateus 11.25; Lucas 10.21).

E, mesmo em meio à toda essa escassez de santidade, o Senhor encontrou gente que andava com o Senhor. Gente como Pedro, João, Gideão, Natã. E pode ser gente como eu e você também.