quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Honra Àquele que tem honra!


A Bíblia em um ano:
Ezequiel 8-11

By Elaine Cândida, com imagens do Google.


"É melhor buscar refúgio no Senhor do que confiar nos homens. É melhor buscar refúgio no Senhor do que confiar em príncipes."
Salmos 118.8-9

Fiquei surpresa e ao mesmo tempo feliz, quando passei em frente ao batalhão de polícia militar de Valparaíso de Goiás (GO), outro dia, e li a seguinte frase, escrita com letras garrafais, no muro central da companhia: “Se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela.” (Salmos 127.1)

Poderia ser apenas uma brincadeira de mau gosto que algum pichador fez para chamar a atenção de quem passa e para ofender a polícia...”, “Não! Deve ter sido um fanático religioso, que mete Deus em tudo e se esquece do potencial humano...” – Alguns podem sugerir.

Poderia ser mesmo, não fosse por um detalhe bem pequeno, porém relevante: não era obra de um pichador. Era a obra de um artista. Alguém, da própria polícia – certamente – mandou (ou, no mínimo, permitiu) decorar o muro com um grande painel e a referência bíblica em destaque, bem no centro do trabalho. E sua intenção não era diminuir a importância do trabalho policial, mas aumentar a credibilidade de Deus.

A intenção era mostrar o óbvio: que nem um batalhão inteiro e fortemente armado pode oferecer a segurança e o poder que Deus dá. Nem todas as armas do mundo podem vencer a guerra contra o mal. Mas Deus, sozinho e sem nenhum fuzil, pode. A intenção era lembrar que por mais aparelhados que possamos estar, somente pessoas que colocam Deus à frente e confiam na Sua direção sempre acertam o alvo e têm êxito em tudo o que fazem.

Infelizmente, o trabalho de uma corporação inteira não depende somente de colocar Deus à frente. Isso seria o mais correto para qualquer governo que queira realmente fazer o que é certo e prosperar em todas as suas obras. Mas nossos governos parecem não gostar muito de Deus, não é? Talvez até gostem, mas não O querem por perto, para evitar confusões com aquelas pessoas que deram o trono dos seus corações a outros deuses. E, obviamente, para não terem de dar honras ao Senhor e, em vez disso, eles mesmos (nossos governantes) receberem todo o mérito por cada bem feito na sociedade.

De fato, seria uma disputa muito desonesta, colocar o homem para competir com Deus. É por isso que essa disputa – totalmente descabida – nem mesmo existe. Deus é soberano ao infinito e o homem já nasce totalmente limitado. Ponto! O homem jamais superará Deus em alguma coisa boa, porque Deus é perfeito e santo, e o homem é falho e pecador, embora nem essa consciência o tenha impedido de se convencer que mereça todo o crédito no lugar de Deus, quando algo vai bem.

Humilde e exemplarmente, o salmista logo reconheceu uma verdade importantíssima acerca das suas vitórias quando no campo de batalha: “Isso vem do Senhor, e é algo maravilhoso para nós” (Salmos 118.23). Desde o início, ele já observava que “é melhor buscar refúgio no Senhor do que confiar nos homens. É melhor buscar refúgio no Senhor do que confiar em príncipes” (Salmos 118.8-9).

Que a mensagem no muro das dependências daquele batalhão chame a atenção dos transeuntes e lhes cause reflexão quanto à necessidade de entregarmos tudo em nossas vidas nas mãos do Senhor, e de atribuirmos a Ele – somente a Ele – a honra por cada conquista. Pois “a nossa capacidade vem de Deus” (2Coríntios 3.5).

Alguém sabiamente já reconheceu que “Se o Senhor não for o construtor da casa, será inútil trabalhar na construção. Se não é o Senhor que vigia a cidade, será inútil a sentinela montar guarda. Será inútil levantar cedo e dormir tarde, trabalhando arduamente por alimento. O Senhor concede sustento aos Seus amados enquanto dormem” (Salmos 127.1-2). 

E, ousadamente, declarou parte dessa nossa vitória no muro de uma companhia militar. Tenhamos a mesma ousadia e a mesma humildade, e escrevamos essa certeza também no muro do nosso coração.